Artigos

Screen Shot 2016-09-14 at 15.25.16

CORTE E COSTURA É NO SEIXAL. EPISÓDIO 2

APLAUDIMOS

A Marlene fez uma bainha e eu também queria. Confesso que a culpada de lá ir foi ela, mas também queria experimentar.

Sabia um bocadinho mais de costura do que a Marlene já que quando era miúda, tive a minha primeira Singer, a tão linda e maravilhosa máquina de costura que me ajudava a fazer bainhas a apertar calças (a moda da altura dá-nos a volta a cabeça). Perdi a conta ao número de calças que arranjei, mas voltar a entrar no “mundo” das máquinas não estava nos meus planos. A verdade é que entrei, pé ante pé, e a simpatia da Maria João, para além de contagiante, fez-me sentir confortável num Mundo longe de ser o meu.

Quando entrei a Maria João fez-me a pergunta chave: Sabes coser? NÃO, nem um botão (que vergonha, se tivesse ali um buraco tinha-me enfiado, mas é a mais pura das verdades, sempre que há um botão para coser, seja ele de onde for, acaba sempre na casa da Mãe).

Mas já tive um máquina de coser! Digo eu orgulhosa da minha pequena Singer.

Eis que a Maria João lança o desafio. O que queres fazer? E eu claro, que penso sempre em grande e não me ia satisfazer com uma bainha já que fiz muita, mesmo que todas tortas e mal feitas, disse-lhe logo que queria fazer um “necessaire”. Sabem aquela sensação de que te mandaste nitidamente para fora de pé? Sem boias ou braçadeiras? Pronto, era para aí que eu estava a nadar…

Claro que depois do desafio lançado a Maria João arregaçou as mangas, e começaram as dificuldades, as minhas claro.

Que tecido utilizar? Que forro utilizar? Que cor de fecho… ui tanta coisa ao mesmo tempo, mas tínhamos que começar, o tempo estava a passar e o meu necessaire ainda estava enrolado num rolo de tecido.

Comecei por escolher o tecido, o forro, a cor do fecho e voilá, chegou a hora de meter as mãos à obra.

Corta molde, corta outro molde, passa a ferro, e é hora de nos sentarmos na máquina. No início a Maria João teve que me relembrar os princípios básicos de utilização, é quase como andar de bicicleta, nunca nos esquecemos, mas com o passar dos anos e a evolução das máquinas há sempres pequenos grandes pormenores que nos ajudar a que a nossa experiência seja sempre melhor.

O meu necessaire estava a ficar com forma, linha para a frente, linha para trás, corta, dá a volta, costura o fecho (diiiiifiiiiiiciiiillllllllll), fecha os cantos e por último cose o forro e vira o tecido. BESTIAL. Estava pronto. Claro que no meio de tanta conversa um necessaire que devia ter ficado pronto de 2h demorou 4h, mas falar é saudável, aliás é muito saudável e a Maria João puxa por nós.

E voilá, o meu necessaire.

E voilá, o meu necessaire.

Podia contar aqui muitos mais pormenores, poder podia, mas não era a mesma coisa, já que esta experiência deve ser vivida por todos aqueles que acham que não percebem nada de costura, tal como eu.

Hoje não saio de casa sem o meu necessaire, é ótimo para ter sempre arrumadas as minhas coisas dentro da mala sport billy, já para não falar que é a solução mais rápida para trocar de mala de manhã antes de sair de casa para o trabalho. Dá uma “jeitaça” e é gira que se farta J

Obrigada Maria João adorei as horas que tive no atelier, e obrigada por me ajudares com os tecidos, já que num mundo tão vasto acabamos sempre por nos perder J

Atelier Maria Pimpolha
Avenida Principal n.70, 1 andar, Casal do Marco – Seixal

Maria João Albuquerque
964831067
ateliermariapimpolha@gmail.com

Nós aqui fizemos um necessaire.
Nós aqui temos Corte e Costura.
Nós aqui temos isto.

Maria Pimpolha Atelier

CORTE E COSTURA É NO SEIXAL.

APLAUDIMOS
Se há coisa para a qual nunca tive jeitinho nenhum, foi para a costura. O verdadeiro corte e costura, como arte, sempre me passou ao lado, o “outro”, com a idade e para minha felicidade, passa-me cada vez mais.

Mas, conhecer a Maria João, a proprietária do atelier de costura Maria Pimpolha fez-me querer experimentar. A Maria João e eu temos um percurso e opções profissionais com algumas semelhanças e vê-la apresentar de forma apaixonada o seu negócio “obrigou-me” a não negar uma “ciência que desconhecia” – a costura.

Estão a ver as modistas que faziam-nos as roupas à nossa medida e/ou os espaços tradicionais onde se fazem arranjos? O atelier Maria Pimpolha não tem nada a ver. É um espaço moderno, dedicado a workshops e aulas na área da costura e outras manualidades, como Corte, Costura e Modelagem, Costura Criativa, Roupa de criança e Enxoval do bebé.

Fiquei logo surpreendida pelo espaço moderno e acolhedor. As máquinas de costura, as “rainhas do pedaço” e até têm um ar tranquilo! Ao conversarmos com a Maria João, somos imediatamente contagiadas com a sua paixão. Começa por mostrar-nos a máquina que era do avô, de 1962! É a grande responsável pela abertura daquele espaço. Esta herança de família foi recuperada por ela e foi nela que a empresária começou a fazer o seu corte e costura.

máquinas costura

A “velha” e a “nova” máquina de costura

Dali à abertura do atelier foi um passo. E a margem sul, mais precisamente no Casal do Marco, ficaram a ganhar com esta espaço. Sim, porque o espaço também é uma Academia Burda, a primeira a abrir aqui, na margem sul, que usa este método.
O atelier estava uma animação. Uma aluna orientada pela Verónica, saiu naquele dia com uma saia feita por ela, pronta a estrear. Eu lancei-me a uma bainha numas calças que não viam a luz do dia há alguns tempos. Ok, aqui parem todas as pessoas que sabem coser e que estão a pensar – qual a dificuldade de fazer uma bainha? Sim, há pessoas que não têm a mínima noção de como se faz e conseguir fazê-lo é tão gratificante como criar e fazer um vestido…de casamento. Ok?
A medos comecei por fazer os exercícios básicos e não sendo uma prova superada de imediato, fui-me rendendo ao prazer de costurar. Diverti-me. E é incrível a boa sensação de conseguir fazer. Colocarmo-nos à prova, sairmos da nossa zona de conforto é algo extremamente prazeroso. Como diz Scheila F. Scisloski ‘o amor é uma costureira habilidosa. Vai costurando possibilidades onde não havia.’

Corte e Costura Atelier

Atelier Maria Pimpolha em atividade

Não virei costureira de um dia para o outro, mas usar umas calças com uma bainha feita por mim (ainda que não seja a linha mais direita que já se viu) sabe “muuuito” bem. Como dizia a elegantérrima Coco Chanel: qualquer coisa é bela se vista de uma forma diferente. E eu, precisei experimentar para ter essa visão.
Foi uma manhã muito divertida e que me colocou cheia de vontade de fazer mais. E há muito por onde. Aqui encontramos aulas livres, workshops na área da costura ou tricot, crochet, patchwork e bordados. Há ainda os workshops partilhados entre Mães – “Costura para Miúdos e Graúdos” e fiquei mega fã da ideia inovadora e surpreendente – festas de aniversário. Quer fazer uma festa de aniversário diferente para crianças dos 5 aos 12 anos? Vá ao Atelier Maria Pimpolha e pergunte-lhe como. As “Festas de Costura” contam com o acompanhamento de uma monitora e as crianças desenvolvem pequenos projetos de costura criativa.
Também há aulas de Costura criativa para Teens, aulas de costura criativa, confecção simples e iniciação à máquina de costura para crianças a partir dos 10 anos. Nestas aulas começam por desenvolver pequenos projetos de costura, que vão desde a costura criativa até mesmo à confecção de simples peças de vestuário, como calções e tops. E, nós, os graúdos, também temos direito, a cursos de iniciação e aulas livres de Corte. Costura e Modelagem.
Além destes, o Curso de Corte e Costura, segundo o método da Burda, com uma professora certificada inicia já a 24 de setembro já com datas marcadas até janeiro de 2017.
Saiba tudo em:
Avenida Principal n.70, 1 andar, Casal do Marco – Seixal
Maria João Albuquerque
964831067
ateliermariapimpolha@gmail.com

Obrigada Maria João e Verónica por toda a vossa incansável paciência e motivação.

P.S. A Catarina também se lançou no desafio, e com mais jeito, já criou algo digno de registo. Ela vai contar-vos tudo, neste blog, perto de si.

Nós aqui temos Corte e Costura.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotografia: Lisbon South Bay blog