Artigos

BenHUR

BEN-HUR TEM DE SER EM 4DX, MESMO.

assistimos

Em modo de reentré, mas sem deixar alguns “vícios das férias”, que felizmente o calor permite, há coisas que tinha mesmo, mesmo saudades e andava a “pedi-las”. Uma boa sessão de cinema é uma dessas! É que há uma relação com o cinema antes dos filhos (a.f.) e uma relação com o cinema depois dos filhos (d.f.). Ou seja, a.f. temos uma relação assídua e quase dependente do cinema. D.f. a relação é quando se pode, leia-se é quando temos alguém que nos fique com a criançada e, ainda assim, se consiga aguentar o trailer até ao fim de olho aberto.

A estreia da nova versão da história épica Ben-Hur fez-me aguçar essa vontade, o desejo de uma noite de cinema com tudo o que se tem direito – jantar, filme de arromba, pipocas, bebida e tudo e tudo e tudo.

E porquê? Ora, porque os argumentos são mais que muitos. Ben-Hur é uma das histórias mais bem sucedidas do mundo do cinema, uma história com uma mensagem verdadeiramente relevante, o primeiro a limpar Óscares como se não houvesse amanhã, logo vale a pena ver de novo. E se é para ver de novo, que seja o novo, porque sou fã de clássicos com um toque atual. Enfim, só razões para estar na primeira fila (bem também não é preciso tanto que se vê melhor umas filas mais atrás!).

Mas, há motivos ainda mais tentadores – a participação do Rodrigo Santoro (ai, Jesus que coisa mai linda!), o Morgan Freeman que é o meu ator preferido. Tem para mim “a voz”. Quando o oiço narrar o que quer que seja, eriçam-me os pêlos de emoção. Admito. Temos também, o Rodrigo Santoro, uma produção de excelência, o Rodrigo Santoro, as atuações de Jack Huston, do Rodrigo Santoro, do Toby Kebbell, o cuidado que houve nas filmagens com a segurança e tratamento dos cavalos, o Rodrigo Santoro, o guarda-roupa, o Rodrigo Santoro, e não menos importante, a versão 4DX. Também há o cinema antes do 4DX e depois do 4DX. Depois de experimentarmos o 4DX, tínhamos prometido voltar mais vezes e se há filme que tem de ser visto em 4DX é este. Esta tecnologia permite estarmos “dentro” das cenas. Às vezes é um desassossego e somos verdadeiramente surpreendidos e por isso é tão interessante. A cena de 11 minutos da corrida de quadrigas do filme é um belo exemplo. É como se estivéssemos lá, a sentir a adrenalina, o impacto do galope, com a vantagem de saírmos ilesos e sem uma arranhadela.

Já li críticas de profissionais do assunto menos positivas sobre a nova versão, mas como mera espectadora, fui de cabeça aberta e superou as minhas expectativas. A-DO-REI. E por mencionar “REI” já disse que o Rodrigo Santoro faz parte do elenco?! Para os mais desatentos, este “pedaço de mau caminho”, faz Jesus de forma convincente e conduz a um desfecho pelo caminho do bem. A atuação é boa, mesmo boa, mas com aquela carinha, o que ele diz são ordens e convence qualquer um! O 4DX só falha em não nos por lá a cuidar dele, quando ele é brutalmente maltratado. Brincadeiras à parte, o “hot Jesus” brasileiro está muito bem neste papel.

Rodrigo Santoro

Rodrigo Santoro em Ben-Hur

E é um orgulho saber que a primeira (e por enquanto única) sala de cinema onde podemos assistir a filmes 4DX na grande Lisboa é aqui, na margem sul, mais especificamente no Almada Forum. Da nossa parte fica a recomendação da experiência, porque é sem dúvida diferente e sente-se na pele. Literalmente.

Na saída fiquei com alguns filmes debaixo d’olho em cartaz e a estrear com outras carinhas com quem também simpatizo muito. Quem me fica com as crianças ponha o dedo no ar, que há muita coisa para pôr em dia. Oh, se há!

Nós aqui somos doidos por filmes. E pelo 4DX, neste cinema, perto de si.

Cinema 4DX

Nós aqui temos cinema 4DX.
Nós aqui, temos isto.

Tags: Almada Forum | Cinema 4DX | Margem Sul | Rodrigo Santoro | Ben-Hur |

Texto: Marlene Gaspar
Fotografias: Rodrigo Santoro in http://observatoriodocinema.bol.uol.com.br/ | Lisbon South Bay blog

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Forum

CINEMA 4DX DA GRANDE LISBOA É NO ALMADA FORUM.

assistimos

Ah, pois é! A primeira sala de cinema com a tecnologia 4DX na zona da grande Lisboa é na margem sul, mais precisamente no Almada Forum e vai abrir hoje ao grande público. Esta tecnologia põe à prova todos os nossos sentidos e a forma tradicional de assistir a uma sessão de cinema.

Nós aqui, aceitámos o convite de estar presente na antestreia 4DX do filme “10 Cloverfield Lane”, o novo filme do produtor J.J. Abrams, onde os monstros assumem muitas formas, ainda mais arrebatadoras no formato 4DX. Os argumentos para ir eram mais que muitos, mas nós nestas coisas boas que acontecem na Lisbon South Bay,  somos umas “fáceis”.

Nós, e muitas caras conhecidas e alegres que fizeram questão de estar presente neste grande acontecimento e, obviamente, experimentar novas sensações e usufruir desta nova experiência. Todos os caminhos vieram dar ao Almada Forum.

A antestreia foi antecedida de um cocktail para os convidados onde se percebeu claramente a curiosidade sobre esta nova tecnologia.

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Fórum

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Fórum

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Fórum

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Fórum

Inauguração da sala 4DX da NOS Cinema no Almada Forum com presenças como Alexandra Borges, António Raminhos, Bruno Rosendo, Carlão, Dânia Neto, Duarte Siopa, Henrique Feist, Isabel Figueira, Isabel Nogueira, Isilda Peixe, Márcia Leal, Oceana Basílio, Pedro Reis, Ricardo Carriço, Rita Ferro Rodrigues, Teresa Lameiras.

E chegou o grande momento! A entrada na sala. Foi-nos logo distribuído uma máscara que causou logo aquele suspense de: “Hum, o que é que vai acontecer ali dentro?!”

Grande parte da assistência eram atores e profissionais da comunicação e foi engraçado ver as suas expressões expectantes sobre esta nova forma de espectáculo, que me atrevo a dizer, sem qualquer dado estatístico que o comprove, que pensaram que profissionalmente vão querer trabalhar com esta técnica. Especulações à parte, o Ricardo Carriço lançou o mote (ver vídeo abaixo) e é tudo o que vos vamos contar sobre a história do filme, porque não queremos ser desmancha-prazeres. Aconselhamos a ir sem expectativa para viverem a experiência a 100% e não condicionada. (Aproveito para manifestar o meu desagrado quando alguém me relata os filmes antes de eu os ver. Para essas pessoas um gesto e uma expressão: mãos nos ouvidos e “I can’t ear you”, “I can’t ear you”. *

Vá, podemos ainda adiantar (que também não aguentamos não dizer nada vezes nada, não somos de ferro!), que há cerca de 20 efeitos diferentes, maximizando a sensação de envolvimento e integração no filme. E acreditem, que sentimos que estamos ali, ou lá – lá dentro, dentro do filme! Somos parte do filme e sofremos na pele (quase literalmente) as várias sensações dos personagens!

As cadeiras integram um sistema eletrónico de movimentos que permite simular inúmeras sensações como voar, cair, acelerar ou travar.

A sala recria ainda efeitos ambientais e contextuais como vento, água, chuva, nevoeiro, aromas (acreditem que se sente os cheiros e o frio e eu estava ligeiramente constipada, mas também não precisam de ir de manta!), entre outros, numa sintonia e sincronia com as imagens do ecrã. É outra cena. É muito fixe. E agora sim, mais não dizemos!

Parabéns aos responsáveis pelo projeto: a NOS Cinema, em parceria com a CJ 4Dplex Co. e a Multi Portugal. Ao que apurámos o Almada Forum tem um filme novo todas as semanas nesta sala 4DX com capacidade para 100 pessoas, por isso é estar atento e ir. Nós aqui, vamos andar por lá. Ah, pois vamos.

Nós aqui temos cinema 4DX.
Nós aqui, temos isto.

I can’t ear you” – não vos ouço.

Fotografias BILMA