A SUL DA MARGEM SUL. Por Catarina Laborinho

A SUL DA MARGEM SUL. Por Catarina Laborinho

MOZ

É verdade, este ano, mais uma vez viemos até sul, mas quando digo sul, é sul mesmo, viemos até MOZ, MOZambique :)

Viemos num mix de emoções, viemos em trabalho e lazer, que não deixa de ser um dois em um que no fim acaba por saber tudo ao mesmo. FÉRIAS. Por aqui o dia começa MUITO cedo, o dia nasce antes do cantar do galo e às 8 da manhã já estão 30 graus. As crianças e alguns pais entram às 7 e a hora de ir para a cama é às 21h. Em Portugal seria algo impensável visto que o Sol começa a dar o ar da sua graça tarde. Eu pelo menos, nunca consigo sentar-me para jantar antes das 20.30 e ficam a faltar banhos e afins. Por aqui é tudo bem diferente e quem por aqui vive ou já viveu, sabe bem o que estou a dizer.

Maputo é uma cidade de emoções, de constante crescimento. Desde a última vez que estive aqui, há sensivelmente um ano e pouco, a cidade cresceu de uma forma galopante com o nascer de um shopping, às novas lojas e cafés, esta cidade está a crescer de dia para dia, mas para melhor. Os acessos à tão emblemática Ponta do Ouro já se fazem praticamente em auto-estrada (confesso que não sei se é bom) pois antes só se aventuravam os que tinham jipe e costas para isso, eram 4 horas de picada em TT. Picada PURA, aquilo era dose. O que safava a viagem era que lá se apanhavam umas girafas, uns macacos e uns elefantes a meio caminho… mas doía.. e muito.

Já para Norte a estrada é sempre a mesma, façamos 1 hora de viagem ou 12, só há uma estrada, a única que dá acesso a toda a costa. Costa = Praia Paradisíaca. Claro que fomos à Praia. Por cá demoramos no mínimo 1 hora a chegar, mas vale cada minuto de viagem!

Por aqui tudo é diferente, a cor da terra, o pôr-do-sol, a fruta, o acesso às coisas giras e diferentes… É uma cidade culturalmente forte, onde existem bastantes “marcas” nossas espalhadas por toda a cidade e onde, os portugueses que por aqui vivem, ajudam a alimentar esta cultura TUGA.

A SUL DA MARGEM SUL. Por Catarina Laborinho

As Catarina’s, Laborinho & Arnaud

E foi exatamente uma TUGA, amiga do amigo da amiga que vim encontrar, mas não é uma TUGA qualquer, é uma Tuga da Margem Sul, a Catarina Arnaud. A Catarina veio para MOZ há 5 anos quando o marido (também nascido e criado na margem sul) foi destacado para cá, desde então a vida dela deu uma valente reviravolta. No início não adorou isto, mas acabou por se render às maravilhas do que é viver aqui neste sul. Tal como a Catarina, por aqui há imensa malta da Margem Sul. Não é por acaso que quando a Diana Piedade esteve aqui em Maputo a dar um concerto, no fim quase foi “obrigada” a cantar a tão nossa “Margem Sul State of Mind”.

Sem nenhum projeto na algibeira a Catarina virou-se para os tecidos. Por aqui, a panóplia de tecidos é de deixar qualquer um de queixo caído. As tão famosas capulanas de todas as cores e feitios levam à loucura qualquer mulher… há para todos os gostos o que permite dar largas à imaginação.

A Catarina optou pelas malas, sacos, mochilas, pochetes, clutch, carteiras, etc, etc. Quando cheguei tinha um presente muito especial da minha Amiga Leila, era uma mala com o padrão de ZEBRA (adoro Zebras), e claro foi a Catarina que a desenhou, no mesmo dia disse-lhe, “quero ir ver mais!!!“ e lá fomos.  O showroom é na sua casa, onde fiquei maravilhada quer com a vista desafogada para o Índico, bem como com a oferta, cores e texturas com que a Catarina encheu os meus olhos. Os sacos são feitos de tecidos/capulanas mas o resto é de pele, os formatos variam entre tamanho e funcionalidade. A vantagem daqui é que tudo é possível, basta para isso imaginar e a Catarina faz, e foi isso que aconteceu com a minha mala. A Leila queria um modelo que utilizo com regularidade e a Catarina fez. Quick and simple.

A SUL DA MARGEM SUL. Por Catarina Laborinho

O difícil é sair de lá com poucas malas, porque é obvio que nos apetece trazer TUDO, mas para deixar a porta sempre aberta, a Catarina remata: “antes de ires embora passa cá, porque vou receber outra encomenda!” Oh Catarina, achas que podes não me enterrar mais?!?! porque nós aqui queríamos trazer TUDO, TUDO.

A SUL DA MARGEM SUL. Por Catarina Laborinho

Para quem gosta da simplicidade esta cidade é mágica, tem recantos com o seu glamour, como tem a simplicidade do caju vendido no meio da rua. É o típico 8 e 80, onde tudo faz parte de um “processo” e onde o nosso “stress” não lhes faz confusão, porque eles não são definitivamente como nós, por isso resta-nos baixar as rotações e entrar no ritmo.

Mas têm sem sombra de dúvida uma coisa bem melhor que a nossa, seja a que horas for, entremos onde quer que seja, temos um sorriso na cara. Seja o segurança que nos pergunta se descansámos bem, seja a Srª da bomba de gasolina que nos diz “Bom dia” com um sorriso de orelha a orelha pelas 5 da manha, seja o funcionário do supermercado que fica pasmado quando lhe perguntamos o que fazer com aquele fruto, mas que em menos de nada aparecem mais 3… se há coisas que temos que aprender, é sem dúvida, olhar em redor e levar daqui estes pequenos e maravilhoso momentos.

Nós aqui estamos em MOZambique
Nós aqui adoramos isto

Textos e Fotos: Catarina Laborinho
Malas e afins: Catarina Arnaud

GinjalTerrasse

AINDA SOBRE O GINJAL…FESTA DOS ANOS 90. ALINHAS? 30 de março. Por Marlene Gaspar

gostamos

Preciso de algum ânimo, porque estou furiosa com a greve da função pública amanhã que me vai transtornar a vida, mas é para isso que uma greve serve – para transtornar a vida às pessoas, certo? Desculpem se ofendi alguma suscetibilidade, mas estou sem filtro, não estou para amar, e por isso valha-me a notícia de um grande festão, para me dar algum alento, neste momento cinzento.

Posto isto, vamos ao que interessa – ao forrobodó que vai ser uma festa dedicada aos êxitos dos anos 90 no Cais do Ginjal (mais propriamente no Ginjal Terrasse), em Cacilhas, a 30 de março, sexta-feira.

São êxitos dos anos 90, ou seja, estes eu devo conseguir trautear a maior parte das músicas e apesar da festa só arrancar às 23 horas, hora que começo a bocejar, mas que aguento até vá lá para as 00:00h, ou 00:15h, mais coisa menos coisa, mas para quem é valente a cena vai durar até às 5h da manhã. O que é muito oportuno para quem vem da big city, porque o primeiro barco do dia em direção a Lisboa parte às 5h20. Sem stress de conduzir com álcool é só mesmo a cena de aguentar o enjoo, afinal “cacilhar” é isso mesmo. Mas vocês são fortes, não é malta? Afinal a entrada  entrada é livre e a malta precisa de diversão. Quem alinha?

Nós aqui temos festa dos anos 90.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fonte: NiT

Ginjal

O QUE VAI SER DO NOVO CAIS DO GINJAL? Por Marlene Gaspar

 gostamos
Vai ser um espaço com uma nova cara. É desta que foi revelado o que vai acontecer no Cais do Ginjal. Das ruínas à nova construção temos planos, muitos planos que vão seguramente mudar este luar mágico.
Se o Cais do Ginjal é mágico com um ar degradado, imaginem como ficará quando estiver reabilitado. Já foi um dos principais pontos de indústria e comércio da região com armazéns de vinho, fábricas ligadas às conservas e espaços de apoio à frota pesqueira e neste momento pouco resta para contar história. Mas, ao que parece vai avançar um Plano de Pormenor que lhe vai dar uma nova cara.
Ele vão ser casas, hotéis, lojas, restaurantes, praças e um passeio marítimo à séria. Diz que a construção do projeto imobiliário arranca ainda este ano, mas vamos estar cá para ver. É desta que a South Bay vai-se tornar os Hamptons? Esperemos que se assim for, seja só a parte boa, porque há sempre prós e contras. E uma boa, é que tendo em conta as alterações climáticas e consequente subida do nível das águas, a altura do cais vai ser elevada em um metro – para maior segurança. Mudar causa sempre algumas resistências, mas eu aqui, acredito que será para melhor, porque mudar, é normalmente, bom.
Nós aqui vamos um novo Cais do Ginjal.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Foto: João Freitas Farinha Sapo
Fonte: NiT
youtubers

BATALHA DE YOUTUBERS VAI SER NA MARGEM SUL. Por Marlene Gaspar. 28 de março

gostamos 1

Esses seres “estranhos”, aka youtubers que se tornaram ídolos de muito boa gente e que produzem conteúdos (alguns bons, mas bons outros que são como comer cuspir na sopa) com mais visualizações do que muitos programas de TV, vão partilhar ideias e momentos únicos, e tu vais poder lá estar, assistir, trocar bolas e ainda podes jogar os teus jogos favoritos, porque há consolas para isso.

A Youbattle on Tour 2018, no dis 28 de março, às 10h da manhã no Centro Cultural e Juvenil de Santo Amaro, no Laranjeiro. A entrada é livre, mas quando não couber mais uma agulha, que é como quem diz, quando a sala estiver cheia, já não dá para entrar.

E tu estás in ou estás out?

Nós aqui temos batalha de Youtubers.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Correrchuva

PLANO B PARA O FIM DE SEMANA NA MARGEM SUL. Por Marlene Gaspar

corremos

Os planos que eu tinha para o fim de semana parecem-me estar arruinados pela pluviosidade que se fez anunciar e que se prevê encharcar tudo e todos para além do próximo domingo. O país agradece, e eu estou na primeira fila a erguer as mãozinhas para o céu por isso. Só lamento não ter um comando com as funções “start” e “stop” para a chuva para poder escapar ao caos que é provocado no trânsito por causa deste fenómeno e para conseguir cumprir o que estava programado ao ar livre – a sessão de Surf Paddle e a mini maratona! Mas não, a chuva é temperamental, é quando lhe dá na telha e está nem aí para quando é que me dá jeito.

mapafimdesemana

Para ser totalmente honesta estou a atravessar uma espécie de mix feelings com isto. Por um lado sou atravessada pela frustração e a sensação de objetivo não cumprido, por outro, e a sensação de alívio por não ter que lidar com os meus receios e esforço para cumprir as metas que defini. Pronto, assumo. Não tenho essa bola toda. Gostava. Mas, há que encarar as coisas com frontalidade.

Já sei que estão a pensar: és uma flor de estufa e não aguentas uns choviscos numa corrida nem te aguentas firma e hirta numa prancha no rio! E estão a pensar bem. Sou um bocadinho de cristal, e fisicamente tenho algumas fragilidades. Sim, começo a pensar no percurso da ponte a levar com pingos durante 7 km e a regressar nos transportes com a roupa colada até ao corpo e a entrar-me pelas entranhas a dentro e pow. Direitinha à cama. Em relação ao Surf Paddle, o alívio é só temporário que a Rossana já me disse que a sessão que aqui anunciei vai ser adiada, porque o mau tempo não dá garantias de segurança (afinal não sou só eu a piegas). Quanto à travessia da ponte, se não for desta, para o ano há mais. Ainda bem que já tive a experiência.

Calma, não estou a deitar a toalha ao chão, mas há que assumir as coisas com frontalidade e deixar-me de fufus e gaitinhas. Se não houver jogging ou surfing, há “mapling” que é basicamente uma maratona de sofá (aka maple), com visionamento de filmes (ui e há tantos na fila), com uma boa dose de gordices a acompanhar. Eu sei que isto é radical e é o extremo oposto do programa saudável e desportivo que estava planeado. Mas, a culpa é de quem? Do S.Pedro. Minha é que não é!

Nós aqui temos planos B.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

BungeeJumping

CENA PARA FAZER NA MARGEM SUL PARA QUEM OS TEM NO SÍTIO. 10 março. Por Marlene Gaspar

gostamos 1

Gostas de te armar aos cágados e tens uma grande taxa de bazófia ou és daquele que o medo a ti é uma cena que não te assiste? Eu, por muito que me custe não pertenço a este último grupo, e a aventura para mim tem demasiados limites. Sou um bocadinho mariquinhas com cenas dadas ao radical, mas lá por eu ter miaufa, não significa que vocês aí desse lado sejam deste calibre.

Para os corajosos, que gostam de curtir grandes emoções e sentir a adrenalina a subir-vos pela espinha, tenho a sugestão perfeita para um programa na margem sul – uma sessão de Bungee jumping. É isso mesmo, mandares-te de cabeça a partir do Elevador Panorâmico Boca do Vento, em Almada, com uma vista do caraças para o Cristo Rei, a Ponte 25 de Abril e Lisboa.

O dia para te atirares é o 10 março, entre as 10 e as 17 horas. Custam 50€ por pessoa. Deves inscrever-te através do email luispinto.extremos@gmail.com e podes saber mais aqui. Ah, esta cena do medo não era para intimidar. Isto é tudo muito seguro, eu é que sou assim, pr’ó dramático. Tu saltas bem, sem medos.

Nós aqui temos Bungee jumping.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

maratona

mini MARATONA NA 25 DE ABRIL TEM MAIS UMA ATLETA. 11 de março. Por Marlene Gaspar

corremos

Acabei de me inscrever na mini maratona da Ponte 25 de Abril para o dia 11 de março. Pow, sem medos, sem dúvidas ou hesitações e pensei, vou já divulgar este evento ao mundo, porque quem ainda não passou a ponte pelo seu próprio pé não merece o chão que pisa. Ok, não preciso ser tão dramática, mas é só porque acho que é uma experiência que tem de se fazer. E se não metem pé ao caminho para isso, a responsabilidade é inteiramente vossa. Depois não digam que não avisei. São uns meninos!

Foi o ter começado este blog que me obrigou em 2016 fazer esta experiência, o que repeti no ano seguinte, e cá estou eu “linda, livre, leve e solta, pronta para deitar os bofes pela boca”. Mais uma vez, estou a ser dada aos exageros, mas já me conhecem. Sim, todos estes adjetivos são uma hipérbole assumida, para me dar alento a mais uma prova, que pretendo superada.

Este entusiasmo caiu por terra quando fui ver o que vos escrevi o ano passado, que resumindo estava triste por não ter cabedal para me atirar à meia maratona e em baixo de forma. E um ano depois, não só a situação se mantém, como piorou, porque claramente não tenho ido aos treinos. Mas isso não me abala, minha gente.

Porque o que eu sei é que não estou sozinha nisto, e por isso quem é que me acompanha nesta aventura? Dia 11 de março temos a mini maratona (7 km) e a meia (21 km) para os mais corajosos. Podes fazer a inscrição aqui, e se posso dizer que há alguma coisa onde não fui dada a exageros nesta conversa é a experiência inesquecível de passar a ponte pelo nosso próprio pé. É do cara#%&$%/ças.

Nós aqui passamos a Ponte 25 de abril.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Screen Shot 2018-02-26 at 15.43.56

MARÇO JOVEM, É A TUA CENA. Por Catarina Laborinho

aplaudimos

O mês de Março está à porta e com ele vai chegar mais uma vez o MARÇO JOVEM 2018 promovido pela Câmara Municipal do Seixal.

E perguntam vocês, e isso é?

Pois é, vai ser um mês sem parar com atividades para os mais jovens que virá animar as escolas secundárias do concelho, bem como alguns espaços públicos com concertos, danças, desportos náuticos e radicais, stand-up comedy, workshops e muito, muito mais.

A primeira escola a abrir este mês vai ser a Escola Secundária Dr. José Afonso, mais conhecida por “Cavaquinhas” (pelo menos no meu tempo) já na próxima segunda-feira dia 5 de Março, depois o meu querido Fogueteiro (saudades desses tempos… isto não volta mesmo para trás?!?!), no dia 6… e assim sucessivamente. Todos os dias uma atividade numa escola perto de nós.

Para conhecer o programa completo clique aqui.

imagem_900x506

Se num destes dias, a meio do dia, ligar ao seu filho(a) e achar que está numa festa, é verdade, mas a festa é mesmo na escola 😉 Toca aproveitar este mês que vai chegar carregado de coisas girase ajudar a carregar energia a meio do ano letivo.

Nós aqui temos o Março à porta
Nós aqui temos isto

Texto: Catarina Laborinho
Fonte e Foto: Câmara Municipal do Seixal.

Mercado biologico

MERCADO BIOLÓGICO EM ALMADA. É VENDER SAÚDE. Por Marlene Gaspar

degustamos

A PDI faz-nos repensar velhos hábitos e mostra-nos que por muito estragos que possamos fazer com gordices e alguma indulgência que faz parte, há que procurar um equilíbrio e adquirir hábitos mais saudáveis. Em jeito de Valentine’s aqui vai o que mais vos desejo – saúde. Da boa.

Na minha infância comi muita sopinha com ingredientes cultivados pela minha família e muita frutinha apanhada das árvores sem qualquer tratamento. Deve ter sido isso que me ajudou a superar os quilos de Tulicreme que emborcava a ver séries no Agora Escolha, como o Perry Mason ou os 3 Duques. O “Kit Amigão” na versão brasileira e na original (a preferida) também dava para mandar abaixo bombocas e belinhas. Se não sabes o que isto é nasceste neste milénio, certo? Hoje em dia procuro uma alimentação muito mais saudável e consigo ver no meu corpo os benefícios disso mesmo, mas mais uma vez, não sou fundamentalista, e por vezes, não há nada tão compensador como um bife com batatas fritas.

Mas para poder cometer estes devaneios, há que compensar de alguma forma, por isso elejo sempre que posso os produtos biológicos. Estou tão contente por saber que todos os sábados de fevereiro, a partir das 9h na Praça MFA e às 4ªfeiras no Largo Alfredo Dins, a partir das 14h há mercado de produtos biológicos em Almada, com uma seleção de produtores biológicos da região. Podemos encontrar fruta, legumes, azeite, mel ou vinho. Verdadeiras maravilhas que me enchem de felicidade e que são ingredientes sem os quais não se vive cá em casa. Para os mais incrédulos e desconfiados, os produtos são certificados.

Podes então aviar-te no Mercado Biológico de Almada. De que é que estás à espera?

Nós aqui temos Mercado Biológico.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

darsangueLSBb

O SANGUE A CORRER NAS VEIAS PODE-SE DAR! SEIXAL. Por Marlene Gaspar

gostamos

Tens sangue a correr nas veias? És saudável e tens entre os 18 e os 65anos de idade. E tens 50 ou mais kg? Então que tal seres um dador desse líquido tão precioso? É que dar não dói e é um um ato livre, seguro e simples.

Em vésperas de S. Valentim é um ato de amor com os outros e mostra o tamanho do teu coração a fazer o bem. Eu ando sempre ali no limbo do peso (eu sei que parece género, mas sou pequenina e compacta), mas na verdade já fui aconselhada a ter um banco próprio, dado ser uma ave rara com o sangue que menos pessoas têm! Em caso de necessidade (e esperemos não ser preciso), é bom poder contar com esta dádiva.

A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens. Para uma primeira doação o limite de idade é aos 60 anos.

Este é um ato gratuito, mas que a recompensa é muito maior que um valor monetário. Tens várias sessões a aí à porta, organizadas pela Associação de Dadores Benévolos de Sangue do Concelho do Seixal.
Próximas sessões

11 de março, domingo
Sociedade Musical 5 de Outubro
Largo D. Paio Peres Correia, Aldeia de Paio Pires

18 de março, domingo
Auditório do Mercado Municipal de Fernão Ferro
Rua Luísa Tody, Fernão Ferro

Nós aqui temos dadores de sangue.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar