Familia

FÉRIAS DAS FÉRIAS É NA MARGEM SUL E EM BOA COMPANHIA.

gostamos 1

Se há coisa boa, mesmo boa, são as férias. Se há coisa menos boa nesta coisa boa, mesmo boa é o período de tempo das férias. É como o fim-de-semana. É sempre curto. Sabe sempre a pouco. Ficávamos sempre mais tempo.

Uma pessoa esfalfa-se a trabalhar para curtir este período como se não houvesse amanhã, e ele passa com uma grande vitesse. Mas, sem pressão. E com a puta da lanzeira. E com tudo e tudo o que se tem direito. Mas, ainda assim, ficavamos sempre mais tempo.

Terminado este curto período de férias fica aquela sensação de verdadeiro…cansaço! É aquela sensação de é tão bom, não foi? Talvez a isso se deva parte do encanto, mas é mais, é muito mais que isso. O período de férias é com os nossos. É estar ali 24 sobre 24horas a dar e a receber miminhos, intercalados com ralhetes (de parte a parte, que os 24 sobre os 24 também puxa alguma impaciência, mas sobre esse tema vou deixar para outras núpcias). A verdade é que férias com 2 crianças pequenas são uma alegria e sinónimo de alguma preocupação. E à medida que vão crescendo e ganhando a independência, acaba por facilitar alguma logística (banhos, comidas e afins), por um lado, mas redobra-se o estado de alerta.

O que têm de giras e fofas têm de “sacanas” endiabradas. Por minha vontade andavam com uma trela, mas diz que não fica bem! E, lá vai uma pessoa enervando-se de 5 em 5 minutos e a ter pequenos AVC’s assim que a nossa vista não as alcança. Se o sol envelhece a pele e aí já estou preparada com todos os cremes de factor 50 para cima, sabendo que onde nunca vou ficar verdadeiramente escura como nos tempos de outrora, a camada de nervos que se instala com este desgaste de preocupação, também não deve contribuir para eu caminhar para nova! Irra.

Mas, são melhores dias do ano. Os mais compensadores. Aquela coisa de papo para o ar e dolce fare niente, meus amores, passa por aqui, muito ao lado. Nós aqui, é mais toalhas cheias da areia, e de 2 em 2 segundos a ouvir qualquer coisa como:

– Mãe, quero ir à água!

– Mãe, quero fazer xixi!

– Mãe, quero uma bola de Berlim!

– Mãe, o que é que trouxeste para comer?

– Mãe, vem fazer castelos!

– Mãe, mãe, mãe, mãe…E esta azáfama “me deixa louca”, mas de coração cheio. E não há nada melhor do que isso. Um coração cheio e a transbordar. Mas não há bela sem senão, isto faz com que assim que chegue, precise de férias, das férias. Como ainda não há escola, os avós ficaram com a batata quente, e nós aqui em casa, já estamos no batente, mas sem a criançada sentimo-nos em férias, das férias. Na chegada, tirámos o feriado para ficar de papo para o ar na nossa Costa da Caparica com um almoço também em família e com quem é bom estar. E o que mais se pode pedir?

Familia

Da esquerda para a direita: Rui, Carla, Paulo e euzinha

Nós aqui temos férias das férias.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Foto: Lisbon South Bay blog

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *