Hospital Seixal

GOVERNO APROVOU A CONSTRUÇÃO DO #HOSPITAL DO SEIXAL

aplaudimos 1

O presidente da Câmara do Seixal, Joaquim Santos, afiançou aos jornalistas no final da reunião com o ministro da saúde, Adalberto Campos Fernandes, que foi dada luz verde para a construção do hospital do Seixal. Esta é uma excelente notícia para o município do Seixal.

Estimando que o hospital estará construído em 2019/2020, Joaquim Santos referiu que irá custar cerca de 60 milhões de euros. O hospital será de pequena dimensão – terá 72 camas. O valor da obra não vai recair sobre o erário público, pois a população do Seixal, paga ao Estado, “só em IRS”, 120 milhões de euros por ano, por isso também vai ter o meu contributo.

O autarca referiu ainda que faltam na península de Setúbal 1.300 camas hospitalares e cerca de 715 médicos relativamente à média nacional. Nesta reunião também estiveram os presidentes das câmaras de Sesimbra e de Almada, pois os três municípios comprometeram-se a trabalhar numa solução para ajudar a aliviar a lotação excessiva que tem o hospital Garcia de Orta, em Almada.

A unidade está projetada para ser um equipamento de proximidade, vocacionada para os cuidados em ambulatório, com serviço de urgência a funcionar 24 horas, 72 camas, 23 especialidades e unidades de apoio domiciliário e de medicina física e de reabilitação.

Nós aqui vamos ter o Hospital do Seixal.
Nós aqui vamos ter isto.

Fonte: O Observador

Proteção civil

QUERES SER VOLUNTÁRIO DA PROTEÇÃO CIVIL? Por Marlene Gaspar

parabenizamos
Queres fazer a diferença? Que tal participares em atividades como a vigilância da floresta ou dares o teu apoio em situações de catástrofe? Temos a receita para não te sentires impotente nestas situações e sentires-te recompensado para  fazer o bem. O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) está a constituir o Corpo Permanente de Voluntários de Proteção Civil de Almada. Abriram hoje as inscrições para voluntários e podes candidatar-te até o dia 5 de março, através do e-mail: proteccao.civil@cma.m-almada.pt. Basta indicares o nome, idade, morada e contactos de telefone e e-mail.
O que é que precisas para ser voluntário?
 # ser maior de idade;
# residir, preferencialmente, no concelho de Almada;
# uma declaração médica que ateste que estás cheio de saúde, que é como quem diz, que estás de boa condição física e psíquica.
Se fores admitido à fase de estágio terás formação e serás submetido a provas de carácter teórico e prático para que possas entrar nesta missão com as seguintes atividades:
# Patrulhamento, vigilância e prevenção da floresta contra incêndios na área geográfica do concelho de Almada;
# Alertar o SMPC para todas as situações de risco detetadas;
# Apoio logístico a operações de prevenção, proteção e socorro;
# Apoio em dispositivos de prevenção de eventos municipais ou outros, no âmbito das atribuições do SMPC;
# Colaborar em ações de formação e sensibilização da população promovidas pelo SMPC;
# Apoiar a dinamização, formação e coordenação das Unidades Locais de Proteção Civil que vierem a ser criadas no âmbito das freguesias;
# Orientar e coordenar as equipas de voluntários que vierem a ser criadas para apoio a acidentes graves ou catástrofes;
# Apoiar o SMPC na montagem do posto de comando municipal;
# Apoiar a implementação e funcionamento de redes de comunicações de emergência em acidente grave ou catástrofe.
E para quem entrega o corpo às balas para uma missão destas, só tenho uma palavra: RESPECT! Faz a diferença. Ajuda-te, ajudando os outros.
Nós aqui temos voluntário da Proteção Civil.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Fonte: CMA
Foto: CMS
Helena Gonçalves Rocha

TRUQUES PARA QUE O SEU FILHO DURMA FINALMENTE A NOITE TODA! Por Helena Gonçalves Rocha

ASSINATURA 2 1

Dormir… sonhar com uma cama… pestanejar frequentemente… ter dificuldade em manter uma conversa… apresentar uma cara tipo-panda, com as maiores olheiras de todo o sempre…

Enfim… quem tem episódios de privação de sono saberá do que estou a falar. Normalmente estes períodos de privação de sono estão associados aos  pais de crianças pequenas que habitualmente não têm uma noite inteira de sono. Aliás se perguntarmos a estes pais o que mais desejariam: irem jantar fora a dois ou dormirem uma noite inteira? Não hesitamos muito na resposta correcta e rapidamente imaginamos dois adultos a atirarem-se desesperadamente para cima de uma cama para DORMIR.

Uma boa higiene do sono, sim, é mesmo assim que se denomina todo o conjunto de hábitos associados à rotina de dormir.  Nesta higiene do sono  incluímos:

– 1 hora antes de deitar os movimentos da casa deverão começar a abrandar;
– Reduzir a intensidade da luz e som ( inclui afastamento total dos ecrãs tv, telemóvel, tablet); apagar as luzes intensas do tecto, reduzir o som;
– incluir rotinas repetitivas: a mesma hora de deitar, lavar os dentes, ler a história e dormir.

No entanto, este tipo de rotina nem sempre é suficiente para garantir uma noite completa de sono, existem alguns Truques extra que poderemos experimentar e são eles:

Difusor de óleos essenciais, 
Os óleos essenciais ajudam a melhorar o padrão de sono. Podem ser utilizados num difusor no quarto durante a noite e podemos também realizar uma massagem com pressão nos pés da criança durantes alguns minutos mesmo antes de ir para a cama.. Um dos óleos recomendados para este efeito é o de lavanda e madeira de cedro, mas poderá tentar outro que considere mais relaxante e calmante.

Cobertor de peso
Algumas crianças não processam a informação oriunda dos seus sentidos da mesma forma que as outras, evitando estes estímulos ou procurando-os. Muitas crianças têm necessidades sensoriais únicas e podem responder bem à utilização de um cobertor de peso, sem terem qualquer tipo de diagnóstico específico. Porém, as crianças com Autismo, com perturbações de ansiedade, com perturbações do processamento sensorial, com perturbação da hiperatividade e défice de atenção e desordens graves do sono, são aquelas que obtém uma resposta mais eficaz quando utilizam o cobertor com peso.

Helena Gonçalves Rocha

Porquê? O que têm todas elas em comum?
Todas apresentam baixos níveis de serotonina e um sistema nervoso ativo.

E como funciona o Cobertor de Peso?
Através da Pressão de Toque Profundo, que consiste numa pressão gentil por todas as partes do corpo, que poderá ser atingida de várias formas, através dos Abraços, das Massagens, da utilização de Coletes de Peso ou de Cobertores de Peso.

E o que faz a Pressão de Toque Profundo?
1. Aumenta a libertação de serotonina
A serotonina é um neurotransmissor que desempenha papéis essenciais no nosso corpo, como por exemplo:
# Inibidor comportamental
# Apetite
# Agressividade
# Sono
# Humor
# Desenvolvimento cerebral
# A serotonina também está envolvida no processo de produção da melatonina, tão importante na regulação de um padrão de sono saudável.

2. Diminui a atividade do sistema nervoso
E quais os benefícios da utilização do Cobertor de Peso?
# Reduz a ansiedade
# Melhora o sono
# Adormece mais rápido
# Reduz a ansiedade
# Sono profundo
# Menos movimentos durante a noite

E como posso saber se o meu filho beneficiará da utilização do Cobertor de Peso?
Se responder afirmativamente a pelo menos duas destas três questões, estamos no caminho certo.

1. Adora dormir ou ficar debaixo das mantas;
2. Gosta de se “enfiar” em espaços pequenos ou colocar-se por trás dos móveis;
3. Tem dificuldade em relaxar e ficar sentado tranquilamente.

Este cobertor de Peso funciona também muito bem nos adultos para reduzir os níveis de stress, a ansiedade e  a insónia.

E como quando estamos desesperados para dormir vale a pena experimentar tudo, deixo estas sugestões para que se atrevam a experimentar e depois…depois queremos saber como correu, pode ser?

Pode ser? Psst! Pode ser?
ZZZZZzzz!
Noites e até amanhã!

Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

Mercado biologico

MERCADO BIOLÓGICO EM ALMADA. É VENDER SAÚDE. Por Marlene Gaspar

degustamos

A PDI faz-nos repensar velhos hábitos e mostra-nos que por muito estragos que possamos fazer com gordices e alguma indulgência que faz parte, há que procurar um equilíbrio e adquirir hábitos mais saudáveis. Em jeito de Valentine’s aqui vai o que mais vos desejo – saúde. Da boa.

Na minha infância comi muita sopinha com ingredientes cultivados pela minha família e muita frutinha apanhada das árvores sem qualquer tratamento. Deve ter sido isso que me ajudou a superar os quilos de Tulicreme que emborcava a ver séries no Agora Escolha, como o Perry Mason ou os 3 Duques. O “Kit Amigão” na versão brasileira e na original (a preferida) também dava para mandar abaixo bombocas e belinhas. Se não sabes o que isto é nasceste neste milénio, certo? Hoje em dia procuro uma alimentação muito mais saudável e consigo ver no meu corpo os benefícios disso mesmo, mas mais uma vez, não sou fundamentalista, e por vezes, não há nada tão compensador como um bife com batatas fritas.

Mas para poder cometer estes devaneios, há que compensar de alguma forma, por isso elejo sempre que posso os produtos biológicos. Estou tão contente por saber que todos os sábados de fevereiro, a partir das 9h na Praça MFA e às 4ªfeiras no Largo Alfredo Dins, a partir das 14h há mercado de produtos biológicos em Almada, com uma seleção de produtores biológicos da região. Podemos encontrar fruta, legumes, azeite, mel ou vinho. Verdadeiras maravilhas que me enchem de felicidade e que são ingredientes sem os quais não se vive cá em casa. Para os mais incrédulos e desconfiados, os produtos são certificados.

Podes então aviar-te no Mercado Biológico de Almada. De que é que estás à espera?

Nós aqui temos Mercado Biológico.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

DiadosNamoradosLSBb

DIA DOS NAMORADOS. WTF! Por Marlene Gaspar

Lamento decepcionar todos os pombinhos da margem sul e arredores, mas para mim o Dia dos Namorados é só estúpido. Pronto, já disse alto e pior já escrevi. Podem mandar vir a cavalaria e apedrejarem-me por enunciar tamanha heresia. Mas, há que encarar as coisas como elas são e a seta do romantismo para este dia passou-me ao lado.

Acho um bocadinho ridículo instituirem um dia para se celebrar o namoro. Para mim este celebra-se todos os dias, quando é caso disso. Sou muito mais adepta de celebrar o dia em que um casal comemora o aniversário do relacionamento (quando têm a sorte de saber quando é que isso calha!) do que o Dia de S. Valentim.

Estou a fazer um curso e temos um prova para fazer neste dia, e dou por mim a dar nota do seguinte comentário para quem está a leccionar: “Vocês não gostam do Dia dos Namorados para marcarem para esta data”! (tom de alguma indignação). Fiquei estupefacta com a questão, pois a mim não me passava pelo penteado a imediata associação, mas fico fascinada com este empolgamento. E não pensem que estou a ser irónica, fico mesmo surpreendida e acho que cada um deve celebrar à sua maneira. Gosto de ver esta predisposição, embora não a compreenda, mas se é celebrada em todo o mundo, é porque a alien aqui sou eu.

Por isso apesar de não estar nem aí para essa data, deixo aqui sugestões que eu gostava muito que me acontecessem, para celebrar a data de um início de um relacionamento, por exemplo (mais uma vez para quem sabe – não sei se já perceberam que há quem não consiga recordar tal facto), ou para qualquer outro motivo. Fica(m) a(s) nota(s):

# viagem para qualquer lugar – este é o meu presente preferido de sempre, qualquer que seja o motivo. Há que escolher um destino que seja uma descoberta, mas também é válido voltar ao lugar onde já se foi feliz. E por aqui, pela margem sul, há desses lugares a potes. A Costa da Caparica é sempre um local inspirador e resulta bem em qualquer altura do ano, a Fonte da Telha é sempre bom e ambiciono passar um fim de semana numa autocaravana. Almada Velha também permite visitas históricas com diferente gastronomia e sempre a surpreender. Sesimbra, Meco, Setúbal, Tróia, Azeitão – you name it. Dá sempre para surpreender a cara metade e fazer um brilharete. Mas o topo dos topos foi uma que eu assisti a uma colega do escritório (e não, não fui eu, sou só uma “invejosa” a falar) – que é o nosso “partner” falar com o nosso chefe, pedir o dia (ou mais) e fazer-nos as malas. E uma hora antes de arrancarmos percebermos o que está a acontecer. Estão a ver a ideia? É que nem precisas de te preocupar com as malas).

# jantar surpresa – qualquer restaurante na margem sul vai conseguir cumprir a função da celebração, mas bom, bom, bom é ter o “nosso chef” a fazer todas aquelas coisinhas (ou tratar de alguém que faça isso, não sou fundamentalista) que nos despertam o palato, porque a indulgência funciona sempre bem, acompanhada de um bom vinho no sossego do lar. Porque o sossego fica-se por aí. Depois de uma surpresa destas não há como não partir a loiça toda.

# álbum de fotos – online, físico (para mim este é o melhor) com mensagens manuscritas, vale tudo. O importante é poder recordar momentos em que nos aturamos um a outro e que continuamos a cá, para muitos mais momentos. Daqueles em que percebemos que tínhamos uns cortes de cabelo que não lembram ao diabo (mas pelo menos não haviam brancos), que a barriga estava lisa e a tender para dentro – quando é que esta brincadeira foi?!), e a força da gravidade estava longe de manifestar-se, mas também nada perto do charme que se apoderou de nós nos dias de hoje. Calma, também funciona com amigos e relações recentes, neste último, só não se apontam os mesmos comentários.

E fiquemo-nos por aqui, que isto, porque agora é o que me ocorre. Eu também vou celebrar o dia, à minha maneira, porque gratidão por quem nos acompanha é algo que devemos comemorar todos os dias e não só no dia 14 de fevereiro.

Feliz Dia de S. Valentim.

Nós aqui temos o Dia dos Namorados.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

darsangueLSBb

O SANGUE A CORRER NAS VEIAS PODE-SE DAR! SEIXAL. Por Marlene Gaspar

gostamos

Tens sangue a correr nas veias? És saudável e tens entre os 18 e os 65anos de idade. E tens 50 ou mais kg? Então que tal seres um dador desse líquido tão precioso? É que dar não dói e é um um ato livre, seguro e simples.

Em vésperas de S. Valentim é um ato de amor com os outros e mostra o tamanho do teu coração a fazer o bem. Eu ando sempre ali no limbo do peso (eu sei que parece género, mas sou pequenina e compacta), mas na verdade já fui aconselhada a ter um banco próprio, dado ser uma ave rara com o sangue que menos pessoas têm! Em caso de necessidade (e esperemos não ser preciso), é bom poder contar com esta dádiva.

A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens. Para uma primeira doação o limite de idade é aos 60 anos.

Este é um ato gratuito, mas que a recompensa é muito maior que um valor monetário. Tens várias sessões a aí à porta, organizadas pela Associação de Dadores Benévolos de Sangue do Concelho do Seixal.
Próximas sessões

11 de março, domingo
Sociedade Musical 5 de Outubro
Largo D. Paio Peres Correia, Aldeia de Paio Pires

18 de março, domingo
Auditório do Mercado Municipal de Fernão Ferro
Rua Luísa Tody, Fernão Ferro

Nós aqui temos dadores de sangue.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

FERTAGUS

FOMOS ÀS BOXES DA FERTAGUS. Por Catarina Laborinho

visitamos

Se em Dezembro fomos ver como era a segurança lá em cima (reveja aqui o artigo) agora fomos ver como é por aqui, nas boxes da Fertagus.

Pois é, mais uma vez foi um dia de tirar o chapéu, desta vez quem nos acompanhou foi o Eng.º João Duarte e o João Rodrigues. O João Duarte, à semelhança de toda a equipa com quem nos temos cruzado na Fertagus, tem um percurso bastante interessante.

Começou como eletricista estagiário e passado algum tempo concorreu para maquinista. Concorreu e entrou ou não estivéssemos a falar de mais um elemento vencedor, não satisfeito, estudou arduamente durante 5 anos, no pouco tempo que lhe sobrava, e concluiu o curso de Engenharia Eletrotécnica. Hoje, 18 anos depois faz parte da equipa responsável pela manutenção destes gigantes de ferro e foi o anfitrião do LSBblog em mais uma enriquecedora visita guiada.

O dia da visita foi durante o fim-de-semana, quando chegámos apanhámos uma equipa externa a decorar um comboio. Desculpe Teófilo, “material circulante” :D, no chão, eram rolos e rolos de vinis mas posso-vos garantir que os nossos comboios ficaram lindos com Lisboa a vista 😉 (não me diga que ainda não os viu?!)

FERTAGUS

Este tipo de trabalho só pode ser realizado ao fim de semana, atualmente a Fertagus tem 18 comboios onde 17 estão em constante circulação. Todos os dias todos os comboios fazem rotinas de verificação e manutenção preventiva para além das limpezas, todas estas tarefas requerem uma articulação engenhosa de staff e equipamentos, imaginem que comboios são limpos diariamente à noite, chão vidros, painéis laterais, tecto e portas. Trimestralmente, sofrem uma limpeza interior exaustiva (plásticos, grelhas de ventilação, bancos, etc…), o que demora uma semana mesmo sendo feito por duas pessoas.

Já a limpeza exterior é assegurada diariamente por uma equipa de dois elementos que tratam dos gigantes durante seis horas, como? À mão. Sim nada como o tradicional “banho” para deixar 100 metros de comboio a brilhar.

FERTAGUS

Voltando às boxes…
Acompanhados pelo João visitámos um comboio por baixo, entre o emaranhado de ligações elétricas e pneumáticas o João ia-nos explicando o funcionamento dos equipamentos enquanto se desfazia em avisos de segurança, “cuidado que isso é baixinho, não se magoe”. Conseguimos ver os motores de tração, o compressor que alimenta a parte pneumática, o sistema de travagem e os bogies, (O bogie é a estrutura onde assenta a carruagem e que é composta pelos eixos (rodas), motores de tracção, cilindros freio, amortecedores e molas). De facto, o espaço lá em baixo é curto, mas se não tivéssemos ido por baixo do comboio não tínhamos percebido nem metade. Curiosamente esta é a altura da revisão de “meia vida” destas 300 toneladas, já rolaram 1.800.000 km, é dose… quando chega a esta quilometragem eles têm que fazer, para além das “visitas” de ação preventiva, têm intervenções mais abrangentes e completas, como é o caso da R1, que ocorre aos 1.800.000 km. Mas a cada 600.000 km realiza-se uma R3, e a cada 1.200.000 km uma R2. Os trabalhos efetuados em cada uma delas são diferentes, mas a R1 é a mais completa visto que engloba os trabalhos de R2 e R3, assim com a R2 engloba os trabalhos de R3.

FERTAGUS

Saímos de baixo do comboio e continuámos a nossa visita já de costas direitas, passamos pela área de montagem dos equipamentos que compõem o bogie, o tamanho de todo o material é algo impressionante de tão grande que é.

No exterior das oficinas principais visitámos uma pequena área (chamada de Torno de Fosso) onde são reparadas as rodas do comboio, incrível como as rodas de aço não têm que ser desmontadas para serem “retificadas”, neste espaço existem uns macacos hidráulicos que suspendem a carruagem e uma máquina que faz a retificação das rodas, permitindo assim ao operador realizar os serviços necessários no menor tempo possível, está tudo pensado para que os 18 comboios se mantenham em perfeito estado de funcionamento sem que isso afete os horários a cumprir.

FERTAGUS

Aqui cumprem-se os planos de manutenção, mal comparado funciona um pouco como quando vamos com o nosso carro à revisão, das “rodas” ao funcionamento de portas tudo tem o seu timing para ser verificado, um dos gigantes está já com 1.800.000 Km, isto não é o prémio do euromilhões, (antes fosse) é meia vida do comboio. Neste caso a “revisão” é um pouco mais complexa, esta implica desmontar o comboio praticamente todo.

Depois virá outro e outro, já que quando foram adquiridos vieram praticamente todos ao mesmo tempo.

Todo este trabalho é desenvolvido durante o dia, sem que algum momento implique o bom funcionamento e o cumprimento dos horários. Posso-vos dizer que é dose, é como costume dizer, é “non stop”.

E são assim as boxes, da Fertagus 😉

A experiência foi, mais uma vez, enriquecedora, perceber, ou tentar perceber, como funcionam estas toneladas é algo que confesso que me fascina.

Nós aqui fomos às boxes
Nós aqui dizemos obrigada à Fertagus

Texto e Fotos: Catarina Laborinho

FERTAGUS, LSBblog

CarnavalMargemSul

OUTROS CARNAVAIS NA MARGEM SUL. Por Marlene Gaspar

celebramos 1

Ele está aí, não há como negar e nem fingir que não vai acontecer. É Carnaval, é tempo de rambóia e é tempo de folia. A pedido de algumas famílias (e não a minha, que aqui a matriarca, dispensa esta festividade, mas admira muito quem a aprecia), vou partilhar alguns programas de Carnaval para miúdos e graúdos, que o Carnaval não escolhe idades.

A palhaça aqui de serviço, já falou do Carnaval Trapalhão no Seixal e da Corrida de Saltos Altos, mas há mais festividades para este momento. Isto funciona como a máscara, só tem de se escolher qual a que não queremos usar.

# Matiné do Seixal para os mais pequenotes, que é como quem diz dos 3 aos 12 anos. Sim, e os familiares também contam. Vai-se celebrar o Carnaval de princesa, super-herói ou aquilo que a tua imaginação decidir. É no dia 1o, sábado, das 15.30 às 16.30 horas na Biblioteca Municipal do Seixal, mas podes saber mais coisas por aqui. Ah, e a participação gratuita.

# Carnaval de Sesimbra – ora aqui sim, há uma verdadeira tradição de Carnaval. É o Carnaval da Margem Sul por excelência, e é uma das tradições mais enraizadas na comunidade sesimbrense, que trabalha, ano após ano, num dos mais populares e belos carnavais do país. O Carnaval em Sesimbra atrai milhares de turistas e o programa é uma cena muita profissional, por isso descobre todo o programa das festas aqui. Ele é fantasias, decoração de viaturas, a Escolas de Samba, os grupos de Axé, as Cegadas, o Enterro do Bacalhau, o corso de palhaços, na segunda-feira, que já foi considerado o maior do mundo, e já chegou a juntar perto de 3 mil mascarados, o Desfile Trapalhão (que não é só no Seixal) já para não falar dos bailes das coletividades. Ufa, até estou cansada. Ie, ie, ie, Sesimbra é que é.

MascaraCarnaval

Já nós aqui estamos a pensar num programa mais caseiro, que não vai deixar de ser um ganda Carnaval, ah se vai. Vai sacudir, vai abalar, quando o meu amor passar…

Nós aqui temos Carnaval.

Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Fonte: CMSeixal, CMSesimbra

Imagem: Direitos reservados

CarnavalSeixal

OFICIALMENTE ABERTA A ÉPOCA DO CARNAVAL. COMECEMOS PELO SEIXAL. Por Marlene Gaspar

gostamos

Está aí, já começou e já está a deixar-me nervosa. Não sou fã do Carnaval, admito, e antes queria levar com um pau nas costas (talvez aqui tenho um grau de exagero considerável!) do que ter de andar à procura dos fatos que me “encomendaram” cá em casa – Elena de Avalor e de Elsa. Mas quem raio sem estas gajas?

No meu tempo escolhia-se a Abelha Maia, a Branca de Neve ou a Cinderela e havia fatos disto em todo o lado. Agora a Elsa? Oi? Tive de aprofundar, porque o meu desconhecimento nesta matéria não cumpre os mínimos olímpicos e então percebi que é um personagem da Frozen! OMG. Alguém me diz onde é que isto se arranja na margem sul?

Depois deste desabafo de mãe desesperada, estou aqui para partilhar o Carnaval Trapalhão, que não tem o nome sedutor, para quem gosta de ver desfilar as meninas de corpinho bem-feito, mas com o barbeiro que se faz sentir nestes dias, meus caros é mais prudente. É muito mais prudente. Nada contra os corpinhos bem feitos (quisera eu), mas não se constipem, que como disse aqui ontem, o Hospital de Seixal, está no bom caminho, mas não fica a tempo de tomar conta de vocês se forem ao tapete.

Então o desfile Trapalhão é no dia 12 de fevereiro, segunda-feira, a partir das 22 horas, na Praça 1.º de Maio, em frente à Mundet, no Seixal. E basta ser criativo na máscara e juntar-se à festa. É Carnaval, ninguém leva a mal.

Nós aqui temos o Desfile Trapalhão.
Nós aqui temos isto.

Foto: CMS.

hospitalseixal

LUZ VERDE NA CONSTRUÇÃO DO HOSPITAL DO SEIXAL. Por Marlene Gaspar

gostamos

Não é novidade, mas eu tenho andado ao ralenti, e só agora me apercebi, mas tendo em conta a importância da notícia não quis deixar de partilhar. Finalmente, foi publicada em Diário da República a portaria que dá luz verde à construção do hospital no concelho do Seixal, que tendo em causa o estado de saúde da nação (e basta-me olhar aqui para casa) é uma boa nova digna de celebração.

Por tudo o que possa pedir e/ou desejar (que eu sou do bem, e gosto é de ver toda a gente feliz e contente), a saúde encabeça todas as listas. É uma cena que vem com a idade. Quando somos teenagers inconscientes desejar saúde a alguém é uma cena dos cotas, ou uma forma, de dizer “santinha” quando alguém espirra, mas à medida que a idade vai passando, torna-se um bem essencial. Com saúde tudo de consegue.

Por isso, é de felicitar notícias destas, ainda que com algum atraso (e mea culpa que ando desatenta, de alguma forma intencional), porque é importante para a malta da margem sul e para os que precisam quando cá estão (que pelo trânsito que também causam na ponte, gostam muito de vir dar um pulinho a este lado, não é mesmo?).

A portaria publicada  em Diário da República autoriza a Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo (ARSLVT) a assumir um encargo no valor de 1 milhão e 230 mil euros, repartido por 2018 e 2019, para o concurso do projecto do hospital de proximidade do Seixal. O Hospital do Seixal representa um investimento total de 60 milhões de euros e vai permitir descongestionar o Hospital Garcia de Orta.

Guita, meus senhores, muita guita. Mas a saúde, não tem preço.

Nós aqui vamos ter o Hospital do Seixal.
Nós aqui vamos ter isto.

Texto: Marlene Gaspar

CaisGinjalLSB

O QUE É QUE ESTÁ PLANEADO PARA O CAIS DO GINJAL? Por Marlene Gaspar

gostamos 1

Perguntam bem, mas não a quem! Pois é, quem vai poder responder a esta pergunta (e outras que surgirem entretanto) não vou ser eu, mas sim o arquiteto Samuel Torres de Carvalho, autor do plano de pormenor da frente ribeirinha do Cais do Ginjal. E não pensem que vai ser preciso esperar muito, porque é já amanhã, às 18h, no átrio do Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada que vai ser a inauguração da exposição: Plano de Pormenor sobre o Cais do Ginjal, esta frente ribeirinha única, situada entre o Jardim do Rio e o terminal fluvial de Cacilhas.

Esta acontecimento vai acontecer no âmbito do período de discussão pública do plano de pormenor do Cais do Ginjal, que decorre até 19 de fevereiro. Sim, porque todos temos uma opinião e se há altura que é oportuno é agora. Por isso, se queres fazer valer a tua opinião é agora o momento certo, ou melhor, amanhã, dia 6/2 às 18h.CaisGinjal

Participa, dá o teu contributo e ajuda a tornar o Cais do Ginjal em mais uma referência inegualável da nossa margem sul.

Nós aqui temos o Cais do Ginjal.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fonte e foto: CMA