Artigos

AULA ABERTA

DIA DE AULA ABERTA NUMA ESCOLA DO CONCELHO

aplaudimos

Hoje foi dia de aula aberta e nós fomos lá.

O dia de hoje começou de uma forma muito diferente. A minha filha Maria, que anda numa das escolas aqui na nossa South Bay, teve uma aula aberta na disciplina de EV (educação visual) e nós, duas gerações, estivemos presentes.

O projeto, idealizado pela disciplina de HGP (História e Geografia de Portugal), consistia na construção de uma casa de Castro. E o que é isso perguntam vocês? Lá teremos que recuar uns valentes séculos…

Os Castros eram povoados fortificados situados em lugares estratégicos que facilitavam a defesa da população, localizados na sua maioria no topo de penhascos ou de montes que forneciam centros de comércio e aldeamentos seguros. A cultura castreja desenvolveu-se com a chegada dos celtas a partir do século IV a.C.

CASTROS

Muitos castros remontam ao período Neolítico e não eram usados como centros de comércio, mas sim para guardar e proteger animais. Durante a Idade do Bronze, os castros sofreram uma evolução e passaram a incluir casas e celeiros, bem como armazéns subterrâneos e caves, para depois se tornarem um elemento mais militar com entradas guardadas ao longo da Idade do Ferro.

Os castros eram estruturas fortes e resistentes, com uma forma circular, forrados a pedra e telhado de colmo e foi isso que nós fomos tentar fazer :)

O avô Fernando começou o projeto. Primeiro tivemos que fazer a estrutura circular com alguma resistência para comportar o peso das paredes de pedra. Usamos cartolina e uns paus  para lhe dar alguma sustentabilidade. Depois tínhamos que fazer o telhado com palha. UI, o verdadeiro desafio. Colar palha a palha estava fora de questão, então o nosso Einstein Fernando encheu o teto da casa de cola e encheu-o de palha. Rápido, muito rápido, e o teto está feito!!

DIA DE AULA ABERTA

DIA DE AULA ABERTA

Quanto à parede o método foi o mesmo, mas aqui a dificuldade era outra, já que quando fosse montada as pedras que não estavam coladas poderiam acabar por cair. E isso não podia acontecer. Lembrei-me que nos meus tempos de projetos de faculdade utilizada laca de cabelo para “colar” algumas coisas. Desta vez não utilizamos laca mas sim um tipo de verniz também em spray. Devia ter dado um jeitão no século IV . Empestámos a sala, mas era por uma boa causa.

A parede essa, ficou a colar, mas o projeto estava praticamente finalizado e o nosso desafio realizado. Agora cabe à Maria acabar em grande mais este desafio colocado pela escola.

A Maria ficou feliz, a Mãe (euzinha) também e claro o avô Fernando o verdadeiro “Macgyver” também, e muito!!

Obrigada Professora de HGP e Professor de EV, nós aqui gostámos muito.

Nós aqui temos aula aberta com muito orgulho e prazer.
Nós aqui temos isto.

Texto e Fotos: Catarina Laborinho