Artigos

Avós

QUANDO FOR GRANDE QUERO SER AVÓ!

agradecemos isto 1

Desde pequenina que oiço esta pergunta e a resposta foi mudando ao longo dos anos. Hoje, a resposta pode parecer inesperada, mas é esta: “quando for grande quero ser avó”.

A minha primeira vontade era ser advogada, daquelas que ia para a barra de tribunal argumentar e contra-argumentar e ganhar os casos todos. Papei as séries todas do género – Perry Mason era o meu herói e ainda hoje dou o “ass” e meio tostões para ver um bom episódio de séries deste calibre. Mas assim que tive a minha primeira disciplina de direito percebi que não nasci para aquilo. Se para argumentar e contra-argumentar tinha que saber na ponta da língua mil novecentas e setenta e quatro leis, mais iva, pensei que era melhor ir fazer a minha vida para outro lado. Depois de descoberta a minha vocação, passei a querer menos “rótulos” e a desejar coisas mais interessantes – ser boa pessoa, ser boa naquilo que faço, ser boa mãe. Para além de desejar a continuar a ser isto (sim, modéstia à parte, estou a dar isto como dado adquirido!), quando for grande quer ser uma “ganda” avó. E porquê? Não, não é porque queira envelhecer rapidamente, mas porque, dou por mim a agradecer os pais que tenho e que são os melhores avós do mundo e, a erguer as mãozinhas para o céu deles terem saúde e paciência para serem quem são para as minhas filhas e para o meu sobrinho. Só quero chegar a idade deles e ter a mesma disponibilidade e entrega para fazer a minha descendência tão feliz como eles fazem. Ainda agora são eles que lhes estão a proporcionar os melhores dias de férias da criançada, que como não podia deixar de ser, é a sul.

Os avós deixam-nos marcas profundas, mas daquelas boas, mesmo boas. Recordo os meus (os que conheci) como os verdadeiros pilares e os maiores no reino do mimo e de nos saberem fazer felizes. Com pouco, bastava muito pouco, faziam-me sentir a rainha da cocada. No meu último encontro de primos, em conversa com uma prima, ela disse-me: a maior herança que os teus pais podem deixar aos netos é o tempo que passam com eles. Por isso, as minhas filhas são umas sortudas e eu não sou menos.

É essa marca que quero deixar. Quando for grande quero ser avó, uma avó cool, com energia, paciência e com quem os meus netos queiram estar. E já agora, se não for um grande abuso, com pinta e elegância, porque dá muito jeito saber envelhecer. Oh, se dá!

Hoje é dia dos Avós. Obrigada a todos eles.

Nós aqui temos o Dia dos Avós.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar