BarreiroTerraSanta

RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO TEM MARGEM SUL COMO PANO DE FUNDO?

gostamos 1

Este fim de semana fomos para fora cá dentro, mas neste caso não foi dentro das fronteiras da margem sul, mas ali mais para o centro. O centro do país. Fomos a Tomar. Já sabem que a margem sul está cá dentro, mas este “fundamentalismo” permite-nos desbundar outras paragens.

Foi um (re)encontro de amigos. Alguns que se conheceram no casamento que vos contei aqui e a grupeta que ficou na mesa 9 tem mantido contacto desde então. Até porque os culpados disto tudo, os noivos, deram-nos corda e alinharam connosco. O destino foi escolhido por ser central para quem vem de diferentes zonas do país e para conseguirmos juntar cultura, lazer e bem comer (oh senhores, este último foi levado tão a sério que vamos passar o próximo mês a pão e água!) Uma desgraça. Cheios, mas felizes. Como levámos a “filharada”, quisemos juntar o útil ao agradável e incutir história para além das histórias que temos para contar.

PrincesasnaMargemSul

Visita ao Convento

A cidade histórica de Tomar tem muito para ver. E tem como ex-libris o Convento de Cristo, que numa feliz coincidência, tem entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês para promover a cultura e o hábito da visita. Enaltecemos a dica porque isto é válido para todos os museus! A visita foi marcada e o convento foi-nos apresentado pela simpática Maria Luz Lopes, a guia que nos acompanhou e contou a história de cada canto e recanto. O monumento é imponente e lindo. Entrámos e dissemos às pequenas que elas eram as princesas a entrar no castelo e, não sei se elas se sentiram como tal, mas acredito, porque um resumo da visita foi contado assim…

VisitaaoConventoTomar

O “Castelo” contado pelas princesas

Senti-me agradecida por poder passear-me e conhecer aquele cenário. Inspira-se e respira-se história. E daí? O que é que isso tem a ver com a margem sul? Até agora nada.

Eis que entramos na Charola que nos deixa boquiaberta com as obras de arte que não foram transferidas para o Museu de Arte Antiga (como a melhor parte!) e que conseguiram ser recuperadas e mantidas. A Maria da Luz provoca-nos com uma história que nos vai fazer ficar boquiabertos: Estão a ver esta obra?

BarreiroTerraSanta

Pintura da Escola de Pintura de Quinhentos

É uma pintura da Escola Portuguesa de Pintura de Quinhentos (remete-nos por volta do ano 1518) mandada pintar por D. Manuel, aos pintores-mor Jorge Afonso e Francisco Henriques para representarem a ressurreição de Jesus Cristo e escolhem a Cidade de Lisboa (antes do terramoto) como pano de fundo. Ou seja, vista como se estivessem no Barreiro! – Barreiro Terra Santa! Ah, pois! Por esta é que não estavam à espera, certo?

Tomar

Charola no Convento de Tomar

Se é verdade ou lenda, não sei, mas curioso é. E isto, tinha mesmo de contar. Se não se puderem deslocar a Tomar para ver a imagem, a Maria da Luz contou que a mesma imagem está na Torre do Tombo, que assim como assim, é mais perto para quem está na margem sul.

TomaremFamilia

Grupeta da Mesa 9. À direita com a guia Maria da Luz

Nota: este relato foi uma interpretação livre da história que ouvi. Não é um fato histórico comprovado e deve ser lido como tal.

Nós aqui temos o Barreiro visto como “Terra Santa”.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotos: Mesa 9

0 replies

Leave a Reply

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixar uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *