caparica

A LENDA DA CAPARICA. Por Victória Gaspar Tomás

gostamos 1

As aulas já começaram e se há coisa que aqui em casa não falta é entusiasmo por causa disso. Apesar de muitas novidades e alterações da rotina, estamos num novo ano lectivo e nós aqui em casa aprendemos todos os dias.

E hoje foi dia de aprendermos coisas que não fazíamos ideia. A Victória aprendeu hoje a história da origem do nome “Caparica” que é tão presente na nossa margem sul: Costa da Caparica, Monte da Caparica ou Charneca da Caparica. Como para mim foi uma novidade, acredito que para muitos de vós também o seja, e por isso, nada como deixar ser a Victória  a contar a lenda como a aprendeu, e por isso aqui vai o seu texto:

Era uma vez uma menina que fazia tudo sozinha e não tinha amigos e os outros chamavam-lhe Mulher Louca. Então ela começou a usar uma capa e quando ela morreu escreveu um papel para o rei, o rei pegou na capa e viu que ela estava pesada e viu o que tinha lá dentro e tinha Moedas de Ouro e declarou que a partir de agora aquela capa se chamava CAPA RICA e assim o nome é CAPARICA. Victória, 7 anos. 

caparica

Acrescento aqui o que não se pode ler neste texto, que é o sorriso de orelha a orelha da minha princesa a contar esta história. E nós aqui, adoramos sorrisos destes.

Nós aqui temos a lenda da Capa rica.
Nós aqui temos isto.

Texto: Victória Gaspar Tomás
Texto introdutório: Marlene Gaspar
Foto: Isabel Pereira

Screen Shot 2018-09-19 at 12.18.48

FERTAGUS PROMOVE O SEIXAL ATRAVÉS DE NOVAS CARRUAGENS. Por Catarina Laborinho

APOIAMOS 1

Quando falamos no Seixal, os nossos olhos brilham, do Seixal e não só, claro, de toda a Margem Sul.

Enquadrado na semana Europeia da Mobilidade #mobilityweek, a Fertagus e a Câmara Municipal do Seixal apresentaram na passada segunda feira a carruagem decorada com imagens da “Baía no Coração do Tejo”, com o objetivo de promover turisticamente este destino da nossa Margem.

Na assinatura do protocolo, na Estação do Fogueteio, estiveram presentes a Sra. Dr.ª Cristina Dourado e o Sr. Engº Joaquim Santos, como não podia deixar de ser, há que manter as nossas tradições onde se troca champagne por moscatel e os canapés pelo pastel da Fidalga também típico da região.

A campanha, inspirada na obra do escritor e dramaturgo romântico Almeida Garrett, “Viagens na minha Terra” que consistiu na disponibilização de um comboio a cada um dos municípios que os comboios da Fertagus percorrem, para efetuarem a decoração do mesmo com o intuito da promoção turística de cada município.

bdr

Engº Joaquim Santos, Presidente da Câmara Municipal do Seixal e Dr.ª Cristina Dourado, Administradora-delegada da Fertagus

Com a decoração da carruagem, a Câmara Municipal do Seixal, promove a fantástica “Baia no Coração do Tejo” com lindíssimas imagens que enchem os olhos aos utilizadores dos comboios da Fertagus nas suas deslocações entre a Margem Sul e a nossa Capital. Quem já conhece vai gostar de ver a “sua” região espelhada,   quem ainda não conhece esta pérola em pleno Seixal, passará a conhecer suscitando a vontade de fazer um tour pela região.

Esta é uma brilhante campanha que uma vez mais da a conhecer o que temos de melhor.

Ainda esta semana a Fertagus irá igualmente inaugurar o comboio de Setúbal, com uma viagem a partir de Lisboa. Estamos em pulgas para ver este gigante nos carris ou na “estrada” :)

Nós aqui apoiamos a promoção da Margem Sul
Nós aqui gostamos dísto

1.001

Texto: Catarina Laborinho | Fotos: Fertagus

FERTAGUS, LSBblog

CasamentoAnoCarla

CASAMENTO DO ANO FOI EM PALMELA. Por Marlene Gaspar

aplaudimos

A Carla casou. Casou e não quis deixar que este acontecimento fosse só isso, um acontecimento ou mais um casamento. Não. Isso é para meninos e estamos a falar de uma pessoa que meteu as mãos na massa e fez com que todos os detalhes lhe dessem sem margem para dúvidas o prémio do casamento do ano.

