Castanha

FEBRE DA CASTANHA. CORROIOS, AMORA E FEIJÓ. 9 a 11 novembro

degustamos

A Aida ouviu as minhas preces e partilhou mais sítios na margem sul onde podemos dar ao dente a trincar castanhas, pois como confidenciou também sofre de uma perturbadora obsessão por castanhas. Só espero que não te causem o mal-estar que por vezes me atinge com o descontrolo que tenho na sua ingestão. Perdoa-se o mal que faz pelo bem que sabe! Há prioridades, e por vezes a gula toma a dianteira e ai de quem se atravesse no seu caminho. Guilty free.

Isto tudo para dizer que não é só o Seixal que tem castanhas p’rá gente. Gente como nós Aida, com um ligeiro distúrbio alimentar face a esta iguaria, mas nós aqui, temos d’isto. Valha-nos a nossa senhora das castanhas que só trabalha uns meses por ano, senão o verão seria mais duro. Adiante e vamos ao que interessa, que eu facilmente perco o tino quando penso neste tema. Perco de um lado e ganho do outro, porque se há coisa que a castanha não poupa é no peso.

Prossigamos. Temos o já anunciado magusto do Seixal, mas também temos:

Open Day de São Martinho no Fanqueiro (este só pelo nome merece uma visita. “Open Day da castanha” é uma cena altamente potente). Rendo-me a isso. Eu também sou uma fácil. (Nesta matéria, tá? Há outras que dou muito mais luta. Ou então não. Cruzes, credo!).

Como o próprio nome indica é no Fanqueiro, mais propriamente CDR Águas Unidas (outra coisa para me levarem sem pestanejar “Águias Unidas” é de valor. O “Day” é “Open”, mas não é tudo à vara larga – começa às 10h e dura até às 18h – o que já dá para fazer uns estragozinhos.

Continuemos. E a próxima localizada para a degustação é… (tan, tan, tan tan…) Corroios na Quinta da Lágrima. Uma salva de palmas, porque aqui não se brinca em serviço. Qual dia, qual carapuça, venham daí quatro dias que juntamos à castanha o fumeiro, que nós aqui não fazemos a coisa por menos. Pow. Quem pode, pode. E Corroios é que pode. Open Day é para meninos (sem ofensa, malta da Amora), mas Corroios está a dar tudo – pimba Feira do Fumeiro e da Castanha. E se já vai na 4ª edição é porque a coisa promete. Ie, ie, ei Corroios é que é. Ora anotem:

09 de novembro (5ª feira)
18h00 | Abertura da Feira
20h30 | Baile com Ricardo Silva
23h00 | Encerramento do recinto10 de novembro (6ª feira) 
12h00 | Abertura da Feira
21h30 | Baile com Vitor Ginja
24h00 | Encerramento do recinto11 de novembro (sábado) 
12h00 | Abertura da Feira
21h30 | Espetáculo com Toy Cascão
24h00 | Encerramento do recinto12 novembro (domingo)
12h00 | Abertura da Feira
16h00 | Matiné com Arménio Rodrigues
20h00 | Encerramento do recinto

feirafumeiro

The last, but not the least (até porque tenho pr’a mim que ainda vou saber de mais algum), temos a Festa da Castanha no Feijó.Pum, pum, pum! O Feijó não é totó. Pr’a já a entrada é livre, porque para prisão, já basta algum incómodo que a castanha possa causar! E depois deixa a animação da festa com as Águias Vermelhas (lá está, mais uma cena de valor a tocar-me ao coração, vocês querem dar cabo de mim e eu deixo) e com um grupo de concertinas. A festa começa às 15:30h no Clube Recreativo do Feijó.

festacastanha

E por enquanto é tudo. Tenho mais uma vez que agradecer à Aida por alegrar o meu dia e lamentar também sofrer desta “febre”. Olha, que as castanhas estejam connosco!

Nós aqui, temos castanhas.
Nós aqui, temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *