TAVERNA O BOBO DA CORTE

NO BOBO VIREI PRINCESA. Por Catarina Laborinho

degustamos

Para quem já conhece o Bobo, a Taverna o Bobo da Corte, sabe bem do que estou a falar, lá viramos Princesas e eu, claro, não fui exceção.

Encontrámos o Bobo por mero acaso. O tripadvisor é um facilitador para quem anda sempre à caça de novos e bons restaurantes. E claro, o Bobo apareceu logo na primeira linha.
O Sol nesse dia andava à espreita, mas o frio que continuava a fazer-se sentir não nos privou de um excelente manjar dos deuses, ou de reis, já que assim que entrei virei “principessa”.
No caminho liguei para marcar mesa, do outro lado da linha ouço um: “estamos cheios” … OHHH… ripostei de imediato, mas do nada ouço uma voz ao fundo a dizer: “acabei de receber um cancelamento…” nesse instante o Cláudio pergunta quantos somos…. apenas 2 😉

A Taverna o Bobo fica mesmo dentro do Castelo de Palmela, quando chegámos, ligámos a perguntar para que lado era, a Lurdes, despachada como acabámos por constatar diz: “venham em direção à Torre”, e lá fomos nós.
Quando entrámos fomos recebidos com um sorriso de orelha a orelha, é importante reforçar que nunca lá tínhamos estado, mas aquele “conforto” faz-nos logo sentir em casa. Saltou logo a piada dos 8 mint, já que no caminho quando estava a marcar mesa acabei por comentar: “o gps diz que daqui a 8 mint estamos ai” 😀 – não fosse alguém querer a nossa mesa.
Ficámos num canto do restaurante. O espaço é pequeno, aliás muito pequeno. Lá dentro o Bobo deve ter umas 7 ou 8 mesas (não as contei), mas muito, muito acolhedor.

TAVERNA O BOBO DA CORTE
Olhámos para a lista várias vezes, a oferta era muita e a vontade de provar tudo também… provámos o que a barriga comportou, queijo de cabra regado com azeite e orégãos, frango com mostarda, espetadas de enchidos, gambas com alho (de tamanho real, à seria), batata frita doce e para regar isto tudo uma sangria de moscatel… sim, leram bem, sangria de moscatel. Nunca tínhamos bebido e claro que não nos ficámos apenas por um jarro 😀

Entre Princesas e sorrisos, ficámos lá algum tempo, mas apenas assim é que iríamos conseguir apreciar o momento a dois (adoramos os nossos filhos, mas fazer programas a dois é algo mágico) e fazer a “digestão” da sangria.

Já de barriga cheia, viemos até à esplanada para apreciar a vista que é de perder o fôlego e beber o nosso café… o sol andava à espreita e não podíamos deixar de aproveitar os pequenos minutos para carregar energia.

Quando saímos o Cláudio veio-nos perguntar como tínhamos encontrado o seu restaurante. Fácil! Pelo Trip… o Bobo apareceu em primeiro lugar em Palmela e nós viemos conhecer.
Conversa puxa conversa, acabámos a falar em restaurantes e como não podia deixar de ser… no blog, claro!
Confesso que sou uma grande apreciadora de comida. Adoro comer, adoro comer bem, adoro conhecer espaços onde vamos sem nenhuma expectativa e saímos de lá fascinados, como foi o caso da Taverna o Bobo. Para ajudar a isto, o Tiago também adora… que dupla! Mas também adoramos cozinhar, receber os nossos amigos, fazer almoçaradas que acabam noite dentro… talvez por isso somos sempre tão críticos nos restaurantes que vamos conhecendo.

TAVERNA O BOBO DA CORTE

Já no fim, e aí sim como uma gentil oferta, o Cláudio e a Lurdes deram-nos a conhecer o Moscatel de Palmela que pouco depois se fez acompanhar pelo Moscatel Roxo Venâncio da Costa Lima.
Se gostam de Moscatel tem que provar este… gostámos tanto que acabámos por comprar uma garrafa na lojinha que a Taverna o Bobo tem ao lado do restaurante.
Quanto à dolorosa, valeu cada cêntimo… o almoço rondou os 50€ (com um jarro e meio de sangria +- 18€), mas repito, valeu cada cêntimo.

Será sem dúvida um espaço a revisitar e uma experiência a repetir.
Lurdes e Cláudio, obrigada por cada gargalhada e prometemos que para a próxima iremos marcar com uma maior antecedência 😀
Obrigada por toda a hospitalidade!

Nós aqui desejamos-vos MUITO SUCESSO.
Nós aqui degustamos isto

Texto e Fotos: Catarina Laborinho

estamine phJoel Reis

PARABÉNS ESTAMINÉ. Por Catarina Laborinho

gostamos

Lembras-te do Estaminé? Pois é, está novamente de Parabéns! Foi nomeado como o melhor/mais votado restaurante no Prémios TimeOut Lisboa 2018.

Nós aqui já lá estivémos, e como é de esperar, volta e meia vamos espreitar as novidades que a Linda e o Miguel têm para nós.

E tu? Estás à espera de…  Se ainda não foste lá, espreita aqui 😉

Nós aqui gostamos d’isto

Texto: Catarna Laborinho
Foto: Joel Reis

Mercado biologico

MERCADO BIOLÓGICO EM ALMADA. É VENDER SAÚDE. Por Marlene Gaspar

degustamos

A PDI faz-nos repensar velhos hábitos e mostra-nos que por muito estragos que possamos fazer com gordices e alguma indulgência que faz parte, há que procurar um equilíbrio e adquirir hábitos mais saudáveis. Em jeito de Valentine’s aqui vai o que mais vos desejo – saúde. Da boa.

Na minha infância comi muita sopinha com ingredientes cultivados pela minha família e muita frutinha apanhada das árvores sem qualquer tratamento. Deve ter sido isso que me ajudou a superar os quilos de Tulicreme que emborcava a ver séries no Agora Escolha, como o Perry Mason ou os 3 Duques. O “Kit Amigão” na versão brasileira e na original (a preferida) também dava para mandar abaixo bombocas e belinhas. Se não sabes o que isto é nasceste neste milénio, certo? Hoje em dia procuro uma alimentação muito mais saudável e consigo ver no meu corpo os benefícios disso mesmo, mas mais uma vez, não sou fundamentalista, e por vezes, não há nada tão compensador como um bife com batatas fritas.

Mas para poder cometer estes devaneios, há que compensar de alguma forma, por isso elejo sempre que posso os produtos biológicos. Estou tão contente por saber que todos os sábados de fevereiro, a partir das 9h na Praça MFA e às 4ªfeiras no Largo Alfredo Dins, a partir das 14h há mercado de produtos biológicos em Almada, com uma seleção de produtores biológicos da região. Podemos encontrar fruta, legumes, azeite, mel ou vinho. Verdadeiras maravilhas que me enchem de felicidade e que são ingredientes sem os quais não se vive cá em casa. Para os mais incrédulos e desconfiados, os produtos são certificados.

Podes então aviar-te no Mercado Biológico de Almada. De que é que estás à espera?

Nós aqui temos Mercado Biológico.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

FeiraChocolate

FEIRA DE CHOCOLATE TERMINA COM RESOLUÇÕES DE ANO NOVO! CORROIOS. Por Marlene Gaspar

degustamos

Ainda ando na luta para me restabelecer das festividades e deparo-me com um momento Jarbas:

– “apetece-me algo” e vejo o cartaz “3ª Feira de Chocolate em Corroios”! que é como quem responde :

– tomei a liberdade de pensar nisso, senhora!

A sério? Vocês querem-me dar cabo da linha ou de todas as resoluções de ano novo? É que na verdade estamos no décimo dia do ano e eu já tenho pouca coisa a que me agarrar.

Sim, tudo o que estabeleci que este ano é que é, já se conta pelos dedos e de uma só mão, os que têm alguma hipótese de se manterem. Já furei e voltei aos hábitos do ano velho. E pronto, mais uma derrota e ainda nem vamos a meio do mês. Sim, porque aquela cena de um quadrado de chocolate por dia e nada mais, não vai acontecer.

Se eu já estivesse recuperada do estrago das festividades, até me lambuzava com esta notícia, mas não. Estou uma desgraça, os Reis também não ajudaram e muito honestamente não vejo fim à vista para isto. Está aí à porta o aniversário de uma das pessoas mais importantes para mim e trufa, a seguir veem-me com uma Feira de Chocolate, que sabem que sou frágil e indefesa a este tipo de efeméride. Não há direito. Anda uma pessoa a portar-se bem, pronto, razoavelmente bem, para acontecimento atrás de acontecimento darem-me cabo dos planos.