Qual Meghan, qual Harry (sem desprimor meus príncipes, diga-se de passagem, foi um autêntico conto de fadas e com uma classe inquestionável e lindo de ver), mas o casamento da Carla e do Hélder foi para mim e para os meus mais especial.

E quando digo para os meus é mesmo para levar no sentido literal. A Carla é minha prima-irmã. E quantos de vocês é que podem dizer que têm primos irmãos? Quantos?

Eu explico para ficar mais claro, e sei que não é fácil. Pois bem, a minha mãe e a mãe da Carla são irmãs. Até aqui tudo tranquilo, fácil e é por isso que são primas, estão vocês a pensar. Certo. Confere.

Agora acrescentamos mais um elemento na equação. O meu pai e o pai da Carla são irmãos. Dois irmãos casados com duas irmãs. Estão a ver a ideia?

Isto significa o quê? Que somos sangue do mesmo sangue. A minha família e a da Carla são exatamente a mesma. Os mesmos tios, os mesmos avós, os mesmos primos e assim por diante. Ou seja, estamos a falar de alguém que me é muito próxima. Crescemos juntas até porque a diferença de idade é mínima, e a nossa infância e adolescência foi partilhada. Ainda acrescento que como a Carla tenho mais 4. Sim, mais 4 primos-irmãos e não somos caso único, porque há mais primos desta estirpe na nossa família.

casamentocarla

Não é a nossa melhor foto, mas dá para perceber o sorriso estampado no rosto.

Feita esta (longa) introdução, fiquei muito contente quando a Carla e o Hélder nos convidaram para um dos dias mais importantes das suas vidas. E ainda diz que vai ser em Palmela. Primeiro pela parte confortável da coisa de ser perto de casa, mas porque Palmela é o spot dos grandes acontecimentos. Foi o local que escolhi para o batizado das minhas princesas, contei aqui o casamento do Pedro Couceiro e da Mariana que escolheram a mesma zona e agora a cereja no topo do bolo – o casamento da Carla e do Hélder.

A festa foi linda e a Carla e o Hélder não descuidaram nenhum pormenor. A Carla fez uma entrada triunfal com um sorriso de orelha a orelha que não largou até pelo menos me despedir dela e que no dia seguinte lhe deve ter tornado as bochechas doridas, o que  é o melhor sinal de que a felicidade se abateu por ali e veio para ficar. Acompanhada pelo pai e com uma interpretação emocionante da Mariana Amaro (a sua afilhada e sobrinha que vai ser a próxima estrela de Portugal e arredores, ora confirmem no Instagram do blog, para verem que não estou a exagerar) foi arrebatadora.

Depois da bonita cerimónia tivemos as entradas que deixaram os mais fraquinhos almoçados, porque era suficiente para isso. O espaço da Quinta das Façalvas é muito bonito e tem uma vista arrebatadora da cidade e foi o palco de mais duas interpretações de arromba da Mariana.

Os sobrinhos, afilhados e agora padrinhos da Carla fizeram-lhe uma dedicatória em texto que fez correr algumas lágrimas (euzinha fui uma delas, o que sei que não é difícil, porque eu choro com o ar), que falava de gratidão à sua tia e pegando nisso, até porque eu fiquei na mesa da Gratidão (o nome de batismo da mesa) e acho que não podia ter servido melhora a carapuça. Quero agradecer à Carla e ao Hélder terem-nos proporcionado este dia lindo, à Carla por ter-me acompanhado desde criança nos bons e maus momentos e por dar continuidade à sua generosidade com as minhas mais que tudo – as minhas princesas. Afinal, a Carla é também é sua prima-irmã.

Não sou de me emocionar fácil em casórios, até porque nunca desfrutei da experiência de estar no papel de anfitrião (e não é nenhuma queixa, atenção), foi dos casamentos mais bonitos que presenciei.

Obrigada Carla, obrigada Hélder. Façam favor de serem felizes.

Nós aqui tivemos o casamento do ano.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Fotos: convidados do casamento da Carla e do Hélder.

happybday

40 JÁ CÁ CANTAM. Por Catarina Laborinho

#NOSAQUI40

 

Pois é, cheguei aos 40, não sei porquê mas gosto do número! Cheguei e entrei da melhor maneira possível, bem perto das melhores pessoas do MUNDO. Os meus Mais Que Tudo e os meus Amigos!!

Aos 40, sinto-me orgulhosa de mim mesma. Cheguei feliz, aliás muito feliz, num ano que irá ficar marcado por outros bons momentos que mais tarde irei ter oportunidade vos contar. Só para levantar um bocadinho o véu, posso-vos dizer que não vou de véu 😉

Para comemorar este dia tão especial não podia faltar ninguém, por isso  fiz questão de convidar todos aqueles que diariamente fazem parte da minha vida, todos aqueles que de alguma forma vão preenchendo o livro da minha história, todos os que marcam memórias e alimentam o meu coração, e que felizmente são muitos!

Faltaram alguns, não porque não quiseram vir, mas porque a distância assim o impediu… não posso dizer que não fizeram falta, mas estiveram representados pelas proles mais jovens e com a ajuda da tecnologia tiveram direito a diretos.

Sempre disse que quando fizesse os 40 a festa tinha de ser de arromba, e claro, A FESTA aconteceu. Éramos quase 60 lá em casa e foi a Loucura. No meio de uma churrascada mista, umas caipirinhas, sangria e muito boa disposição tudo correu como expectável. Foi sem sombra de dúvidas um momento memorável que nunca mais irei esquecer.

Screen Shot 2018-07-11 at 16.23.22

Obrigada a todos os meus Amigos que vieram “ajudar” a soprar as magníficas 40 velas. Obrigada à minha Mãe e ao meu Pai que são os melhores do Mundo. Obrigada ao Tiago que não deixou que nada falhasse, neste momento onde eu queria que fosse único.

E se acham que ficávamos por aqui… NOP, daqui a mesmo de 20 dias temos outra!

Nós aqui fizemos 40 anos!
Nós aqui estamos a rebentar de felicidade.

ps: as fotos estão péssimas, mas isso agora não interessa nada!

Texto & Fotos: Catarina Laborinho

Screen Shot 2018-02-26 at 15.43.56

MARÇO JOVEM, É A TUA CENA. Por Catarina Laborinho

aplaudimos

O mês de Março está à porta e com ele vai chegar mais uma vez o MARÇO JOVEM 2018 promovido pela Câmara Municipal do Seixal.

E perguntam vocês, e isso é?

Pois é, vai ser um mês sem parar com atividades para os mais jovens que virá animar as escolas secundárias do concelho, bem como alguns espaços públicos com concertos, danças, desportos náuticos e radicais, stand-up comedy, workshops e muito, muito mais.

A primeira escola a abrir este mês vai ser a Escola Secundária Dr. José Afonso, mais conhecida por “Cavaquinhas” (pelo menos no meu tempo) já na próxima segunda-feira dia 5 de Março, depois o meu querido Fogueteiro (saudades desses tempos… isto não volta mesmo para trás?!?!), no dia 6… e assim sucessivamente. Todos os dias uma atividade numa escola perto de nós.

Para conhecer o programa completo clique aqui.

imagem_900x506

Se num destes dias, a meio do dia, ligar ao seu filho(a) e achar que está numa festa, é verdade, mas a festa é mesmo na escola 😉 Toca aproveitar este mês que vai chegar carregado de coisas girase ajudar a carregar energia a meio do ano letivo.

Nós aqui temos o Março à porta
Nós aqui temos isto

Texto: Catarina Laborinho
Fonte e Foto: Câmara Municipal do Seixal.

DiadosNamoradosLSBb

DIA DOS NAMORADOS. WTF! Por Marlene Gaspar

Lamento decepcionar todos os pombinhos da margem sul e arredores, mas para mim o Dia dos Namorados é só estúpido. Pronto, já disse alto e pior já escrevi. Podem mandar vir a cavalaria e apedrejarem-me por enunciar tamanha heresia. Mas, há que encarar as coisas como elas são e a seta do romantismo para este dia passou-me ao lado.

