Artigos

ParquePaz

VISITA DE ESTUDO AO PARQUE DA PAZ. Por Victória Gaspar Tomás

gostamos

A minha filha Victória tomou-lhe o gosto de escrever posts e depois do último que contámos aqui sobre uma visita de estudo, conta mais outra. Mesmo em pleno período de férias grandes (botem grandes nisto, que isto é um verdadeiro luxo que largamos quando se acaba de estudar!) gosta de escrever sobre experiências, descobertas e outros episódios. Aproveito para partilhar mais um, porque este foi vivido no Parque da Paz – aqui, na margem sul.

Gostava também de agradecer à Associação de Pais da Escola Básica do Alfeite pelo excelente programa de ATL que criaram para os alunos e pelo respetivo cuidado com eles. O nosso muito obrigada.

Agora sim, o palco é da Victória (2º ano) que conta com foi essa visita de de estudo.

A minha visita de Estudo no Parque da Paz

Primeiro saí da Escola às 8:30h e andei de metro.

Depois lanchei e tive tempo livre para brincar.

Depois fiz uma caça ao tesouro com ovos Kinder ou seja ovos de chocolate.

Depois Almocei e tive tempo livre para brincar.

Depois tive atividades com a corda como saltar a corda sozinha e em grupo.

Depois regressei à escola de metro e tive tempo livre para brincar.

Victória Gaspar Tomás

 

Nós aqui temos visita de estudo ao Parque da Paz.
Nós aqui temos isto.

Texto: Victória Gaspar Tomás (7 anos)
Texto introdução: Marlene Gaspar

Creola

VISITA DE ESTUDO À BASE NAVAL DO ALFEITE. Por Victória Gaspar Tomás

aplaudimos

Perdoem-me os que se queixam por andar um pouco ausente destas lides, mas tem sido por uma boa causa. Mas ainda não é hoje que vou quebrar este jejum, porque não podia ter melhor representante do quem vos trago aqui hoje para contar a sua visita de estudo à Base Naval do Alfeite – a minha filha Victória. 7 anos.

A Victória aqui conta-vos tudo (enquanto isso e eu vou só ali limpar a baba!):

Visita de Estudo na Base Naval da Escola E. B. do Alfeite

Primeiro saí da Escola às 8:45

Às 9:00 já estava lá na Base Naval

Quando cheguei lá lanchei e quando

acabei tive tempo livre para brincar

Depois joguei Futebol nuns mini campos

de insuflável e relva

Depois fizemos um piquenique a almoçar

e quando acabei tive tempo livre para brincar

Depois fomos visitar um navio chamado Creoula

e aprendi muitas coisas, como aprendi que aquele

navio era um barco de pesca, como vi a primeira vez

uma bússola e também que aquele barco é diferente

Depois lanchei e quando

cheguei à escola fiz a Batalha Naval

Victória Gaspar Tomás

Texto: Victória Gaspar Tomás. 7 anos

Nós aqui temos uma embaixadora da margem sul.
Nós aqui temos a Base Naval do Alfeite.
Nós aqui temos isto.

Texto introdutório: Marlene Gaspar

GolfinhoAlfeite

GOLFINHOS INVADEM BASE DE NAVAL DO ALFEITE

gostamos

O Jornal Económico escreveu uma peça com o título “Golfinhos invadem Base Naval de Lisboa” que é nada mais nada menos a Base Naval do Alfeite. E havia tanto para dizer sobre esta e tenho um particular carinho pela mesma, pois a minha princesa mais velha é aluna nessa nobre instituição. Mas, a notícia é tão boa, que me limito a partilhar e deixar outras histórias do Alfeite para outras núpcias. O texto é de Manuel Rifer:

A Marinha Portuguesa recebeu ontem uma visita especial de um grupo de golfinhos. Eram cerca de vinte e de acordo com as autoridades, em declarações à TSF, esta foi a maior “invasão” destes animais até o momento.

A Base Naval de Lisboa, em Alfeite (concelho de Almada), onde estão atracados vários navios, foi revista num todo pelos animais, de acordo com a Marinha. Os animais não vieram de passagem e decidiram ficar ainda algum tempo no local, começando a sua visita pela manhã. 

Em comunicado, de acordo com a TSF, a Marinha Portuguesa, afirma que não há “memória de uma visita semelhante por um grupo tão alargado de golfinhos e durante tanto tempo”.

A Base Naval de Lisboa é uma unidade em terra que compreende um complexo de infraestruturas portuárias, instalações e serviços no Alfeite e na Doca de Marinha, que tem como principal função o apoio logístico às unidades atracadas em Lisboa.

A nós resta-nos dar as boas vindas aos simpáticos Golfinhos.

Nós aqui temos invasão de Golfinhos.
Nós aqui temos isto.

Texto Jornal Económico: Manuel Rifer | Imagem: JE
Texto introdutório: Marlene Gaspar