MMA

MEIA MARATONA DE ALMADA. 1 de julho.

corremos

Run, Forrest, run! A Meia Maratona de Almada está de volta para mais uma edição e há distâncias para (quase) todos os gostos.

Dá para caminhar 6,5 km para os que gostam de andar e aproveitar uma boa converseta ou apenas andar sem dar trela a ninguém, porque a única exigência é dar à perna e chegar ao final.

Se o corpinho aguentar mais do que isto e quiser correr, a prova contempla a corrida de 10 km, que já dá para sentir os músculos e treinar afincadamente.

Mas se até aqui isto for para meninos, há a meia maratona onde faz-se mais de 20 km a puxar pelo cabedal. Cada um escolhe a que pode, ou a que consegue ou a que apetece. O importante é participar.

Se estão preocupados com a hora do calor a correr com bafos de fora e isso fizer desistir-vos da ideia, não vai ser assim tão fácil. É que a prova é à noite, por isso, é só inscreverem-se e treinarem. Vai dar tempo.

MeiaMaratona

A prova é sábado, 1 de junho às 19h. Mas fica-se despachado nessa noite (até às 23:30h) e a partida é na Av. Arsenal do Alfeite nº 10, 2810-262 Almada – Parque da Paz. As inscrições são aqui.

Nós aqui temos meia maratona.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

caracol

5º FESTIVAL DO CARACOL E DA CERVEJA. 2 a 4 junho

degustamos

Festival do Caracol e da Cerveja que se vai realizar de 2 a 4 de junho. Admito que sou completamente perdida por caracóis. Gosto de devorar aqueles bichos como se não houvesse amanhã e não entendo como é alguém pode ter nojo disso. Desculpem os mais sensíveis, mas não sabem o que perdem por algumas esquisitices.

Sou daquelas pessoas que enquanto eles estão quentinhos e num prato à minha frente viro um aspirador e só fico de “saco cheio” quando viro a travessa.

Por isso sou sensível a programas com este título – Festival do caracol. A cerveja, já não me deixa com o mesmo entusiasmo, mas diria que a cerveja com o caracol fazem uma parelha perfeita. Os meses já são sem “r”, para os que não sabem, dizem que são os meses que têm um “r” são meses em que não se deve comer o caracol, porque este ainda não está bom para ser comido. Até para isso tem de se estar bom!

Por isso o Festival do Caracol e da Cerveja que se vai realizar de 2 a 4 de junho na Rua Cândido dos Reis promete, e acho que estes 2 argumentos são os suficientes para uma visita obrigatória.

De que é que estás à espera? Para lentidão já basta a do caracol.

Nós aqui temos festival do caracol e da cerveja.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

DiadaCrianca

DIA DA CRIANÇA NA MARGEM SUL

gostamos 1

Depois de ter tido o luxo de ser surpreendida pelas minhas filhas no dia da mãe com um espetacular pequeno-almoço na cama (ideia boa, mesmo boa do pai, porque a César o que é de César), a Victória faz-me a mesma exigência para o dia da criança. Já há programa das festas planeado na escola para celebrar a data, o que não invalida o pequeno almoço servido na cama! O que me cheira que não vai correr, bem tendo em conta os desastres na cozinha que acontecem à mesa, imaginem nas camas e sem uma tábua rasa e direita para pousar a comida. Tem tudo para não correr bem. Estou metida numa alhada!

Mas, o melhor do mundo são as crianças e o melhor do meu mundo são as minhas crianças. Que se lixe o quarto arrumadinho, naquele dia os desejos delas são ordens (até certo ponto, porque eu também não sou de ferro, mas às vezes gostava), e por isso o pequeno-almoço servido na cama está garantido.

Já agora, consta-se que há atividades para a pequenada, e por ser aqui tão perto partilho convosco (quem é amiga, quem é?).
Dia 1 de junho, a partir das 10h, os Guardiões de Almada animam o Parque Urbano Comandante Júlio Ferraz, em Almada. À tarde seguem-se as Jornadas Prevenção: uma responsabilidade partilhada, organizadas pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almada.

Mas, o dia da criança é quando um homem quiser e nos dias 2 e 3 de junho, a partir das 9h30, o Cineteatro da Academia Almadense recebe as Jornadas sobre Direitos Sociais e Participação. No dia 4 de Junho, no Parque da Paz há atividades como yoga, teatro e outras animações ao longo do dia, como nos sugeriu a Sandra Soto.

Eu cá para mim, também volto à criança que nunca larguei e celebro com elas, porque todos os motivos para celebrar e partilhar com quem gostamos são dias de festa.

Nós aqui temos o dia da criança.
Nós aqui temos isto.

Texto e foto: Marlene Gaspar

descansar em familia

FIM DE SEMANA OUTRA VEZ… DESACELERAR POR FAVOR. Por Helena Gonçalves Rocha

Helena

Fim de semana outra vez… desacelerar por favor. Dicas para conseguir descansar!

A maioria de nós associa o fim de semana a dois dias de descanso, alegria, euforia e divertimento. Muitos de nós não têm filhos… deitam-se tarde depois de uma jantarada com os amigos, no dia seguinte aproveitam para dormir até mais tarde e “preguiçar” durante todo o domingo.

Muitos de nós têm este cenário como uma memória longíqua, longe, longe, quando ainda não existiam crianças, nem festas de aniversários nem idas à natação e ao ballet.

Pois é, admitam lá, por vezes a aproximação do fim de semana significa uma grande canseira. Por vezes até vos passa pela cabeça que mais valia estar a trabalhar…

E isto porquê? Porque muitas das vezes não sabemos gerir as nossas prioridades e colocamos a vida social dos nossos filhos muito à frente das nossas.

Senão vejamos, sábado de manhã natação, mãe na bancada a registar todos os momentos enquanto elabora lista de supermercado. Almoço tardio, entre deitar uma a duas máquinas de roupa a secar, festa do Luisinho, antes disso passar no centro comercial para comprar o presente desejado, deixar a Maria na festa e ir num instante fazer as compras da semana. Banhos, jantar e estudar? Adormecer no sofá?

Domingo quase tudo se repete, nova festa, T.P.C., arrumar a casa,  almoço de família, arrumar a casa, preparar a semana, mochilas, lanches e almoços.

OHH! STOP!

É urgente desacelerar, é verdade que não somos super-heróis e que necessitamos de tempo de descanso e lazer. É verdade que, mais do que cumprir tarefas, temos de ter tempo para usufruir das relações com os nossos filhos e construir memórias conjuntas.

E depois de alguma análise do que nos rodeia, depois de algumas tentativas e erro, chegámos a algumas sugestões /desafios que nos permitirão abrandar um pouco o ritmo alucinante do fim de semana.

descansar em familia

As casas perfeitas existem nos catálogos de decoração

Viver numa casa perfeita, sempre limpa e arrumada é coisa de IKEA. Passar os sábados de manhã de aspirador numa mão e pano de pó na outra é o suficiente para estragar o nosso humor durante o resto do dia. Sugestão: dividir as tarefas domésticas pelos diferentes elementos da família e pelos diversos dias da semana. Um dia para lavar casas de banho, outro para aspirar a sala, outro para mudar lençóis. Devidamente distribuídas as tarefas por todos os elementos e dias da semana vai ver como ao fim de semana tudo parecerá mais fácil.

Compras de supermercado e passeios pelo shopping ao fim de semana, nem pensar!

Mais vale sacrificar a hora de almoço durante a semana, ou levar as compras ao final do dia quando regressa do trabalho, do que ir em excursão para um supermercado cheio de gente com miúdos que habitualmente se portam mal, fugindo ou pedindo tudo aquilo que vêem. As compras ao fim de semana, domingos, noites ou feriados, é uma moda relativamente recente, moda esta que me faz questionar a qualidade de vida das famílias dos funcionários destes mesmos supermercados. Crianças que não estão com os pais aos fins de semana para que nós comodamente possamos fazer as compras dos guardanapos e detergentes às oito da noite de um sábado.

Sugiro que apreciem e promovam o comércio local, visitem as feiras e mercados com os vossos filhos, para que compreendam que existe a relação direta entre o produtor e o consumidor.

Não precisamos de aceitar todos os convites

É verdade, muitas vezes o fim de semana é distribuído entre 3 e 4 festas de aniversário, muitas vezes distantes umas das outras, uma num sítio mais espetacular do que o outro. Mas será que esta azáfama compensa? Será que não devemos ajudar os nossos filhos a priorizarem, a que festa devemos ir? Qual o amigo que faz mais questão e com o qual nos identificamos mais?

Afinal conseguimos passar um fim de semana inteiro a fazer de UBERpapá, distribuindo-os de festa em festa e sem ter oportunidade de conviver com os nossos próprios filhos.  Onde está o tempo para estarmos uns com os outros, ouvirmo-nos sem ter a pressão do horário semanal?

Um dia sem T’s

Aqui está um desafio bem difícil, mas possível. Um dia inteiro sem telemóvel, sem televisão, sem tablets, um dia sem T’s.

Sem partilhar fotografias, sem saber onde anda toda a gente, sem tirar fotos para postar, apenas a viver cada momento com todos os nossos sentidos presentes.

Hoje em dia este é um real desafio, mas cada vez mais necessário, experimente esta sensação de liberdade e depois conte-nos com foi.

Passear sem rumo pelo mundo

Sair de casa e observar o que nos rodeia, sem pressa, tudo o que a natureza nos proporciona, tão incrível que todos os dias são diferentes, a flor que nasceu, o novo cantar de pássaro, as nuvens no céu que mudam a cada instante.

Estar sem pressa nem horário para nada, para mesmo nada. Apenas aproveitar a companhia e o contacto uns com os outros.

Construir a nossa identidade enquanto família, os nossos momentos, aqueles momentos que a família do lado não faz nem ideia. Tudo o que nos torna diferente dos outros. E para isso é preciso tempo, e para isso é preciso oportunidade de estarmos uns com os outros.

Tentem aproveitar estes dois maravilhosos dias a fazerem coisas que vos dê prazer e a estar com quem mais gostam.

Se tiverem mais dicas para partilhar, façam-no por favor! Esta mãe exausta e à beira de um ataque de nervos agradeceria eternamente!

Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

Milha

25ª MILHA URBANA BAÍA DO SEIXAL É A 28 DE MAIO

corremos

A Milha Urbana Baía do Seixal é já este domingo, mais propriamente no dia 28 de maio, e segundo consta é uma das provas de atletismo mais emblemáticas do concelho do Seixal. Tanto é que já vai celebrar a 25ª edição.

Organizada pela Câmara Municipal do Seixal e a Casa do Benfica do Seixal (bem me parecia que tinha de ter um dedinho dos tetra! ok, parei, já parei!) e com a colaboração da Associação de Atletismo de Setúbal e a União das Freguesias do Seixal, Arrentela e Aldeia de Paio Pires.

A milha decorre em circuito fechado numa extensão de 1609 metros, às 9.30 horas. A partida e chegada são na frente ribeirinha de Arrentela, junto à Quinta da Fidalga.

A prova decorre em simultâneo com o Agita Seixal, onde podem encontrar muitas outras atividades.

Podem inscrever-se atletas a título individual ou em representação de clubes, escolas e outras associações, federados ou não. As inscrições são gratuitas e devem ser enviadas até 26 de maio de 2017 para o Complexo Municipal de Atletismo Carla Sacramento (210 976 120; joaquim.maia@cm-seixal.pt) ou para a Casa do Benfica do Seixal (atletismocasabenficaseixal@gmail.com). A prova integra o 30.º Troféu de Atletismo do Seixal.

Informações:
Regulamento da XXV Milha Urbana Baía do Seixal [pdf 28kb]

Nós aqui temos a milha.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Fonte e foto: CMS

Trafaria LSBb

TRAFARIA COM PROVA – VINHOS E PETISCOS. 2 a 4 de junho

degustamos

O Passeio Ribeirinho da Trafaria recebe a segunda edição do Trafaria (Com)Prova – Vinhos e Petiscos à Beira Tejo. São mais de 30 produtores nacionais, provas comentadas, cruzeiros vínicos no Tejo, exposições, animação de rua e petiscos dos restaurantes da Trafaria.

Ou seja, junta-se o melhor dos 3 mundos: comer bem, beber ainda melhor e estar numa bela localidade da margem sul – a Trafaria. A entrada é livre, por isso é só reservar na agenda:

Vinhos & Petiscos

Nós aqui temos vinhos e petiscos.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Ginjal

ALMADA DÁ MAIS UM PASSO PARA RECUPERAR O GINJAL

gostamos

Ninguém pára as boas notícias da margem sul, ninguém para as boas notícias da margem sul, olé oh!

É assim, pow, pow, pow. Boas notícias atrás de boas notícias sobre esta zona linda. E como é meu apanágio, cá temos mais uma boa nova para partilhar. O texto é da Alda Martins no Expresso | Economia.

Será desta que se desbloqueia o projeto de reabilitação e contenção da arriba na zona do Gingal em Almada — o espaço junto ao Tejo que se encontra abandonado há vários anos?

Ao Expresso, o presidente do município, Joaquim Judas, disse que o Plano de Pormenor poderá ser aprovado em Junho. “A indicação que tenho é que o desenho está numa fase final e que em Junho estará em condições de aprovação. Vamos ver se não haverá dificuldades da parte de alguma entidade [ambiental ou urbanística], apesar da margem de decisão da câmara, de acordo com a nova lei, ser maior”.

Se tal se concretizar será o primeiro grande passo para desbloquear um processo que tem anos. Em 2009 foi assinado um protocolo tendo em vista a elaboração deste Plano de Pormenor com a proprietária, controlada pelo grupo madeirense AFA. Oito anos de degradação depois, nada aconteceu.

Nem o susto de 2015, quando o chão do paredão ruiu e empurrou para o rio um carro com um casal e um bebé lá dentro, acelerou o processo. Na ocasião, o pior foi evitado mas a câmara teve de intervir e justificou o estado de degradação do Ginjal com a falta de resposta do proprietário.

Foi também nesse ano que a câmara acabou por reunir com os proprietários e com as entidades representativas dos interesses públicos, para apresentação de uma nova versão da proposta de plano. Agora o autarca refere que os donos estão “a trabalhar num projeto de arquitetura que contempla habitação, turismo, comércio e hotelaria”, numa área de 8,44 hectares, limitada a norte pelo rio. Uma vista sobre a cidade de Lisboa de tirar a respiração a quem por ali passa e que até faz esquecer os alertas de perigo de derrocada bem visíveis ao longo daquele espaço. Contactado pelo Expresso, o grupo AFA não fez comentários até à hora do fecho desta edição.

Enquanto não chegam as obras do Gingal ou o concurso público para o projeto da “Cidade da Água”, Joaquim Judas diz que não estão parados e vão avançar, naquilo que é possível, no plano de Cacilhas.

A câmara está a proceder à elevação do submarino “Barracuda”. Será também feito um trabalho de intervenção na fragata “D. Fernando II e Glória” e requalificado o espaço envolvente no âmbito do núcleo museológico. Além de estar previsto desenterrar as salgas romanas, existentes na zona, e intervencionar a arriba virada para o Mar da Palha.

A requalificação da praça onde hoje atracam os barcos da Transtejo só acontecerá mesmo quando o projeto da “Cidade da Água” avançar, com a criação dos terminais na doca 13 e quando o metro deixar de ir a Cacilhas.

Para lá do Ginjal, na direção oposta de Cacilhas, a frente ribeirinha continua e Joaquim Judas também tem planos. A começar pela zona do Olho-de-boi depois do elevador panorâmico sobre Lisboa.

“Há uns armazéns que eram da Companhia Portuguesa de Pescas. Temos tido contactos com as Finanças sobre a viabilização e reabilitação daquela área”. Um projeto que pode concretizar a ideia de uma estação para acolher o barco de investigação oceanográfico, em articulação com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Nós aqui temos o Ginjal.

Nós aqui temos isto.

Texto: Alda Martins in Expresso

Foto: Ana Baião

MadonnaComporta

DIZ QUE A MADONNA ANDOU PELA MARGEM SUL

gostamos 1

Não se fala noutra depois da conquista do tetra (desculpem não resisti, que ainda aqui não tinha manifestado tamanha felicidade – o Benfica lá nos deu mais um título e mais uma alegria), mas voltemos ao tema que aqui nos trouxe. A Madonna esteve (ou ainda está, não sei!) em Lisboa e não resistiu a vir dar uma perninha à margem sul.

Sim, a conhecer este mundo e o outro a estrela da pop sabe o que é bom, e por isso não se perde. Onde é que ela veio pedir para o seu filho dar uns toques na bola, onde, onde? No centro de estágios do Seixal, mais conhecido por Caixa Futebol Campus. É toda uma emoção. Diz-se também que ela passou ali na praia do Seixal – que fica ali à beirinha do campus. É isso mesmo Madonna, vamos lá pôr um pezinho que a malta daqui sabe aproveitar todas as abébias que as praias dão. Nós aqui, também lá vamos.

PraiadoSeixal

Nós aqui na praia do Seixal

Mas, as perninhas da Madonna não ficaram só pelo Seixal, outro destino de eleição aqui da South Bay foi a Comporta, para uma boa praia, um bom almoço, uma boa viagem cavalo. A escolha dificilmente seria melhor, mas quem sabe, sabe. E a Madonna é que sabe.

MadonnaLSBb

Madonna és sempre bem-vinda, nós aqui gostamos de ter por cá. Madonna, you rocks!

Nós aqui, temos a visita da Madonna.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotos: Instagram Madonna

bullying

10 SINAIS DE QUE O SEU FILHO É VÍTIMA DE BULLYING. Por Helena Gonçalves Rocha

Helena

Em  1994 iniciei a minha monografia de fim de licenciatura para a qual escolhi o tema “ Bullying – agressividade no espaço escolar” sob a orientação do Professor Carlos Neto na Faculdade de Motricidade  Humana. Na altura sempre que me perguntavam sobre o que versava a tese, tinha de repetir e explicar várias vezes o conceito. Recordo como foi desafiante este projeto desenvolvido nas escolas problemáticas da Grande Lisboa com cerca de 700 estudantes. Davam-se os primeiros passos neste alerta que vinte anos mais tarde é sobejamente conhecido por todos, pais e alunos.

No entanto, creio não ser demais lembrar a importância que deveremos dar ao bem estar dos nossos filhos no território escolar. Será que algum dos sinais de alarme que listo abaixo se enquadra no seu filho? Se assim for, o seu  filho pode estar a ser vítima de bullying. Todos nós temos esperança que os nossos filhos nunca sejam vítimas de bullying ou Bullies, ou seja agressores, porém este fenómeno está cada vez mais presente nas nossas escolas. E é também verdade que muitas das crianças vítimas de bullying não pedem ajuda, como tal é muito importante conhecermos os sinais de alarme.

bullying

10 Sinais de que o seu filho é vítima de bullying na escola

#1  Dificuldade em explicar ( ou não consegue mesmo explicar) lesões ou o aparecimento de lesões ou feridas recorrentes;
#2  Desaparecimento de pertences ou aparecerem estragados ( inclui peças de vestuário, livros, brinquedos, equipamento eletrónico, etc);
#3  Sentir-se frequentemente doente ou fingir-se doente ( exemplo: dores de cabeça frequentes ou dores de barriga);
#4  Alteração dos hábitos alimentares ( inclui “saltar” refeições, comer compulsivamente, regressar da escola cheio de fome porque não comeu o almoço, etc);
#5  Pesadelos frequentes ou outro tipo de alteração do sono;
#6  Não querer ir à escola ou apanhar o autocarro, perda de interesse nos trabalhos escolares ou tirar notas abaixo do habitual;
#7  Evitamento de situações sociais repentinamente ou perda de amigos;
#8  Começar a fazer bullying com um irmão mais novo ou miúdos mais novos ( muitas das vezes começam por imitar e mimetizar aquilo que está a acontecer com eles próprios);
#9  Sentir-se inseguro, diminuição da auto-estima ou outro tipo de alteração de personalidade ( incluindo ficar mais reservado ou triste);
#10  Apresentar comportamentos auto-destrutivos ( exemplo: auto-mutilação, julgarem-se culpados de tudo, tentar fugir de casa ou falarem em suicídio).

bullying

Estratégias para lidar com o Bullying
É importante referir que nem todas as crianças vítimas de bullying irão revelar estes sinais específicos. Lembre-se que o seu filho pode não lhe querer dizer que está a ser vítima de bullying. Porém se você  acha que isso está a acontecer, não ignore a situação e  aja!

Quer ache que a sua criança está a ser vítima de bullying quer não ache, o melhor mesmo é conversarem sobre este assunto. A comunicação é o pilar da relação e é muito importante que o seu filho perceba que está ali para o ouvir, incondicionalmente. Conforme o vai ouvindo, a confiança entre vós vai crescendo e ele perceberá que tem em si um Aliado com o qual pode contar.

Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

PraiadeALburrica

“MARGEM SUL DO TEJO PREPARA OFERTA DE QUASE 1000 QUARTOS”

gostamos 1

A Alda Martins no Expresso escreve um artigo com boas notícias para a margem sul. Nós aqui não quisemos deixar de o partilhar.

Vários municípios da margem sul do Tejo estão a preparar-se para aumentar a oferta hoteleira. Entre os projetos em curso e os que ainda necessitam de financiadores são quase mil quartos que podem ficar disponíveis para receber turistas em Almada, Seixal, Alcochete e Montijo nos próximos anos.

O arranque das obras no âmbito projeto Lisbon South Bay — que contempla áreas em Almada, Seixal e Barreiro com vista à reabilitação do Arco Ribeirinho Sul — e o aeroporto, cuja localização prevista é o Montijo, serão determinantes para que esta oferta se materialize.

A visão turística do presidente da Câmara do Seixal contempla vários hotéis, alojamento local, a construção de uma ponte pedonal de ligação ao Barreiro (um projeto conjunto dos dois municípios) e a aposta na náutica de recreio.

É na baía do Seixal que o autarca deposita mais expectativas. “Queremos que constitua um espaço turístico, de lazer e recreio”, disse ao Expresso Joaquim Santos. Acresce a Península — Pontas dos Corvos — que é uma zona ecológica e a “única praia fluvial virada para Lisboa”. Com os problemas na água, provocados pela construção da Estação de Tratamento de Águas Residuais (ETAR) de Almada, quase resolvidos, o autarca acredita que em dois anos terá novamente classificação de qualidade balnear.

“Acho que neste espaço temos a possibilidade de desenvolver um eco resort com um centro de desportos náuticos.” Um projeto no qual o Campismo de Lisboa já manifestou interesse.

 

 

PropostaHotelaria

 

Já na antiga seca do bacalhau está em fase de licenciamento, por parte da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional (CCDR), um hotel do grupo Salvador Caetano.
“Qual é o hotel em Lisboa onde você chega de barco? Este será o primeiro.” Sem revelar o nome, o autarca assegura ainda que há um grupo interessado na construção de um outro hotel na antiga fábrica corticeira Mundet, onde já existe um restaurante.

Quem também anda à procura de um parceiro para o hotel na herdade Monte Verde é o grupo Silveira (SIL). Acresce o desejo de construção do hotel Benfica, junto ao centro de estágio do clube no Seixal: “Só falta um investidor.” E projetos de menor dimensão como o hotel do Largo dos Restauradores.

Seguindo pela margem sul do rio em direção a norte, a 33 quilómetros do Seixal, encontramos Alcochete. O presidente da Câmara, Luís Miguel Franco, é mais um descontente com a localização do futuro aeroporto no Montijo, que assegura não estar fechada. Desde 2001 a população de Alcochete passou de 12 para quase 19 mil habitantes.

Com uma frente ribeirinha de cerca de 11 quilómetros, a aposta no turismo também se tem intensificado. “Nos últimos anos estamos a transformar os visitantes em turistas — criando condições para que pernoitem, pelo menos, uma noite.”

Desde 2015, apesar do patamar ainda ser incipiente, houve um crescimento de turistas de 21% e um incremento muito grande de visitantes, que fazem com que a principal atividade no centro histórico seja a restauração.

Um crescimento que justifica mais oferta de alojamento no município, como o resort Praia do Sal, “que também permite requalificar parte da zona ribeirinha” e está em fase final de construção. E o hotel de turismo rural Barroca d’Alva.

Mesmo ali ao lado, no Montijo, o presidente da Câmara Nuno Canta tem uma posição diferente sobre o aeroporto: será construído na base aérea nº 6 e o sector hoteleiro já sondou a Câmara, concretamente o grupo Accor, que detém as cadeias, Ibis, Novotel, Mercure, & Sofitel.

Voltando a caminhar no sentido da foz do Tejo, a meio do caminho entre Almada e Montijo, encontramos o Barreiro. O cariz historicamente industrial da cidade retira-lhe potencial turístico. Menos assim o presidente da Câmara, Carlos Humberto de Carvalho, acredita que é possível atrair turistas para a cidade.

“Temos um património industrial único no país, apesar de muito abandonado”. São sete moinhos, de vento e maré, na zona de Alburrica que a Câmara quer recuperar. Além disso, “comprámos uma quinta de 12 hectares na zona ribeirinha, a do Braamcamp — antiga plantação de amoreiras para a criação do bicho-da-seda — por €3 milhões, e queremos potenciar os espaços urbanos, a frente de rio e as atividades náuticas”. As obras são para começar já este ano até porque, à semelhança dos moinhos, há fundos comunitários envolvidos. “É indispensável olhar para a região como uma cidade de duas margens, em que o Tejo é assumido como elemento motor do desenvolvimento”, refere.

Neste sentido, a Câmara resolveu recriar a “Muleta”, uma embarcação tradicional dos pescadores do Barreiro de há 100 anos e que servirá para transportar turistas entre as duas margens do rio. Ao lado, no Seixal, a embarcação o “Varino” está a testar a mesma ideia desde 22 abril.

Em Almada, o primeiro hotel projetado para a “Cidade da Água” continua como todo o plano Lisbon South Bay, à espera do Governo.

Texto: Alda Martins in Expresso