Acho um bocadinho ridículo instituirem um dia para se celebrar o namoro. Para mim este celebra-se todos os dias, quando é caso disso. Sou muito mais adepta de celebrar o dia em que um casal comemora o aniversário do relacionamento (quando têm a sorte de saber quando é que isso calha!) do que o Dia de S. Valentim.

Estou a fazer um curso e temos um prova para fazer neste dia, e dou por mim a dar nota do seguinte comentário para quem está a leccionar: “Vocês não gostam do Dia dos Namorados para marcarem para esta data”! (tom de alguma indignação). Fiquei estupefacta com a questão, pois a mim não me passava pelo penteado a imediata associação, mas fico fascinada com este empolgamento. E não pensem que estou a ser irónica, fico mesmo surpreendida e acho que cada um deve celebrar à sua maneira. Gosto de ver esta predisposição, embora não a compreenda, mas se é celebrada em todo o mundo, é porque a alien aqui sou eu.

Por isso apesar de não estar nem aí para essa data, deixo aqui sugestões que eu gostava muito que me acontecessem, para celebrar a data de um início de um relacionamento, por exemplo (mais uma vez para quem sabe – não sei se já perceberam que há quem não consiga recordar tal facto), ou para qualquer outro motivo. Fica(m) a(s) nota(s):

# viagem para qualquer lugar – este é o meu presente preferido de sempre, qualquer que seja o motivo. Há que escolher um destino que seja uma descoberta, mas também é válido voltar ao lugar onde já se foi feliz. E por aqui, pela margem sul, há desses lugares a potes. A Costa da Caparica é sempre um local inspirador e resulta bem em qualquer altura do ano, a Fonte da Telha é sempre bom e ambiciono passar um fim de semana numa autocaravana. Almada Velha também permite visitas históricas com diferente gastronomia e sempre a surpreender. Sesimbra, Meco, Setúbal, Tróia, Azeitão – you name it. Dá sempre para surpreender a cara metade e fazer um brilharete. Mas o topo dos topos foi uma que eu assisti a uma colega do escritório (e não, não fui eu, sou só uma “invejosa” a falar) – que é o nosso “partner” falar com o nosso chefe, pedir o dia (ou mais) e fazer-nos as malas. E uma hora antes de arrancarmos percebermos o que está a acontecer. Estão a ver a ideia? É que nem precisas de te preocupar com as malas).

# jantar surpresa – qualquer restaurante na margem sul vai conseguir cumprir a função da celebração, mas bom, bom, bom é ter o “nosso chef” a fazer todas aquelas coisinhas (ou tratar de alguém que faça isso, não sou fundamentalista) que nos despertam o palato, porque a indulgência funciona sempre bem, acompanhada de um bom vinho no sossego do lar. Porque o sossego fica-se por aí. Depois de uma surpresa destas não há como não partir a loiça toda.

# álbum de fotos – online, físico (para mim este é o melhor) com mensagens manuscritas, vale tudo. O importante é poder recordar momentos em que nos aturamos um a outro e que continuamos a cá, para muitos mais momentos. Daqueles em que percebemos que tínhamos uns cortes de cabelo que não lembram ao diabo (mas pelo menos não haviam brancos), que a barriga estava lisa e a tender para dentro – quando é que esta brincadeira foi?!), e a força da gravidade estava longe de manifestar-se, mas também nada perto do charme que se apoderou de nós nos dias de hoje. Calma, também funciona com amigos e relações recentes, neste último, só não se apontam os mesmos comentários.

E fiquemo-nos por aqui, que isto, porque agora é o que me ocorre. Eu também vou celebrar o dia, à minha maneira, porque gratidão por quem nos acompanha é algo que devemos comemorar todos os dias e não só no dia 14 de fevereiro.

Feliz Dia de S. Valentim.

Nós aqui temos o Dia dos Namorados.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

darsangueLSBb

O SANGUE A CORRER NAS VEIAS PODE-SE DAR! SEIXAL. Por Marlene Gaspar

gostamos

Tens sangue a correr nas veias? És saudável e tens entre os 18 e os 65anos de idade. E tens 50 ou mais kg? Então que tal seres um dador desse líquido tão precioso? É que dar não dói e é um um ato livre, seguro e simples.

Em vésperas de S. Valentim é um ato de amor com os outros e mostra o tamanho do teu coração a fazer o bem. Eu ando sempre ali no limbo do peso (eu sei que parece género, mas sou pequenina e compacta), mas na verdade já fui aconselhada a ter um banco próprio, dado ser uma ave rara com o sangue que menos pessoas têm! Em caso de necessidade (e esperemos não ser preciso), é bom poder contar com esta dádiva.

A doação de sangue pode ser feita de quatro em quatro meses pelas mulheres e de três em três meses pelos homens. Para uma primeira doação o limite de idade é aos 60 anos.

Este é um ato gratuito, mas que a recompensa é muito maior que um valor monetário. Tens várias sessões a aí à porta, organizadas pela Associação de Dadores Benévolos de Sangue do Concelho do Seixal.
Próximas sessões

11 de março, domingo
Sociedade Musical 5 de Outubro
Largo D. Paio Peres Correia, Aldeia de Paio Pires

18 de março, domingo
Auditório do Mercado Municipal de Fernão Ferro
Rua Luísa Tody, Fernão Ferro

Nós aqui temos dadores de sangue.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Aves

PÔR A VISTA EM CIMA DAS AVES NA BAÍA DO SEIXAL. 3 e 4 fevereiro. Por Marlene Gaspar

gostamos 1

Ora bem, já muito se falou do que se pode fazer na Baía do Seixal e este local não pára de surpreender. A fauna e a flora deste espaço é extensa, vasta e única e agora podes botar-lhe a vista em cima de uma forma mais profissional. Sim, aqui podem ver-se aves, pertencentes a mais de 100 espécies diferentes. Muitas ocupam vastas extensões situadas na faixa de sedimentos entre marés, enquanto outras repartem-se pelos terrenos da margem, de acordo com as suas preferências de habitat.

Se gostas destas coisas ou se não sabes sequer se gostas, porque nunca deste uma espreitadela nestas aves raras, tens aqui uma excelente oportunidade.

No dia 3, sábado, entre as 10 e as 12.30 horas, no Núcleo do Moinho de Maré de Corroios, celebra-se o Dia Internacional das Zonas Húmidas (whatever that means!), que na realidade é dia 2 de fevereiro. A celebração no Seixal faz-se uma Oficina de Observação de Aves. A oficina realça a biodiversidade que o sapal conserva e a relação estabelecida com o património edificado aí existente, mais propriamente o Moinho de Maré de Corroios, através da realização de uma visita guiada a esse monumento.

As inscrições são gratuitas, mas obrigatórias através do contacto 210 976 112 ou pelo aqui.

Também grátis e no dia seguinte, ou seja, no dia 4 de fevereiro, das 14:30h às 17h, junto ao Moinho de Maré de Corroios (Ponto de encontro), a observação continua. A menos que o S. Pedro resolva fazer das suas e que o tempo impossibilite este acontecimento.

Mas, vamos crer que isso não vai acontecer. É um bom programa, almocinho pela zona e depois ires ver as vistas. Mas, para estares a par de tudo, informa-te aqui e inscreve-te.

Nós aqui temos observação da fauna e flora.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Fonte e foto: CMSeixal
CaparicaSurfFest

DIA MAIS ABORRECIDO DO ANO? NÃO, VAMOS MAS É AO CAPARICA SURF FEST. Por Marlene Gaspar

surfamos

Hoje ouvi na rádio de manhã que dizem que o dia de hoje é dos dias mais aborrecidos do ano. Por ser inverno, por ser pós-natal, por se perder algum entusiasmo com resoluções de ano novo (e eu que o diga!), por já se ter estoirado tudo no Natal e nos saldos, por estar quase de chuva, porque vai ficar de chuva, e por mais outras cenas terríveis que tornam esta lista, maior que a fila de trânsito causada quando há um acidente na ponte mais linda do mundo e arredores – a 25 de abril.

Ora tristezas não pagam dívidas e não contem comigo para alimentar este estado de espírito. Nós aqui não alinhamos nisso, por isso, consigo enumerar uma lista inversa de agradecimentos que posso fazer. Mas vou deixar isso para outras núpcias. Por isso deixo-vos, por hoje um argumento bem mais digno de nota e que faz olhar para o que aí vem com um sorriso de um lado ao outro, como por exemplo, saber que já há datas para o maior Festival de ondas do nosso País e é já em março, mais propriamente de 22 a 31 de março de 2018!

Os melhores profissionais e amadores do surf vão juntar-se para mais uma edição do Caparica Primavera Surf Fest e com muita pena minha (e algum desgosto, vá) que eu não estou nesse rol. Não porque não tenho jeito, não porque tenho frio, não porque tenho medo do mar ou porque não sei nadar, mas por e simplesmente, por nunca ter experimentado. E pronto sem isso, não dá para tudo resto. Mas lá por não ter as competências técnicas e paixão necessárias para a prática desta modalidade não quer dizer que os meus olhinhos não possam por a vista em cima dos atletas cheios de jeito, que fazem ótimas exibições e que até têm um corpinho bem feito. No fundo, que emanam saúde. E o que é bom é para partilhar por isso posso contar-vos que serão 10 dias recheados de ondas, “manobras radicais, exibições em cima das pranchas, amizade, harmonia com a natureza e celebração de uma das maiores riquezas da Caparica: as suas ondas e espantosas praias que se estendem quase até ao Espichel!”

E há mais. São dois fins-de-semana de animação nos trilhos da pop, do rock, do hip hop, da música com sabor a África e a mundo e, entre muitos outros, alguns nomes consagrados da música nacional. O programa das festas vai ser lançado esta semana, segundo a organização, mas podes já ir espreitando qualquer coisa aqui.

Toma nota, é na Praia do Paraíso e na Praia do Dragão, na Costa da Caparica. E tu, vais entrar na onda?

Nós aqui temos o Caparica Surf Fest.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Imagem: Direitos reservados

FeiraChocolate

FEIRA DE CHOCOLATE TERMINA COM RESOLUÇÕES DE ANO NOVO! CORROIOS. Por Marlene Gaspar

degustamos

Ainda ando na luta para me restabelecer das festividades e deparo-me com um momento Jarbas:

– “apetece-me algo” e vejo o cartaz “3ª Feira de Chocolate em Corroios”! que é como quem responde :

– tomei a liberdade de pensar nisso, senhora!

A sério? Vocês querem-me dar cabo da linha ou de todas as resoluções de ano novo? É que na verdade estamos no décimo dia do ano e eu já tenho pouca coisa a que me agarrar.

Sim, tudo o que estabeleci que este ano é que é, já se conta pelos dedos e de uma só mão, os que têm alguma hipótese de se manterem. Já furei e voltei aos hábitos do ano velho. E pronto, mais uma derrota e ainda nem vamos a meio do mês. Sim, porque aquela cena de um quadrado de chocolate por dia e nada mais, não vai acontecer.

Se eu já estivesse recuperada do estrago das festividades, até me lambuzava com esta notícia, mas não. Estou uma desgraça, os Reis também não ajudaram e muito honestamente não vejo fim à vista para isto. Está aí à porta o aniversário de uma das pessoas mais importantes para mim e trufa, a seguir veem-me com uma Feira de Chocolate, que sabem que sou frágil e indefesa a este tipo de efeméride. Não há direito. Anda uma pessoa a portar-se bem, pronto, razoavelmente bem, para acontecimento atrás de acontecimento darem-me cabo dos planos.

Mas, pronto a idade vai-nos tirando as forças e o chocolate, a doçaria, a gulosice e a gordice vão tomando terreno e quando uma pessoa se apercebe, já está na teia e não tem como sair. É assim, há coisas que não dá para contrariar.

Então se não dá para contrariar há que enfrentar o “toiro pelos cornos” que é como quem diz, ir lá. Por isso de 18/1 a 21/1 tens a III Edição da Feira do Chocolate em Corroios, onde podes encontrar chocolate em barda e animação de rua.

CartazFeira

De que é que estás à espera? Não me digas que até agora andas na linha e só eu é que já avacalhei estas cenas das resoluções de ano novo!

Nós aqui temos a Feira de Chocolate em Corroios.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar