Artigos

Musica casa da cerca

HÁ MÚSICA NA CASA DA CERCA.

Vamos a isto

A Casa da Cerca em parceria com a PontoZurca editora e produtora discográfica que gentilmente nos recebeu aquando a entrevista ao Vasco Boucinha (recorde aqui a mesma), está a promover os concertos ao Pôr do Sol, se não conhece este espaço esta é sem dúvida uma razão mais do que suficiente para o fazer, sabe sempre bem relaxar um pouco ao som de boa música. A Casa da Cerca é um centro de investigação e divulgação de arte contemporânea situada em Almada que para mim, tem uma das melhores vistas sobre a grande metrópole.

Agenda dos próximos concertos:

► Memória de Peixe
Sábado, 29 de Julho às 19:00 – 23:59

► Carmen Souza
Sábado, 26 de Agosto às 19:00 – 23:59

► Peixe
Sábado, 30 de Setembro às 19:00 – 23:59

Nós aqui temos música.
Nós aqui temos isto.

Texto: Catarina Laborinho
Fotografia e Vídeo: PontoZurca

DiadaCrianca

DIA DA CRIANÇA NA MARGEM SUL

gostamos 1

Depois de ter tido o luxo de ser surpreendida pelas minhas filhas no dia da mãe com um espetacular pequeno-almoço na cama (ideia boa, mesmo boa do pai, porque a César o que é de César), a Victória faz-me a mesma exigência para o dia da criança. Já há programa das festas planeado na escola para celebrar a data, o que não invalida o pequeno almoço servido na cama! O que me cheira que não vai correr, bem tendo em conta os desastres na cozinha que acontecem à mesa, imaginem nas camas e sem uma tábua rasa e direita para pousar a comida. Tem tudo para não correr bem. Estou metida numa alhada!

Mas, o melhor do mundo são as crianças e o melhor do meu mundo são as minhas crianças. Que se lixe o quarto arrumadinho, naquele dia os desejos delas são ordens (até certo ponto, porque eu também não sou de ferro, mas às vezes gostava), e por isso o pequeno-almoço servido na cama está garantido.

Já agora, consta-se que há atividades para a pequenada, e por ser aqui tão perto partilho convosco (quem é amiga, quem é?).
Dia 1 de junho, a partir das 10h, os Guardiões de Almada animam o Parque Urbano Comandante Júlio Ferraz, em Almada. À tarde seguem-se as Jornadas Prevenção: uma responsabilidade partilhada, organizadas pela Comissão de Proteção de Crianças e Jovens de Almada.

Mas, o dia da criança é quando um homem quiser e nos dias 2 e 3 de junho, a partir das 9h30, o Cineteatro da Academia Almadense recebe as Jornadas sobre Direitos Sociais e Participação. No dia 4 de Junho, no Parque da Paz há atividades como yoga, teatro e outras animações ao longo do dia, como nos sugeriu a Sandra Soto.

Eu cá para mim, também volto à criança que nunca larguei e celebro com elas, porque todos os motivos para celebrar e partilhar com quem gostamos são dias de festa.

Nós aqui temos o dia da criança.
Nós aqui temos isto.

Texto e foto: Marlene Gaspar

Ginjal

ALMADA DÁ MAIS UM PASSO PARA RECUPERAR O GINJAL

gostamos

Ninguém pára as boas notícias da margem sul, ninguém para as boas notícias da margem sul, olé oh!

É assim, pow, pow, pow. Boas notícias atrás de boas notícias sobre esta zona linda. E como é meu apanágio, cá temos mais uma boa nova para partilhar. O texto é da Alda Martins no Expresso | Economia.

Será desta que se desbloqueia o projeto de reabilitação e contenção da arriba na zona do Gingal em Almada — o espaço junto ao Tejo que se encontra abandonado há vários anos?

Ao Expresso, o presidente do município, Joaquim Judas, disse que o Plano de Pormenor poderá ser aprovado em Junho. “A indicação que tenho é que o desenho está numa fase final e que em Junho estará em condições de aprovação. Vamos ver se não haverá dificuldades da parte de alguma entidade [ambiental ou urbanística], apesar da margem de decisão da câmara, de acordo com a nova lei, ser maior”.

Se tal se concretizar será o primeiro grande passo para desbloquear um processo que tem anos. Em 2009 foi assinado um protocolo tendo em vista a elaboração deste Plano de Pormenor com a proprietária, controlada pelo grupo madeirense AFA. Oito anos de degradação depois, nada aconteceu.

Nem o susto de 2015, quando o chão do paredão ruiu e empurrou para o rio um carro com um casal e um bebé lá dentro, acelerou o processo. Na ocasião, o pior foi evitado mas a câmara teve de intervir e justificou o estado de degradação do Ginjal com a falta de resposta do proprietário.

Foi também nesse ano que a câmara acabou por reunir com os proprietários e com as entidades representativas dos interesses públicos, para apresentação de uma nova versão da proposta de plano. Agora o autarca refere que os donos estão “a trabalhar num projeto de arquitetura que contempla habitação, turismo, comércio e hotelaria”, numa área de 8,44 hectares, limitada a norte pelo rio. Uma vista sobre a cidade de Lisboa de tirar a respiração a quem por ali passa e que até faz esquecer os alertas de perigo de derrocada bem visíveis ao longo daquele espaço. Contactado pelo Expresso, o grupo AFA não fez comentários até à hora do fecho desta edição.

Enquanto não chegam as obras do Gingal ou o concurso público para o projeto da “Cidade da Água”, Joaquim Judas diz que não estão parados e vão avançar, naquilo que é possível, no plano de Cacilhas.

A câmara está a proceder à elevação do submarino “Barracuda”. Será também feito um trabalho de intervenção na fragata “D. Fernando II e Glória” e requalificado o espaço envolvente no âmbito do núcleo museológico. Além de estar previsto desenterrar as salgas romanas, existentes na zona, e intervencionar a arriba virada para o Mar da Palha.

A requalificação da praça onde hoje atracam os barcos da Transtejo só acontecerá mesmo quando o projeto da “Cidade da Água” avançar, com a criação dos terminais na doca 13 e quando o metro deixar de ir a Cacilhas.

Para lá do Ginjal, na direção oposta de Cacilhas, a frente ribeirinha continua e Joaquim Judas também tem planos. A começar pela zona do Olho-de-boi depois do elevador panorâmico sobre Lisboa.

“Há uns armazéns que eram da Companhia Portuguesa de Pescas. Temos tido contactos com as Finanças sobre a viabilização e reabilitação daquela área”. Um projeto que pode concretizar a ideia de uma estação para acolher o barco de investigação oceanográfico, em articulação com o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

Nós aqui temos o Ginjal.

Nós aqui temos isto.

Texto: Alda Martins in Expresso

Foto: Ana Baião

IMG-20170509-WA0006

VIAJAR COM A FERTAGUS AGORA É MAIS FÁCIL

METEMO-NOS

Quem segue o nosso Instagram já reparou  que desde terça feira está disponível uma nova APP para quem anda no comboio da ponte. Eu, utilizadora assídua deste meio de transporte não podia deixar de reparar, tanto na publicidade como nas meninas simpáticas que nos explicavam como funcionava a aplicação.

APP Via Verde Transportes

Simples, tão simples que já aderi ao serviço.
E como funcionam perguntam vocês?

Primeiro temos que ter a APP Via Verde Transportes descarregada no nosso smartphone (Descarregue a APP na Apple store ou na Play Store) o leitor de  QRCode já está disponível na própria aplicação.

Depois de efetuar o registo na Via Verde Mobile em simples 3 passos, consegui comprar o meu passe da Fertagus.  Como deixo a renovação sempre para a última, com a nova APP Via Verde Transportes e com a possibilidade de renovação automática, já não tenho que me preocupar com filas que todos nós conhecemos tão bem :) assim sobra mais algum tempo para nós e menos stress. Só vantagens!!

APP Via Verde Transportes

O serviço combinado com o Parque de estacionamento ainda não está disponível (ouvi dizer que até ao final do ano vai ser um 2 em 1) mas com a ajuda de um colaborador Fertagus acabei por renovar o mesmo na máquina. Simples, muito simples.

Para os utilizadores pontuais deixam de ser necessários os típicos cartõezinhos verdes que temos aos pares na carteira e que só ocupam espaço e volume. UFA, menos uns! Com a APP basta iniciar e terminar a viagem e ela calcula automaticamente o melhor preço e ainda nos dá a possibilidade de ter descontos.

APP Via Verde Transportes

Importante, importante é saberem que temos que ter sempre o GPS ligado no nosso telemóvel para que a APP saiba onde estamos e ter atenção em “terminar” para calcular o valor da mesma. A viagem será descontada na nossa conta da Via Verde. Caso tenhamos um encontro imediato com aqueles senhores vestidos de azul, o chamado Fiscal, também é fácil, basta dar-lhe a ler o código QRcode e voilà!! TOP!!.

A APP também está disponível para os clientes dos autocarros Sulfertagus.

No início pode parecer “estranho” mas que nos vem facilitar a vida, lá isso vem e de que maneira. Cada vez mais o nosso smartphone é uma ferramenta essencial do nosso dia-a-dia, e esta APP vem sem sombra de dúvidas facilitar a vida aos mais distraídos com as datas, EU :)

Nós aqui já temos a nova APP Via Verde Transportes
Nós aqui temos isto.

Texto: Catarina Laborinho
O Lisbon South Bay Blog agradece à Fertagus

FERTAGUS, LSBblog

Jovens Talentos Almada

CONCURSO JOVENS TALENTOS EM ALMADA. Até 15 de maio.

APOIAMOS 1

Jovem até aos 35 anos não é nada mau. Eu já não me posso candidatar por uma unh negra! E eu aqui com tanto talento para mostrar! Bom, não vale a pena chorar por leite derramado, se alguma vez quis me candidatar a coisas destas rapidamente a vergonha foi algo que me impediu de participar e arriscar. Bom, se calhar também a falta de algum talento nato para surpreender, mas se não tens nenhuma condicionante destas: menos 12 e mais de 35 anos e tens um talento que pecado é não dar a conhecê-lo ao mundo, pelo menos ao mundo da margem sul, de que é que estás à espera?

Estão aí as candidaturas para a 8ª edição do Concurso Jovens Talentos “Almada Cidade Educadora” e só estão até ao dia 15 de maio de 2017. Por isso, não tens muito tempo para revelá-lo. A Marisa Liz – Amor Electro é a embaixadora desta edição e talento é coisa que não lhe falta. Agora imagina que ela não se tinha candidatado a um concurso. Poderíamos não ter ouvido este vozeirão que tanta companhia já me fez. Mas não vale a pena referir o se não, tens tempo (mas não muito), por isso agarra a oportunidade.

Podes candidatar-te se tiveres entre 12 e 35 anos de idade (inclusive), e residir, ou estudar, ou trabalhar, ou ainda desenvolver alguma atividade relevante no concelho de Almada.

O Concurso Jovens Talentos 2017 é composto pelas seguintes categorias:
– Almada, Cidade Educadora (prémio de 1200 euros)
– Almada Terra do Conhecimento (prémio de 600 euros)
– Almada, Terra das Artes e da Criatividade (prémio de 600 euros)
– Almada, Terra do Empreendedorismo (prémio de 600 euros)
– Almada, Terra do Bem-estar e do Desporto (prémio de 600 euros)
– Almada, Terra Solidária e das Oportunidades (prémio de 600 euros).

Nesta edição, seis candidaturas, independentemente da categoria em que se inserem, serão distinguidas com o Prémio Almada, Jovem Promessa (com o prémio de 300 euros cada).

Estão disponíveis até 15 de maio as Condições de Participação (pdf) e o Formulário de Candidatura em www.m-almada.pt/jovenstalentos

Got talent em Almada. Anda daí.

Nós aqui temos Jovens Talentos.

Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

“The Art of Losing” | Fotografia Susana Pereira

DANÇA, É EM ALMADA E NA MOITA

Vamos a isto

Dia  29 de Abril é Mundial da Dança e #nosAqui vamos lá estar.

Em Almada, a comemoração está a cargo da Ca.DA Escola, com um espetáculo coreografado pela professora Maria José Bernardino. Nele são apresentadas duas peças de Dança Contemporânea, “O Regresso” e “O Muro”, num programa que, acima de tudo, pretende promover a dança e o desenvolvimento de percursos artísticos dos jovens alunos.

"O Muro" | Fotografia Sérgio Carvalho

“O Muro” | Fotografia Sérgio Carvalho

Por sua vez, na Moita, a Companhia de Dança de Almada apresenta o espetáculo “The Art of Losing”, da coreógrafa São Castro. Tendo como mote o início de um dos mais profundos e melancólicos poemas da poetisa norte-americana Elizabeth Bishop, “One Art”, o bailado convida a reflectir sobre a habilidade necessária para se lidar com a perda, e sobre o papel da memória e do corpo nesse processo. São Castro pretendeu colocar o corpo em confronto com a mutabilidade e a precariedade da existência, traduzindo-se num texto no qual os bailarinos se movem em palco tal como na vida, sem uma narrativa óbvia.

“The Art of Losing” | Fotografia Susana Pereira

“The Art of Losing” | Fotografia Susana Pereira

A Companhia de Dança de Almada é uma companhia profissional de dança contemporânea, dirigida por Maria Franco. Criada em 1990, a companhia tem como missão promover a dança como uma forma de arte, oferecendo um espaço de trabalho profissional para criadores/coreógrafos/professores e bailarinos.

+ informações:

O Regresso / O Muro
Espetáculo Comemorativo do Dia Mundial da Dança
Ca.DA Escola
29 de abril, às 17:00 e 21:30
local: Almada, Auditório Fernando Lopes-Graça
reservas: 212 724 922 | auditorio@cma.m-almada.pt
classificação: M/12
preço: 2,5 euros, preço único

The Art of Losing
Companhia de Dança de Almada
29 de abril, às 21:30
local: Moita, Forum Cultural José Manuel Figueiredo
reservas: 210 888 900 (3ª-feira a sábado, das 14:30 às 19:30) | forum.cultural.jmf@mail.cm-moita.pt
classificação: M/12
preço: Grátis

Faz o #savethedate na tua agenda, porque este dia vai ser marcado pela dança.
Para outros eventos clique aqui

Nós aqui temos dança.
Nós aqui temos isto.

Texto: Nota de imprensa Companhia de Dança de Almada

Birras

O PESO DAS BIRRAS…por Margarida Alegria

educamos para 1

A Dra. Margarida Alegria partilha uma forma de resolver estas situações que nem sempre sabemos como é melhor agir. Agora só me falta saber como resolver as minhas birras! Ehehehe.

por Margarida Alegria

As birras é um assunto muito falado no meu dia a dia… seja em consultório, seja entre amigos, seja entre família ou seja com a minha filha de 18 meses..
Cada vez mais é uma preocupação dos pais as birras dos filhos, o não controlar a situação…

Podem variar entre o choramingar e o gritar, com direito a espernear, gesticular e suster a respiração.
Os gritos e os choros das crianças são a frustração de qualquer pai. Por vezes basta dizer um “NÃO” para que a criança comece a gritar, chorar ou a bater com os pés.

Durante o “conflito” emocional e comportamental, uma birra pode implicar uma enorme frustração, não só para a criança, mas também para o adulto.

Normalmente estes comportamentos são para chamar a atenção, mas também podem ser um sinal de cansaço, desconforto físico, incapacidade de argumentar ou frustração. A frustração faz parte do desenvolvimento, faz parte de um processo de descoberta e aprendizagem, sobre si próprio, sobre os outros e sobre o mundo. As crianças pequenas estão também a tentar perceber como funciona o mundo e a procurar partido dele. Quando não conseguem alcançar o seu objectivo recorrem à única forma que conhecem de libertar a sua tensão e frustração, através de uma birra.

O facto do início das descobertas coincidir com um período em que a linguagem ainda está em desenvolvimento, alimenta a frustração. À medida que as competências linguísticas se desenvolvem, as birras tendem a diminuir.

É importante o adulto dominar a birra, antes que a birra o domine a si. Encare a birra como uma oportunidade de aprendizagem.

ClinicaAlegria

Dra. Margarida Alegria em consulta

DICAS:

Deve-se evitar o cansaço na criança, ou que fique demasiado excitada, pois vai favorecer o desencadear de emoções fortes. Os pais devem manter uma atitude calma e relaxada, para a criança ver este comportamento como um modelo a seguir. É importante ajudar a lidar com a frustração e a cólera, ajudar a criança a ver que existem outras opções para resolver os problemas sem ser através de uma birra.

A criança tem que entender que a birra não é meio para conseguir aquilo que quer, se ceder sempre ela vai usar isso como estratégia e criar um hábito para fazer chantagem sempre que desejar algo.

À medida que for aprendendo a aceitar que não pode ter tudo imediatamente, as birras vão sendo menores. É importante elogiar cada pequeno passo em que ela mostre controlo.

O trabalho da criança é testar os limites dos pais, o seu é definir os limites e ensinar a criança a respeitá-los. O combate às birras pode ser visto como uma forma de desenvolver a auto – motivação e autoconfiança da criança, fazendo a distinguir o certo do errado. Encare as birras como um desafio para educar e para ensinar.

Nós aqui temos como solucionar as birras.
Nós aqui temos isto.

Texto introdução: Marlene Gaspar
Texto: Margarida Alegria do Centro de Implantologia de Almada

Praça da Liberdade, 1 J Almada
Telefone: +351 21 276 32 09
Telemóvel: +351 96 758 84 02
Email: clinicanunoalegria@hotmail.com

Post em parceria com o Centro de Implantologia de Almada

logo PB

Carnaval20102_g

EM ALMADA TAMBÉM SE BRINCA AO CARNAVAL.

brincamos a isto 1

#Sesimbra pode ser a rainha do Carnaval da margem sul, mas Almada não se fica e já arranjou um belo programa para se brincar e com tudo que se tem direito. A saber:

CarnavalAlmada1
CarnavalAlmada2
CranavalAlmada

A Praça S. João Baptista, em Almada, vai ser o palco da festas e pelos vistos este Carnaval promete: o grupo musical They Must Be Crazy, ateliês para famílias com pinturas faciais, construção de tambores, loucuras capilares (whatever that means!) e um fotógrafo muito especial.

A entrada é livre por isso embora aí brincar ao Carnaval?

Nós aqui temos Carnaval em Almada.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Corrida S. Silvestre

BATER PERNA NA S. SILVESTRE DE ALMADA. 17 de dezembro.

corremos
É com tristeza que afirmo que não vou poder ir! Os jantares de Natal amontoam-se e compromissos são compromissos.
Mas o espírito natalício é de partilha e entrega e não é por eu não poder ir (buá, buá) que não vamos divulgar! Há quem possa bater perna nisto e só lhe faça bem.
No dia 17 de dezembro, sábado a partir das 18h, com partida de Cacilhas inicia esta prova, que conta com uma corrida de 10 km e uma caminhada de 5 km.
A Corrida São Silvestre de Almada 2016 vai contar com a participação 700 pessoas (e eu não vou estar neste número (buá, buá), divididas pelo percurso de 10 km e pela caminhada de 5 km.
A partida e chegada é junto à Fragata D. Fernando II e Glória, em Cacilhas, vai passar pelas principais ruas e avenidas das freguesias de Cacilhas, da Cova da Piedade, Laranjeiro e Almada, incluindo a Base Naval de Lisboa, um dos meus destinos diários – o Alfeite.
Não vais participar e isto não te interessa nada, a menos que te condicione o trânsito? Então tenho a dizer que vão haver condicionamentos de trânsito e o melhor é saberes que caso precises de passar por ali par não se ficar a barafustar no trânsito. Não vale a pena. Keep calm e ficar atento às alterações à circulação automóvel que vão estar devidamente assinaladas nos locais e serão acompanhadas por agentes da PSP de Almada e elementos da organização, de modo a minimizar os eventuais transtornos que estes constrangimentos possam causar.
TST e Metro Sul do Tejo
Vão também ocorrer restrições na circulação de autocarros da Transportes Sul do Tejo (TST), mantendo-se a normal circulação do Metro Sul do Tejo (MST).
Fica também a par do percurso para saberes onde poderão haver maçadas.
 
#Parque de estacionamento junto à Fragata D. Fernando II e Glória (partida)
#Rotunda do Canecão
#Avenida Aliança Povo M.F.A.
#Rotunda junto ao Hospital Particular de Almada
#Romeira
#Base Naval de Lisboa (Alfeite), com saída pelo Portão Verde (Laranjeiro)
#Rua dos Álamos
#Avenida 23 de Julho
#Rua Conceição Sameiro Antunes
#Avenida Bento Gonçalves (sentido Centro Sul – Cacilhas)
#Avenida D. Nuno Álvares Pereira (sentido Almada – Cacilhas)
#Avenida D. Afonso Henriques (sentido Almada – Cacilhas)
#Parque de estacionamento junto à Fragata D. Fernando II e Glória (chegada)
E é assim que Almada recebe mais um magnífico evento para bater perna.
saosilvestredealmada_16
Nós aqui temos a corrida de S. Silvestre.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
PresidentesCamaraMargemSul

NOVOS INVESTIMENTOS NA MARGEM SUL

gostamos 1

Hoje abrimos com um registo mais sério, porque a escrita não é nossa. Partilhamos a notícia do Jornal de Negócios em que informa que o Governo vai investir naquilo que um outro governo um dia disse não ser um “deserto”. Ora vejam.

“Governo abre a porta a investimentos na margem Sul 

Os autarcas de Almada, Barreiro e Seixal reuniram há cerca de duas semanas com o primeiro-ministro António Costa e os ministros do Mar, Infra-estruturas e Ambiente sobre o avanço de projectos que consideram estruturantes nos antigos terrenos da Lisnave, Quimiparque e Siderurgia Nacional. Investimentos como a Cidade da Água na Margueira (Almada), o novo terminal de contentores do Barreiro ou a instalação de novas indústrias no Seixal dependem ainda de questões administrativas, decisões políticas e resolução de passivos ambientais.

Ao Negócios, Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, sublinhou que esta primeira reunião com o primeiro-ministro foi “um bom sinal”. De António Costa, os autarcas obtiveram garantias do empenho do Governo para concretizar os projectos, promovidos agora sob a marca Lisbon South Bay pela Baía do Tejo, empresa do universo Parpública. O Executivo, adiantou Carlos Humberto, considera o projecto “de interesse nacional”, entende que “deve ser visto como um todo” e reconhece a sua importância “como dinamizador regional”.

Impulso em 2017

Os três autarcas têm reclamado maior celeridade, até por estarem em causa investimentos que, no total, podem ultrapassar os 1,7 mil milhões de euros na região e para os quais já há interessados. As razões para a demora diferem em cada um dos concelhos.

No caso de Almada, o projecto Cidade da Água, nos terrenos da antiga Lisnave, está aprovado desde 2009 e representará um investimento da ordem dos 1,2  mil milhões de euros. Três investidores – um americano, um chinês e um britânico – já fizeram mesmo chegar cartas de intenção à Baía do Tejo. No entanto, problemas administrativos, designadamente quanto à titularidade dos terrenos, que está há três anos por resolver, têm atrasado o processo. Ao Negócios, Joaquim Judas, presidente da Câmara de Almada, adiantou que  já haverá “acordo de princípio para passar para a Baía do Tejo até ao final deste ano”. Depois deste passo, faltará apenas definir o modelo e lançar o concurso, o que acredita que acontecerá em 2017.

No Barreiro, Carlos Humberto também espera que sejam dados passos no próximo ano relativamente ao novo terminal de contentores. A ministra do Mar tem feito depender o projecto da conclusão dos estudos que viabilizem a infra-estrutura, assim como da existência de investidores interessados. Neste momento, falta que a Administração do Porto de Lisboa (APL) entregue os estudos à Agência Portuguesa do Ambiente para esta se pronuncie.

Além da Maersk, à autarquia e à APL já chegaram outras manifestações de interesse no projecto, que exigirá um investimento da ordem dos 500 milhões, mas “pode arrastar mais”, frisa o autarca. O terminal, que será instalado em terrenos conquistados ao rio, funcionará como investimento âncora para que outras empresas se possam instalar nos 300 hectares de terreno da Baía do Tejo na antiga CUF. “Apenas falta a decisão política suportada no estudo de impacto ambiental”, sublinha Carlos Humberto, para quem “no primeiro semestre de 2017 podia ser tomada a decisão”.

No Seixal, o grande problema é a descontaminação. Joaquim Santos, presidente da autarquia, diz que são precisos 50 milhões de euros para resolver o passivo ambiental em terra (mais 40 milhões na água). “Já foram executados 13 milhões e em 2017 serão mais seis – faltam 30 milhões”, afirma, sublinhando que “ainda não se chegou a metade do caminho”. O responsável revelou ainda que da parte do Ministério do Ambiente “há disponibilidade para avançar com mais candidaturas a fundos europeus” para resolver o problema, em que a comparticipação nacional é de 15%. O autarca garante que há interessados nacionais, na área da logística e indústria, na zona que já está descontaminada.

INVESTIMENTOS

Autarcas querem decisões

São 900 hectares disponíveis na margem sul do Tejo para projectos urbanísticos, logísticos e industriais.

Cidade da água na antiga Lisnave
Nos 53 hectares de terreno que serviram para a construção e reparação naval está prevista a construção do grande projecto urbanístico Cidade da Água. Serão 630 mil metros quadrados de área bruta de construção, destinada a habitação, empresas, comércio, hotéis e espaços de cultura e de conhecimento. Contará ainda com uma marina e um terminal de transporte multimodal.  O grupo que ganhar o concurso ficará obrigado a cumprir o projecto, o qual foi aprovado e publicado em 2009.

Barreiro quer novo terminal
O Barreiro espera que a decisão política quanto à construção de um novo terminal de contentores, iniciativa lançada pelo anterior Governo, avance. No parque empresarial que a Baía do Tejo tem no Barreiro, com 287 hectares, estão actualmente instaladas cerca de 200 empresas, mas outras já terão mostrado interesse em expandir-se ali caso seja construído o terminal.

Seixal preparado para Indústria
Dos territórios promovidos no âmbito do Lisbon South Bay,  o Seixal é o mais preparado para a indústria pesada. Os 400 hectares da antiga Siderurgia disponíveis não estão ainda descontaminados na totalidade e, só para os solos, serão necessários 50 milhões de euros.  Indústria, logística e serviços são as principais vocações desta área. Já há contactos com um empresa portuguesa para investir no território, na zona que já foi alvo de descontaminação. O autarca do Seixal garante que há outros interessados. ”

Maria João Babo
Jornal de Negócios

Nós aqui temos investimento.

Nós aqui temos isto.

Fotografia: Miguel Baltazar