Mas, pronto a idade vai-nos tirando as forças e o chocolate, a doçaria, a gulosice e a gordice vão tomando terreno e quando uma pessoa se apercebe, já está na teia e não tem como sair. É assim, há coisas que não dá para contrariar.

Então se não dá para contrariar há que enfrentar o “toiro pelos cornos” que é como quem diz, ir lá. Por isso de 18/1 a 21/1 tens a III Edição da Feira do Chocolate em Corroios, onde podes encontrar chocolate em barda e animação de rua.

CartazFeira

De que é que estás à espera? Não me digas que até agora andas na linha e só eu é que já avacalhei estas cenas das resoluções de ano novo!

Nós aqui temos a Feira de Chocolate em Corroios.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

al forno

SUGESTÃO DE RÉVEILLON. AL FORNO, SEIXAL #alforno

gostamos 1

Se ainda não sabe onde vai passar a passagem de ano, nós aqui deixamos-lhe uma sugestão. Este ano, o ALFAIATE AL FORNO, vai fazer uma festa de arromba.

Aberto desde outubro na nossa Baía do Seixal (reveja aqui o artigo), o AL FORNO apresenta-se com um Menu “especialérrimo” numa noite muito especial. Para um jantar  inesquecível, ao som do DJ Ferraz, o ALFAIATE AL FORNO sugere:

MENU AL FORNO

 

Faça já a sua reserva, os lugares são limitados.

Nós aqui temos o réveillon à porta no ALFAIATE AL FORNO.
Nós aqui temos isto.

Texto: Catarina Laborinho
Fotografia: ALFAIATE AL FORNO

chocolate2

II FEIRA DO CHOCOLATE DE AMORA. 30 novembro a 3 dezembro. Por Marlene Gaspar

degustamos

Pára tudo! Voltou a Feira de Chocolate? Aqui, na South Bay? Antes do Natal? A sério? Querem acabar com a minha linha ainda antes de eu definir dar cabo dela? Menos, não tenho a minha silhueta preparada para este embate. Disseram Cho-co-la-te? Ok, a silhueta arranja espacinho em menos de nada. São 4 dias de deleite, que mal é que pode fazer?

Quanto a mim nenhum. Mas, eu vejo sempre o lado positivo (ou tento, vá) e a compensação que o efeito chocolate traz à minha pessoa vale tudo. E o Natal, ainda está para chegar.

Por isso temos pelo segundo ano consecutivo a Amora recebe a Feira do Chocolate, nos dias 30 de Novembro, 1, 2 e 3 de Dezembro, no Jardim do Fogueteiro.

Vamos poder saborear os mais belos doces de chocolate e outra gastronomia variada, bem como artesanato e muita animação de rua. E que tal, juntar o útil ao agradável e tratar de alguns presentes de Natal? Just saying…


Venha escolher as mais criativas lembranças de Natal, na Feira do Chocolate de Amora, no Jardim do Fogueteiro! Ora, toma nota:
ChocolateAmora

30 de novembro (5ª feira)
18 horas – Abertura da Feira
Atuação de Fernando Showman
24 horas – Encerramento

1 de dezembro (6ª feira)
12 horas – Abertura da Feira
15 horas – Atuação da Tuna da Unisseixal, no palco
Animação de rua com Mágico

2 dezembro (sábado)
12 horas – Abertura da feira
15 horas – Atuação da turma de Cavaquinhos e Bandolim do professor Mário Fortuna da Unisseixal, no Palco
Animação de Rua de Antas e Malabares
21 horas – Música com Ricardo Silva
24 horas – Encerramento da feira

3 dezembro (domingo)
12 horas – Abertura da Feira
15 horas – Atuação do Grupo Coral e Instrumental “5 de Janeiro” da AURPIA no Palco
Animação de Rua com Estátuas de Chocolate
16 horas – Animação com Palhaço
20 horas – Encerramento da Feira

Nós aqui temos feira de chocolate.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Castanha

FEBRE DA CASTANHA. CORROIOS, AMORA E FEIJÓ. 9 a 11 novembro

degustamos

A Aida ouviu as minhas preces e partilhou mais sítios na margem sul onde podemos dar ao dente a trincar castanhas, pois como confidenciou também sofre de uma perturbadora obsessão por castanhas. Só espero que não te causem o mal-estar que por vezes me atinge com o descontrolo que tenho na sua ingestão. Perdoa-se o mal que faz pelo bem que sabe! Há prioridades, e por vezes a gula toma a dianteira e ai de quem se atravesse no seu caminho. Guilty free.

Isto tudo para dizer que não é só o Seixal que tem castanhas p’rá gente. Gente como nós Aida, com um ligeiro distúrbio alimentar face a esta iguaria, mas nós aqui, temos d’isto. Valha-nos a nossa senhora das castanhas que só trabalha uns meses por ano, senão o verão seria mais duro. Adiante e vamos ao que interessa, que eu facilmente perco o tino quando penso neste tema. Perco de um lado e ganho do outro, porque se há coisa que a castanha não poupa é no peso.

Prossigamos. Temos o já anunciado magusto do Seixal, mas também temos:

Open Day de São Martinho no Fanqueiro (este só pelo nome merece uma visita. “Open Day da castanha” é uma cena altamente potente). Rendo-me a isso. Eu também sou uma fácil. (Nesta matéria, tá? Há outras que dou muito mais luta. Ou então não. Cruzes, credo!).

Como o próprio nome indica é no Fanqueiro, mais propriamente CDR Águas Unidas (outra coisa para me levarem sem pestanejar “Águias Unidas” é de valor. O “Day” é “Open”, mas não é tudo à vara larga – começa às 10h e dura até às 18h – o que já dá para fazer uns estragozinhos.

Continuemos. E a próxima localizada para a degustação é… (tan, tan, tan tan…) Corroios na Quinta da Lágrima. Uma salva de palmas, porque aqui não se brinca em serviço. Qual dia, qual carapuça, venham daí quatro dias que juntamos à castanha o fumeiro, que nós aqui não fazemos a coisa por menos. Pow. Quem pode, pode. E Corroios é que pode. Open Day é para meninos (sem ofensa, malta da Amora), mas Corroios está a dar tudo – pimba Feira do Fumeiro e da Castanha. E se já vai na 4ª edição é porque a coisa promete. Ie, ie, ei Corroios é que é. Ora anotem:

09 de novembro (5ª feira)
18h00 | Abertura da Feira
20h30 | Baile com Ricardo Silva
23h00 | Encerramento do recinto10 de novembro (6ª feira) 
12h00 | Abertura da Feira
21h30 | Baile com Vitor Ginja
24h00 | Encerramento do recinto11 de novembro (sábado) 
12h00 | Abertura da Feira
21h30 | Espetáculo com Toy Cascão
24h00 | Encerramento do recinto12 novembro (domingo)
12h00 | Abertura da Feira
16h00 | Matiné com Arménio Rodrigues
20h00 | Encerramento do recinto

feirafumeiro

The last, but not the least (até porque tenho pr’a mim que ainda vou saber de mais algum), temos a Festa da Castanha no Feijó.Pum, pum, pum! O Feijó não é totó. Pr’a já a entrada é livre, porque para prisão, já basta algum incómodo que a castanha possa causar! E depois deixa a animação da festa com as Águias Vermelhas (lá está, mais uma cena de valor a tocar-me ao coração, vocês querem dar cabo de mim e eu deixo) e com um grupo de concertinas. A festa começa às 15:30h no Clube Recreativo do Feijó.

festacastanha

E por enquanto é tudo. Tenho mais uma vez que agradecer à Aida por alegrar o meu dia e lamentar também sofrer desta “febre”. Olha, que as castanhas estejam connosco!

Nós aqui, temos castanhas.
Nós aqui, temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

castanhas

OFERTA DE CASTANHAS E ÁGUA-PÉ NO SEIXAL. 11 novembro #seixalando7

degustamos

Não é segredo para ninguém, mas eu digo-vos ao ouvido, eu A-DO-RO castanhas. A-DO-RO! Cruas, cozidas, assadas e grelhadas. “Quem quer quentes e boas, quentinhas?” é para mim uma pergunta de retórica! Eu quero, quero muito, quero sempre.

Tenho uma relação obsessiva-compulsiva com castanhas. Já estou a salivar só de pensar! Não posso ver assadores de castanhas sem parar para degustar, apetece-me muitas vezes e fico extremamente compensada quando lhes dou uma trinca, quase um efeito terapêutico, como o do chocolate. Esta tara e mania que tenho por castanhas, não me faz particularmente, bem. Mas vou deixar este efeito secundário só para mim, que eu é que sofro com isso, e não tenho que vir para aqui maçar-vos com esses detalhes. Sim, porque nem esses incómodos me tiram a satisfação de saborear uma bela castanha. Perdoa-se o mal que faz pelo bem que sabe!

Então agora que já perceberam que têm uma fanática de castanhas a falar convosco, vamos lá ao que interessa que é saber quando e onde é que temos uma castanha para morder? Ora o  Dia de S. Martinho está a chegar e nada como ter um magusto a preceito ao virar da esquina. Nós aqui temos no Seixal e em Amora oferta de castanhas assadas e água-pé. Ouviram bem. O-FER-TA de castanhas e água-pé! Agora sim, já acham que valeu a pena a estucha do meu desabafo sobre a minha panca com as castanhas, não é?

Então pronto, só por me “ouvirem” ainda temos mais boas notícias e O-FER-TAS. Haverá uma zona de estadia e ainda animação musical com o Grupo Coral da Associação dos Serviços Sociais dos Trabalhadores das Autarquias do Seixal e o Grupo de Cavaquinhos da Casa do Povo de Corroios. E esta, hein?

Onde e quando?

Sábado, dia 11/11 das 15 às 18 horas.

Zona ribeirinha de Amora, junto ao coreto, e no núcleo urbano antigo do Seixal, na área exterior envolvente ao Posto Municipal de Turismo

Bom e não se acanhem. Se houver mais “magustos” por esta banda, contem-me tudo e não me escondam nada que esta alminha ficar-vos-á grata para todo sempre. E, pode até partilhar uma castanhinha, vá. Uma. Não se estiquem.

magustoAlmadaForum

Nós aqui temos S.Martinho no Seixal.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

ALFAIATE AL FORNO

ALFAIATE AL FORNO JÁ AO RUBRO NO SEIXAL

degustamos

Passaram 15 dias desde a grande inauguração do novo espaço do Seixal o ALFAIATE AL FORNO, e nós aqui não podíamos deixar de vos contar mesmo com uma derrapagem de 15 dias!! Não foram por esquecimento, não pensem, quisemos deixar a casa afinar a carta, afinar os timing´s e provar TODAS as iguarias as quais vos garanto que valem DEFINITIVAMENTE a pena!

Desde a francesinha clássica ou a original como vem na carta ao mix de sensações da de bacalhau ou de legumes, à pizza de presunto com figos que é de chorar e pedir por mais, à morcela com chutney maça que é servida em tábua, e para rematar os nacos de lombo grelhados… já estou aqui a salivar só de pensar. OH Tiago, temos que definitivamente lá voltar!!!

Tiago temos que lá voltar :)

Tiago temos que lá voltar :)

Mas voltando à Inauguração…

O espaço para quem não conheçe foi pensado e decorado com o requinte habitual com que o Mauro Airosa sempre nos brinda. Cada recanto tem um pequeno pormenor que num todo transforma o ALFAIATE AL FORNO um novo Spot a não perder na Baia do Seixal.

Confira com os seus próprios olhos :) Veja o Vídeo

Nós aqui temos ALFAIATE AL FORNO.
Nós aqui temos isto.

Texto: Catarina Laborinho
Fotografia e Vídeo: ALFAIATE AL FORNO e PossibDesign

SeixalJazz

NOITES DE JAZZ NA MUNDET FACTORY. #seixalando5. Outubro

ouvimos

Que na Mundet Factory se come e bebe bem, já sabíamos. Que na Mundet Factory se faz festas à grande já sabíamos. Que a Mundet Factory tem um espaço é único e acolhedor, já sabíamos. Que a Mundet Factory tem uma vista de cortar a respiração, já sabíamos. Agora, que a Mundet Factory vai ser o palco 6 concertos se Jazz este mês, eu ainda não sabia. Mas agora sei, e vou contar ao mundo.

São 6 noites de jazz com formações nacionais que trazem à margem sul espírito de clube de jazz e completa o programa do SeixalJazz.

E como cabeças de cartaz temos: Ricardo Toscano Trio (19, 20 e 21 de outubro), Volúpia das Cinzas (26 de outubro) e The Rite of Trio (27 e 28 de outubro).  Os concertos estão marcados para as 23 horas e são de entrada livre.

Mais informações em aqui.

Nós aqui temos Concertos de Jazz na Mundet Factory.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fonte e foto: CM Seixal