_RR_0967v1_JR

ENTREVISTA COM #ANA GARCEZ

#SIGLA 1

com ANA GARCEZ

Ana Garcez, Professora de Educação Musical, Música, Terapeuta em Medicina Celular e Musicoterapeuta em pacientes da Unidade de Dor com patologias de dor crónica oncológica e não oncológica e, em fase paliativa.

É ainda coordenadora do Polo Artístico do Colégio Arte Mágica e nessa qualidade que falamos com ela.

O Lisbon South Bay blog foi ao seu encontro, no Colégio Arte Mágica, na Verdizela, onde também dá aulas e com ela tocámos neste blog.

Vamos então ouvir… isto!

Fotografia: Joel Reis
O Lisbon South Bay Blog agradece ao Colégio Arte Mágica:

Captura de ecrã 2016-01-21, às 11.38.46

Rui Tomás, um Empreededorismo de sucesso

NÓS AQUI, FALÁMOS COM O #EMPREENDEDOR RUI TOMÁS.

#SIGLA 1

Nós aqui falámos com o #empreendedor Rui Tomás, fundador e CEO da EKG Science Medical em 2009.

Uma empresa que se dedica à importação, comercialização e assistência técnica de produtos e equipamentos médico-hospitalares de Diagnóstico e Terapia, na área da Cardiologia.

Conta com uma equipa jovem, dinâmica e altamente qualificada, pronta a responder aos desafios e necessidades de clientes e parceiros.

A aposta na qualidade do serviço que presta materializa-se na garantia de assistência técnica pós-venda de todos os produtos e equipamentos por eles comercializados. Para isso dispõe de um departamento técnico altamente qualificado e equipado, que garante a rapidez e a qualidade do serviço.

O Lisbon South Bay blog foi ao seu encontro, na sua empresa no Funchalinho, onde com ele falámos neste blog.

Vamos então falar sobre… isto!

Nós aqui temos empreendedor .

Nós aqui temos isto.

empreededorismo

SER #EMPREENDEDOR É PRECISO.

apoiamos educacao 3

Raramente as ideias surgem de repente da cabeça de uma só pessoa. Elas são resultado de várias conexões e levam algum tempo para ficarem prontas. O lado bom é que o ambiente em que vivemos nunca foi tão fértil para isso.

Steven Johnson

Ser ou não ser empreendedor eis a questão.

Sempre admirei as pessoas empreendedoras, que vão à luta, que fazem acontecer coisas. E sempre achei ser uma delas, mas até um certo limite.

Quero com isto dizer que sempre me empenhei nos projetos dos quais fiz parte. O brio profissional e o sentimento de não falhar felizmente sempre me acompanharam e vão continuar a acompanhar. Está no DNA. Mas pensar num negócio próprio, arriscar em criar algo inovador, estava distante. Sempre foi uma coisa que eu achava que era para os outros.

Confesso que sempre tive alguma inveja desses outros, de quem arriscava, deixava tudo, saía da zona de conforto e se atravessasse no desconhecido. Mas, isso era para os outros. Não era para mim.

Por isso também fui ficando na inércia e no marasmo de me deixar ir nas coisas que me aconteciam. Se estava feliz, sim, eu achava que sim e portanto não sofria com isso.

Mas, um dia essa comodidade de quem não tem de se preocupar com isso deixou de acontecer e “apareceu-me à minha porta”. E, foi “mal educada”, porque não se vai a “casa de ninguém sem avisar”! Parou tudo! Tinha acabado de saber que tinha de procurar emprego por necessidade e não porque queria mudar (não que esta situação não fosse verdade, mas a inércia e a ilusão de conforto, aguardava que essa oportunidade viesse ter comigo e, essa sim, eu até não ficaria ofendida se fosse “mal educada” e, entrasse sem avisar!).

Pois é, a perspetiva muda. E nós também temos de mudar. Somos obrigados e forçados a isso. Se essa mudança é rápida? Leva o tempo que é preciso. É um processo. Um processo que atravessou várias fases e que se foi desenhando paulatinamente até ganhar uma forma consistente.

E é aí, que um culminar de situações e acontecimentos nos obrigam a pensar de forma diferente e a arriscar. A Catarina e o Joel são “o lado que eu admirava” e foram inspiradores quando nos juntámos. O universo tem destas dádivas e estou-lhe grata. Grata por as coisas não nos caírem de mão beijada, mas as circunstâncias colocarem-nos à prova e quando essa é superada voltam a dar-nos “borboletas na barriga”, a escarrapachar um sorriso de orelha a orelha, daqueles em que não conseguimos desfazer, que parece que o músculo ficou preso e na nossa cabeça só ecoa Yes, Yes, Yeeeeeeeeees.

empreededorismo

Foi assim que o Lisbon South Bay blog surgiu nas nossas vidas e é assim que o temos recebido. Somos gratos por isso.

Nós aqui empreendemos n’isto.
Nós aqui temos isto.

Screen Shot 2016-08-18 at 17.59.25

BEM-VINDOS AO LISBON SOUTH BAY blog

noa aqui mostramos

Podia ter sido só mais uma conversa de café entre duas amigas, mas tornou-se mais, foi muito mais que isso.

A experiência profissional da Catarina é na área de design e a minha (Marlene) na comunicação e no marketing. No verão de 2015 os nossos caminhos ficaram mais próximos e conversa puxa conversa acabámos por descobrir que havia muito mais que nos unia do que nos separava. Somos praticamente vizinhas, mas vivemos em concelhos diferentes – uma na Aroeira (Almada) e a outra na Verdizela (Seixal). É aqui que usufruimos da ambicionada “qualidade de vida”, proporcionada pelos recursos disponíveis da região (ah, e pelo nosso otimismo, claro!).

Um projeto aqui, uma conversa ali, uma opinião, um parecer fez com que achassemos que podíamos fazer alguma coisa juntas. Uma desafiou a outra a pensar nisso e rumámos às merecidas férias em família.

E, de repente, a notícia da nova designação Lisbon South Bay criada por três concelhos da margem sul deu forma à ideia:

– E se fizéssemos um blog para conhecermos e dar a conhecer as “maravilhas” da “margem sul”? Um blog que consiga ir mudando a percepção dos comentários redutores e, por vezes, preconceituosos sobre a região? Mostrar que são infundados e permitir que mais pessoas tenham acesso ao que é verdadeiramente bom? – desafia uma.

– Eh pá, isso faz todo o sentido. – aceita prontamente a outra.

– Temos de pensar num nome.

– Lisbon South Bay blog. Queres mais simples e direto?

– Sim, mas imensa gente criticou isso!

– E depois? Há sempre alguém que critica tudo e mais alguma coisa. Nós gostamos, “puxa a zona” para o lugar que ela merece. Vamos fazer da Lisbon South Bay os Hamptons!

– Vamos.

Este diálogo e os que se seguiram davam um livro, mas vamos querer que os descubram diariamente e nos ajudem a encontrar e a revelar o melhor que aqui temos. Nós aqui, temos isto: agenda, cultura, gastronomia, turismo, desporto, lazer, serviços, conversas, atividades, indústria, comércio, lugares onde ficar, visitar. AQUI, na Lisbon South Bay.

Nós aqui queremos que vejam isto.

Nós aqui, temos isto.

Ph: Joel Reis