Artigos

BarreiroTerraSanta

RESSURREIÇÃO DE JESUS CRISTO TEM MARGEM SUL COMO PANO DE FUNDO?

gostamos 1

Este fim de semana fomos para fora cá dentro, mas neste caso não foi dentro das fronteiras da margem sul, mas ali mais para o centro. O centro do país. Fomos a Tomar. Já sabem que a margem sul está cá dentro, mas este “fundamentalismo” permite-nos desbundar outras paragens.

Foi um (re)encontro de amigos. Alguns que se conheceram no casamento que vos contei aqui e a grupeta que ficou na mesa 9 tem mantido contacto desde então. Até porque os culpados disto tudo, os noivos, deram-nos corda e alinharam connosco. O destino foi escolhido por ser central para quem vem de diferentes zonas do país e para conseguirmos juntar cultura, lazer e bem comer (oh senhores, este último foi levado tão a sério que vamos passar o próximo mês a pão e água!) Uma desgraça. Cheios, mas felizes. Como levámos a “filharada”, quisemos juntar o útil ao agradável e incutir história para além das histórias que temos para contar.

PrincesasnaMargemSul

Visita ao Convento

A cidade histórica de Tomar tem muito para ver. E tem como ex-libris o Convento de Cristo, que numa feliz coincidência, tem entrada gratuita no primeiro domingo de cada mês para promover a cultura e o hábito da visita. Enaltecemos a dica porque isto é válido para todos os museus! A visita foi marcada e o convento foi-nos apresentado pela simpática Maria Luz Lopes, a guia que nos acompanhou e contou a história de cada canto e recanto. O monumento é imponente e lindo. Entrámos e dissemos às pequenas que elas eram as princesas a entrar no castelo e, não sei se elas se sentiram como tal, mas acredito, porque um resumo da visita foi contado assim…

VisitaaoConventoTomar

O “Castelo” contado pelas princesas

Senti-me agradecida por poder passear-me e conhecer aquele cenário. Inspira-se e respira-se história. E daí? O que é que isso tem a ver com a margem sul? Até agora nada.

Eis que entramos na Charola que nos deixa boquiaberta com as obras de arte que não foram transferidas para o Museu de Arte Antiga (como a melhor parte!) e que conseguiram ser recuperadas e mantidas. A Maria da Luz provoca-nos com uma história que nos vai fazer ficar boquiabertos: Estão a ver esta obra?

BarreiroTerraSanta

Pintura da Escola de Pintura de Quinhentos

É uma pintura da Escola Portuguesa de Pintura de Quinhentos (remete-nos por volta do ano 1518) mandada pintar por D. Manuel, aos pintores-mor Jorge Afonso e Francisco Henriques para representarem a ressurreição de Jesus Cristo e escolhem a Cidade de Lisboa (antes do terramoto) como pano de fundo. Ou seja, vista como se estivessem no Barreiro! – Barreiro Terra Santa! Ah, pois! Por esta é que não estavam à espera, certo?

Tomar

Charola no Convento de Tomar

Se é verdade ou lenda, não sei, mas curioso é. E isto, tinha mesmo de contar. Se não se puderem deslocar a Tomar para ver a imagem, a Maria da Luz contou que a mesma imagem está na Torre do Tombo, que assim como assim, é mais perto para quem está na margem sul.

TomaremFamilia

Grupeta da Mesa 9. À direita com a guia Maria da Luz

Nota: este relato foi uma interpretação livre da história que ouvi. Não é um fato histórico comprovado e deve ser lido como tal.

Nós aqui temos o Barreiro visto como “Terra Santa”.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotos: Mesa 9

MINIFAMILY

ALMOÇO DE NATAL MINI É NA MARGEM SUL! 10 dezembro.

gostamos

Os MINI Family escolheram a margem sul para celebrar o almoço de Natal este ano, mas precisamente no Barreiro. E porquê? Porque quem gosta de MINI sabe onde é que é bom.

Se queres participar com o teu MINIno a desfilar em caravana e almoçar com outros que tal podes inscrever-te para participares no repasto até ao dia 6/12.

O encontro é no dia 10 de dezembro e começa pela fresca.

AMGCARMINI

Ponto de encontro – MINI AMG Car Amora, Seixal

9.00 – Ponto de encontro no Concessionário #AMGCAR no Seixal
10.00 – Saída em caravana com destino ao Cristo-Rei, para a foto de família
10.45 – Saída em caravana com destino ao Barreiro
12.15 – Passagem pelo centro da Cidade do Barreiro e pequena paragem numa Instituição beneficiência, para entrega de bens doados pela solidariedade dos membros da #MINIFAMILY;
13.15 – Estacionamento em local exclusivo para a #MINIFAMILY e ida para o restaurante #ATASCADAGALEGA
15.00 – Saída em caravana e visita a um local surpresa;
17.00 – Saída com destino à #AMGCAR e onde dará o termino do nosso dia com uma pequena recepção.

Almoço
Será realizado no restaurante “A Tasca da Galega”, com uma lotação máxima para 50 pessoas. As inscrições encerram a 03/12.

O valor do almoço será de €11,5 e o pagamento deverá ser efectuado antecipadamente até 06/12 indicando o nome e a matricula do carro, contactando eduardo.costa.hasse@hotmail.com.

Entradas
Ovos com farinheira
Cogumelos com alecrim e moscatel
Pataniscas de polvo

Pratos
Caril de legumes
Lombinhos com coentros e limão
Pica-pau

Bebidas
Vinho tinto e branco
Imperial
Águas
Sumos
Cafés

Doces
Pudim
Bolo de bolacha

Nós aqui temos almoço de família MINI.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Texto em Parceria com MINIFamily

PresidentesCamaraMargemSul

NOVOS INVESTIMENTOS NA MARGEM SUL

gostamos 1

Hoje abrimos com um registo mais sério, porque a escrita não é nossa. Partilhamos a notícia do Jornal de Negócios em que informa que o Governo vai investir naquilo que um outro governo um dia disse não ser um “deserto”. Ora vejam.

“Governo abre a porta a investimentos na margem Sul 

Os autarcas de Almada, Barreiro e Seixal reuniram há cerca de duas semanas com o primeiro-ministro António Costa e os ministros do Mar, Infra-estruturas e Ambiente sobre o avanço de projectos que consideram estruturantes nos antigos terrenos da Lisnave, Quimiparque e Siderurgia Nacional. Investimentos como a Cidade da Água na Margueira (Almada), o novo terminal de contentores do Barreiro ou a instalação de novas indústrias no Seixal dependem ainda de questões administrativas, decisões políticas e resolução de passivos ambientais.

Ao Negócios, Carlos Humberto, presidente da Câmara do Barreiro, sublinhou que esta primeira reunião com o primeiro-ministro foi “um bom sinal”. De António Costa, os autarcas obtiveram garantias do empenho do Governo para concretizar os projectos, promovidos agora sob a marca Lisbon South Bay pela Baía do Tejo, empresa do universo Parpública. O Executivo, adiantou Carlos Humberto, considera o projecto “de interesse nacional”, entende que “deve ser visto como um todo” e reconhece a sua importância “como dinamizador regional”.

Impulso em 2017

Os três autarcas têm reclamado maior celeridade, até por estarem em causa investimentos que, no total, podem ultrapassar os 1,7 mil milhões de euros na região e para os quais já há interessados. As razões para a demora diferem em cada um dos concelhos.

No caso de Almada, o projecto Cidade da Água, nos terrenos da antiga Lisnave, está aprovado desde 2009 e representará um investimento da ordem dos 1,2  mil milhões de euros. Três investidores – um americano, um chinês e um britânico – já fizeram mesmo chegar cartas de intenção à Baía do Tejo. No entanto, problemas administrativos, designadamente quanto à titularidade dos terrenos, que está há três anos por resolver, têm atrasado o processo. Ao Negócios, Joaquim Judas, presidente da Câmara de Almada, adiantou que  já haverá “acordo de princípio para passar para a Baía do Tejo até ao final deste ano”. Depois deste passo, faltará apenas definir o modelo e lançar o concurso, o que acredita que acontecerá em 2017.

No Barreiro, Carlos Humberto também espera que sejam dados passos no próximo ano relativamente ao novo terminal de contentores. A ministra do Mar tem feito depender o projecto da conclusão dos estudos que viabilizem a infra-estrutura, assim como da existência de investidores interessados. Neste momento, falta que a Administração do Porto de Lisboa (APL) entregue os estudos à Agência Portuguesa do Ambiente para esta se pronuncie.

Além da Maersk, à autarquia e à APL já chegaram outras manifestações de interesse no projecto, que exigirá um investimento da ordem dos 500 milhões, mas “pode arrastar mais”, frisa o autarca. O terminal, que será instalado em terrenos conquistados ao rio, funcionará como investimento âncora para que outras empresas se possam instalar nos 300 hectares de terreno da Baía do Tejo na antiga CUF. “Apenas falta a decisão política suportada no estudo de impacto ambiental”, sublinha Carlos Humberto, para quem “no primeiro semestre de 2017 podia ser tomada a decisão”.

No Seixal, o grande problema é a descontaminação. Joaquim Santos, presidente da autarquia, diz que são precisos 50 milhões de euros para resolver o passivo ambiental em terra (mais 40 milhões na água). “Já foram executados 13 milhões e em 2017 serão mais seis – faltam 30 milhões”, afirma, sublinhando que “ainda não se chegou a metade do caminho”. O responsável revelou ainda que da parte do Ministério do Ambiente “há disponibilidade para avançar com mais candidaturas a fundos europeus” para resolver o problema, em que a comparticipação nacional é de 15%. O autarca garante que há interessados nacionais, na área da logística e indústria, na zona que já está descontaminada.

INVESTIMENTOS

Autarcas querem decisões

São 900 hectares disponíveis na margem sul do Tejo para projectos urbanísticos, logísticos e industriais.

Cidade da água na antiga Lisnave
Nos 53 hectares de terreno que serviram para a construção e reparação naval está prevista a construção do grande projecto urbanístico Cidade da Água. Serão 630 mil metros quadrados de área bruta de construção, destinada a habitação, empresas, comércio, hotéis e espaços de cultura e de conhecimento. Contará ainda com uma marina e um terminal de transporte multimodal.  O grupo que ganhar o concurso ficará obrigado a cumprir o projecto, o qual foi aprovado e publicado em 2009.

Barreiro quer novo terminal
O Barreiro espera que a decisão política quanto à construção de um novo terminal de contentores, iniciativa lançada pelo anterior Governo, avance. No parque empresarial que a Baía do Tejo tem no Barreiro, com 287 hectares, estão actualmente instaladas cerca de 200 empresas, mas outras já terão mostrado interesse em expandir-se ali caso seja construído o terminal.

Seixal preparado para Indústria
Dos territórios promovidos no âmbito do Lisbon South Bay,  o Seixal é o mais preparado para a indústria pesada. Os 400 hectares da antiga Siderurgia disponíveis não estão ainda descontaminados na totalidade e, só para os solos, serão necessários 50 milhões de euros.  Indústria, logística e serviços são as principais vocações desta área. Já há contactos com um empresa portuguesa para investir no território, na zona que já foi alvo de descontaminação. O autarca do Seixal garante que há outros interessados. ”

Maria João Babo
Jornal de Negócios

Nós aqui temos investimento.

Nós aqui temos isto.

Fotografia: Miguel Baltazar

AMAC

13º ANIVERSÁRIO DO AMAC NO BARREIRO. ENTRADA GRATUITA. 1 de novembro.

parabenizamos ISTO desporto 1

Hoje é dia de aniversário para o AMAC – Auditório Municipal Augusto Cabrita e a festa celebra-se a partir das 15h, com entrada livre e com um programa de arromba.

Piso 0 – Galeria Vermelha – Canto | Profª Olga Panchenko
Piso 0 – Palco – Aula de Sevilhanas | Profª Isabel Soares
Piso 1 – Camarins – Figuração|Teatro com Luciano Barata
Piso 1 – Camarins – Pinturas Faciais para crianças com João Gomes
Piso 1 – Pequeno Auditório – Aula de Pintura com a Profª Maria Cunha
Piso 1 – Entre Galerias – Ateliê de Artes Plásticas com crianças com o Sonhar Acordados – a partir das 16h
Piso 3 – Sala de Ensaios – Ensaio de Dança com a Profª Inês Nunes
17h – Bolo Rei

Esta celebração conta com a colaboração do Clube de Fotógrafos do Barreiro e da Universidade da Terceira Idade.

Celebre connosco este aniversário e não perca as atividades que temos para si.
Parabéns AMAC. Muitos e bons anos de vida.

AMAC

Nós aqui temos o AMAC.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

lagoa-albufeira_1_750_2500

LAGOA DE ALBUFEIRA É PALCO DE WINDSURF, KITESURF E STAND UP PADDLE . 23 ABRIL

kitesurfamos 1

É já hoje que a Lagoa de Albufeira acolhe a apresentação oficial da Windriders – Associação Portuguesa de Desportos de Aventura, e do Windriders Tour 2016, constituído por seis provas de windsurf, kite e stand up paddle.

O circuito decorre entre junho e novembro, na Lagoa de Albufeira, Costa da Caparica e Barreiro, e está aberto ao público em geral.

A apresentação da Windriders conta com demonstrações de windsurf, kitesurf e stand up paddle.

Apareçam, o dia promete. Ao inscreverem-se podem realizar exame médico no ato de inscrição se pretender obter licença desportiva através da federação de Vela ou Surf.

Inscrição gratuita para os sócios. Valor de 15€ para não sócios.

Inscreva-se aqui.

Nós aqui temos desportos aventura.
Nós aqui temos isto.

TEATRO

MÊS DO TEATRO NO BARREIRO. MARÇO.

aplaudimos

O Barreiro elege o mês de Março para o Mês do Teatro na região e por isso não vão faltar peças para assistir e enriquecer a atividade cultural.

O Auditório Municipal Augusto Cabrita procura ser um palco diversificado, abrangente em termos de faixas etárias e em diferentes abordagens, correndo entre o Drama e a Comédia.

Neste mês terá também lugar a atividade de Serviço Educativo A Escola Vai ao AMAC e esta iniciativa inclui também formação na área das Marionetas, numa aposta descentralizada pelo Concelho.

Assim, temos neste palco que é Auditório Municipal Augusto Cabrita um rico ciclo de programação, que merece a sua atenção:

Programa
05 março | sábado | 21h30 | António & Maria, com Maria Rueff | Coprodução CCB e Teatro Meridional | Auditório Municipal Augusto Cabrita

António & Maria é uma procura, uma surpresa, um monólogo múltiplo de mulheres. Um exercício, por assim dizer, de doméstico sublime. Aproveitando uma lição simples do escritor para a vida toda: «espreitar para dentro de uma bota, porque às vezes há coisas.» Mulheres e homens de diferentes extratos sociais, frágeis, fortes, pessoas ambíguas, personagens colhidas no universo literário de António Lobo Antunes, com adaptação e escrita para cena de Rui Cardoso Martins. Nesta 50.ª produção, o Teatro Meridional prossegue o objetivo de criação de novas dramaturgias baseadas em adaptações de textos não teatrais, colocando uma vez mais o ator no centro da cena. Maria Rueff, atriz cuja versatilidade no entendimento e na capacidade de concretizar através da construção de personagens a ampla diversidade humana, será o corpo, a sensibilidade e a voz que interpelará, em cena, o mundo.

António e Maria

Faixa Etária – M/16
Duração – apróx. 70 min s/ intervalo
Preço: Plateia: 12,50€ | Frisas;10,00€

FICHA TÉCNICA
Autor: António Lobo Antunes | Dramaturgia e Adaptação: Rui Cardoso Martins | Encenação e Desenho de Luz: Miguel Seabra | Interpretação: Maria Rueff | Espaço Cénico e Figurinos: Marta Carreiras | Música Original e Espaço Sonoro: Rui Rebelo | Assistência de Encenação e Direção de Cena: Vítor Alves da Silva | Assistência de Cenografia: Marco Fonseca | Operação Técnica: Rafael Freire | Produção Executiva: Natália Alves | Assessoria de Gestão: Mónica Almeida | Direção Artística do Teatro Meridional: Miguel Seabra e Natália Luiza

12 e 19 março | sábado | 21h30 | Pelotão Condenado de Alfonso Sastre | Teatro Projéctor convida o grupo “Os Zecas” | Auditório da Junta de Freguesia da Verderena
A História desenrola-se durante a 2ªGuerra Mundial, num lugar fronteiriço entre Países beligerantes. Cujo os protagonistas são um grupo de soldados condenados, de ambos os sexos, que compõem uma esquadra e que são enviados para um posto avançado, com a finalidade de fazerem explodir um campo minado e assim impedir o avanço das tropas inimigas e ao mesmo tempo pondo fim às suas próprias vidas. É esse o seu castigo. Mas com o decorrer dos dias, todos os planos acabam por ser tremendamente alterados…

Organização: União de Freguesias do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena
Informações: 212 091 553 geral@jf-assav.pt

19 março | sábado | 16h00 | As Borboletas Verdes – Marioneta | Centro Social e Cultural Bairro da Liberdade
O Artur e o Alípio resolveram inventar um jogo diferente: Apanhar borboletas. Foram para o campo apanhar borboletas de várias cores. Era obrigatório começar pelas “Borboletas Verdes…”
Foi tudo muito fácil até à captura da primeira borboleta…
Esta representação chama a atenção para a identificação, aprendizagem e aplicação das cores e a sua comparação com as que encontramos na NATUREZA…

Faixa Etária – M/3
Duração – 35 min.

FICHA TÉCNICA
Direção artística / manipulação / textos / construção de marionetas: Maurício Rebocho | Técnica: Fantoches de luva | Costureira: Anjos Cidades| Música: Avelino Velez

24 março | quinta-feira | 21h30 | Absolutamente Fabulosos |Auditório Municipal Augusto Cabrita
Duas atrizes que no auge das carreiras ficam desempregadas de repente.
Um agente artístico que não percebe nada disto porque era vendedor de seguros antigamente. E um velho criado, sempre muito engomado e tão educado que mal que até é mal-empregado trabalhar para esta gente.
Absolutamente fabulosos, uma alta comédia que fala da vida dos atores e mostra aos espectadores que nem tudo são rosas mas que o importante é não desistir, porque a seguir a tempos nebulosos, hão-de vir outros, que farão sorrir por serem…”Absolutamente Fabulosos”.

Absolutamente Fabulosos

Faixa Etária – M/12
Duração: 105 min.
Preço: Plateia: 12,50€ | Frisas;10,00€

FICHA TÉCNICA
Elenco Luis Aleluia, Noémia Costa e Joana Figueira Texto: Roberto Pereira (baseado numa ideia original de Noémia Costa) Produção: Cartaz – Produção de Espetáculos | Direcção de projecto: Luis Aleluia

25 março | sexta-feira | 21h30| Transfer para Brazov, de Raúl Zagalo | Coprodução do Teatro Projéctor com o Teatro Singular | Auditório da Junta de Freguesia da Verderena
Atrevo-me a apontar três possíveis leituras para esta busca de um lugar de reencontro, ainda que por motivos diversos, de duas mulheres de gerações diferentes. Na primeira vê-se o drama do envelhecimento, do progresso da doença (Alzheimer?) simbolizada pela procura, em lugar improvável, do Transfer para Brazov; bem como pela visibilidade dos “post-it” a recordar-nos, a cada passo, o medo do esquecimento e o recurso a artifícios de memória externa. Na segunda transparece a esperança mística de um lugar onde tudo é tão perfeito que tudo pode ser recuperado, mesmo o que no momento pareceu pior, como uma espécie de bênção sem tempo num tempo misterioso em movimento estático.

FICHA TÉCNICA
Autor: Raúl Zagalo | Encenação e Direção de atores: Abílio C. Apolinário| Atrizes: Ana Matos e Laura Martins Gomes

Organização: União de Freguesias do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena
Informações: 212 091 553 geral@jf-assav.pt

26 março | sábado | 21h30| A Dúvida, de Pedro Barbosa | Coprodução do Teatro Projéctor com o Teatro Singular | Auditório da Junta de Freguesia da Verderena
O texto deste quase monólogo para três vozes provém de um manuscrito de adolescência, idade em que as preocupações metafisicas se tornam sempre mais prementes. Embora autónomo, começou por ser um contraponto escrito à leitura de O Marinheiro de Fernando Pessoa. “Drama estático” também, “fantasia metafísica”, talvez, “monólogo para três vozes” ou simplesmente “peça falada”.
Uma ilha, sem dúvida, numa espécie de Grécia Antiga. Ou por outra: uma Grécia que não é, pois não há cenário, nem tão pouco personagens, como adiante se verá, a ela farão referência. Apenas a sua indumentária o sugere, já que todas e são três envergam uma túnica semitransparente que as deixará, em contraluz, radiografadas no seu corpo com se estivessem nuas; sensualmente descalças e nuas.
Ao entrarem, os espetadores verão as três Personagens aninhadas no chão, ao centro, como que adormecidas num sono feito de sombras e de silêncio. Aos poucos, a intensidade da luz ir-se-á concentrando sobre elas, fazendo-as emergir da sua letargia, Iluminadas e despertas, começarão finalmente a falar.
Será sempre impossível decidir se um facto aconteceu ou foi simplesmente sonhado?

FICHA TÉCNICA
Autor: Pedro Barbosa | Encenação e Direção de atores: Abílio C. Apolinário| Atrizes: Elsa Barata; Marisa Oliveira e Rita Zuzarte

Organização: União de Freguesias do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena
Informações: 212 091 553 geral@jf-assav.pt

FORMAÇÃO
12 março | sábado | 15h00 | Formação de Marionetas | Grupo Recreativo e Desportivo de Palhais | Inscrições até dia 10 março

19 março | sábado | 15h00 | Formação de Marionetas | Grupo Dramático e Recreativo “Os Leças” | Inscrições até dia 17 março
O workshop tem por objetivo dotar os participantes de conhecimentos básicos de construção e manipulação de diversos géneros de marionetas que lhes irá permitir materializar as suas ideias.

Faixa Etária – M/14
Duração: 120min.
Inscrição: 5€
Formador: João Gomes
Inscrições e informações: 212 068 630 bilheteira@cm-barreiro.pt

Dias 5, 12, 19 e 26 de março e 2, 9 e 10 de abril | 10h00 | “Encanta-te com o teatro” – Workshop Teatral (Oficina de Teatro) | Auditório da Junta de Freguesia da Verderena
Este workshop tem como principais objetivos a expressão e comunicação; o corpo em movimento; voz dramatização, técnicas de representação e ainda noções de palco.

Faixa Etária – 8 aos 12 / Dos 13 aos 70
Duração: 3 horas
Formador: Luciano Barata (Grupo de Teatro Projéctor)
Organização: União de Freguesias do Alto Seixalinho, Santo André e Verderena
Informações e inscrições: 212 091 553 geral@jf-assav.pt

AMAC JÚNIOR
12 março | sábado | 16h00 | Os Três Mosqueteiros – Byfurcação Teatro | Auditório Municipal Augusto Cabrita
No início do século XVII, em plena França, D’Artagnan, depois de ouvir os conselhos do seu pai, parte em direção à Paris iluminada como objetivo de encontrar o Sr. De Trévilllee entrar para a guarda real, os mosqueteiros. Devido à sua impaciência e determinação torna-se explosivo e imprevisível, dificultando a sua admissão. No entanto, numa França assolada por guerrilhas e em latente guerra como Cardeal Richilie, D’Artagnan torna-se, com a ajuda dos outros mosqueteiros, entre os quais Porthos, Athos e Aramis, essencial na resolução destes problemas e na pacificação geral que é, afinal, possível.

os 3 mosqueteiros

Faixa Etária – M/3
Duração – 50 min.
Preço – 3,00 €

FICHA TÉCNICA
Encenação: Paulo Cintrão | Texto: Paulo Cintrão | Interpretação: Ana Lúcia Magalhães, Filipe Couto, João Parreira e Mário Abel | Música Original: Mário Abel/Filipe Couto | Figurinos: Flávio Tomé/ bYfurcação | Cenografia e Adereços: Flávio Tomé/ bYfurcação | Design: Alex Gozblau | Frente de Sala: Manuel Moreira | Produção: bYfurcação

ESCOLA VEM AO AMAC

De 7 a 10 março | 10h30 e 14h15 | 30 por 1 linha – ArteViva Companhia de Teatro do Barreiro || Auditório Municipal Augusto Cabrita
Vamos fazer 30 por uma linha! O que é fazer 30 por 1 linha?
É pôr tudo em alvoroço!
Tropelias e reboliças… confusões e agitações… trapalhadas e embrulhadas!
Quatro atores fazem 30 por 1 linha para dar corpo às histórias de António Torrado… e divertem-se a valer!
Medem forças, fazem trocas e baldrocas, tocam bombo, conversam com a lua e com o sol, cantam de galo e de galinha, recusam-se a ser simplesmente bolacha Maria e experimentam a vida de sabonete!
Então, vamos fazer 30 por 1 linha? Vamos!
E por uma corda e por uma bola… e por muitas bolas de sabão!
Toca a entrar na confusão!
Adaptação de Paula Magalhães, de Trinta por uma Linha de António Torrado

Espetáculo direcionado às escolas públicas do concelho.

COMPANHIAS DE TEATRO LOCAIS

9 março | quarta-feira | 15h30 | As Dactilógrafas | Grupo de Teatro do Centro Social de Santo António| Grupo Dramático e Recreativo “Os Leças”

FICHA TÉCNICA
Encenação: Graciete Pereira| Música: Hermínio Bandeira da Silva| Duração: 30 minutos

26 março | sábado | 21h30 | O Cavaleiro Respeitável e O Criado do Tavares | Oficina de Teatro Mário Pereira
O Cavaleiro Respeitável
Devido a uma desilusão amorosa, uma jovem, aconselhada por uma senhora sua amiga, decidiu pôr um anúncio num jornal diário (os jornais também servem para estas coisas), com o seguinte teor “Senhora nova, muito bem formada, procura a amizade de um cavalheiro respeitável, para um futuro relacionamento amoroso. O interessado deverá responder a este jornal com as iniciais x.p.t.o.”.
E o cavalheiro respeitável lá se apresentou na morada indicada posteriormente pelo tal jornal.
Acontece que durante a entrevista “a tal desilusão amorosa” aparece de surpresa, baralhando e alterando toda a ideia do anúncio.

O Criado do Tavares
A história que começa com um clássico triângulo amoroso, passa de repente a um quadrado que nada tem de amoroso.
E tantas voltas são dadas, que este quadrado mais parece a quadratura de um círculo. Este Círculo, que com tantos cruzamentos e confusões, irá terminar para espanto de todos, numa linha reta com dois pontos de exclamação.

Peças em cena aos sábados até 25 de junho.
Informações: 919250550 teb.barreiro@gmail.com

Venda de bilhetes:
Bilheteira AMAC – 21 206 82 30 | Horário: 3ª a domingo, das 14h00 às 20h00
Posto de Turismo – 21 206 82 87 | Horário: 3ª a sábado, das 9h30 às 13h00 e das 14h30 às 18h00

Aos fins-de-semana, e sempre que existam espetáculos agendados, a bilheteira abrirá uma hora antes dos mesmos.

Nós aqui, temos mês do Teatro no Barreiro.
Nós aqui temos isto.

miguel-araujo-1080x400

CONCERTO DO #MIGUEL ARAÚJO NO BARREIRO. 12 FEVEREIRO

ouvimos

“Anda comigo ver os aviões” foi um “convite” do Miguel Araújo (e d’Os Azeitonas) que aceitei muitas vezes quando ouvi na rádio, servindo de coro enquanto conduzia, e que, felizmente ninguém ouvia. E, agora, posso acompanhar “ao vivo e a cores”, porque o Miguel Araújo vai dar um concerto no Barreiro, dia 12 de fevereiro, às 21:30h no Auditório Municipal Augusto Cabrita.

Não sei se essa música fará parte do espetáculo, mas seguramente, argumentos não vão faltar. Miguel Araújo, mais parece o “homem dos 7 ofícios” – destacando-se como compositor, letrista, cantor e músico. Tem muitas canções da sua autoria, cantadas por si e por outros que fazem parte do espólio das grandes canções populares portuguesas deste século.

MIGUEL ARAÚJO1

O que quer que faça a nível musical é sinónimo de sucesso e já recebeu várias nomeações e prémios na sua carreira.

Data e Hora
12 fevereiro às 21:30h.

Preços
valor de 12,50€  na plateia, e 10,00€ nas frisas.

Bilheteira
Auditório Municipal Augusto Cabrita e no Posto de Turismo.

Local do Espetáculo
Auditório Municipal Augusto Cabrita

Não perca!

Nós aqui temos o Concerto do Miguel Araújo.
Nós aqui temos isto.

Fotografias D.R

Anjos

NÓS AQUI, APLAUDIMOS O CONCERTO DOS #ANJOS.

APLAUDIMOS

Na noite de lançamento do nosso blog, os Anjos não estiveram presentes por uma boa causa. Estiveram a dar um concerto Fórum Cultural José Manuel Figueiredo, aqui na South Bay, em beneficência da Associação Nós – Associação de Pais e Técnicos para a Integração do Deficiente no Barreiro, instituição que apadrinham. O concerto teve lotação esgotada assim que abriu a bilheteira e os Anjos doaram essa receita à instituição. Nós aqui, ficamos orgulhosos pelos Anjos e mostramos um bocadinho do que foi esse espetáculo.

Nós aqui apoiamos causas de beneficência.
Nós aqui temos isto.

IMG_7993v1_JR

CONCURSO DE FOTOGRAFIA AMARSUL

lutamos por isto 1

Somos animais de hábitos. Apesar de sermos culturalmente avessos à mudança, quando o fazemos rapidamente nos habituamos a ela. Vejamos o exemplo dos sacos de plástico nos supermercados quando passaram a ser pagos. Criou uma onda de protestos e pouco tempo depois mudámos a nossa rotina, passou a ser um hábito e além de já não se criticar, ficou a ser valorizado.

No outro dia assisti a uma TED Talk (das boas) em que o orador pedia para questionarmos  as coisas porque depois da primeira vez, deixamos de o fazer. Passa a ser um hábito e deixamos de pensar nisso, se está certo ou errado. Se é o melhor ou não, se dá ou não para se fazer de outra maneira.

Este conselho fez-me pensar que, às vezes, não respondo da forma mais correta aos porquês da minha filha. Também são tantos de uma só virada que nem a minha capacidade profissional multitasking me salva! Por vezes, e em falta de uma resposta melhor, quando a Victória me pergunta “Porquê que fazemos isto assim?” – a minha resposta é “Porque sempre se fez assim.”

Errado. Sim, eu sei que é a resposta fácil e cómoda. Mas não é uma boa resposta e não ajuda a construir um raciocínio e dar-lhe espaço para (se) questionar. Sim, (esta) mãe erra, mas quando se apercebe combate o facilitismo e pensa mais antes de responder. Nem sempre é fácil.

A reciclagem é mais um bom hábito que até podemos questionar a sua eficácia, mas não deixar de o fazer. Porque se ouve aqui e ali que vai tudo para o mesmo contentor, porque hoje é dia de festa e dá muito trabalho, porque os ecopontos ficam longe de casa, porque os ecopontos estão todos sujos, porque os baldes dos ecopontos são grandes e estragam o look da cozinha, etc, etc. E, vamos arranjando (fracos) argumentos para desculpabilizar a “não reciclagem”.

Nós aqui, não pactuamos com isso. Nós aqui, temos de dar o exemplo. Adquirimos o hábito de separar o lixo, por isso não fazê-lo causa-nos desconforto (é como o desporto, sofre-se mais quando não se faz!). É por isso que apoiamos a 3ª edição do concurso Eco Photo promovido pela AMARSUL que sensibiliza para a política dos 4 R’s: Reduzir, Reciclar, Reutilizar e Recuperar. O concurso tenciona estimular a criatividade através da arte da fotografia de todos os alunos do 3º ciclo e secundário das escolas sediadas nos concelhos de Alcochete, Almada, Barreiro, Moita, Montijo, Palmela, Seixal, Sesimbra e Setúbal.

Participem no concurso até ao dia 31 de dezembro de 2015, até porque o fotógrafo do Lisbon South Bay blog, Joel Reis, como não pode participar, há imensas hipóteses de ganharem. Saibam mais em amarsul.pt.

Nós aqui reciclamos por isto.
Nós aqui temos isto.

Fotografia: Joel Reis

IMG_7993v1_JR

11406576_10153967957846416_6753392071517873693_o

CAMERAMAN METÁLICO

expomos isto 3

António Francisco Melão é um dos mais importantes fotógrafos do mundo musica, a.k.a ou melhor nome artístico o Cameraman Metálico.

Para homenagear os quase 30 anos de carreira deste fotógrafo, a Câmara Municipal do Barreiro promoveu no Auditório Municipal Augusto Cabrita a exposição CAMERAMAN METÁLICO “20 FOTOS de AÇO” enquadrada na 2ªedição do mês da fotografia, onde estão presentes 20 das mais importantes fotografias registadas por Cameraman Metálico na sua carreira.

18925456_Hh5HG 21634405603_088c4c79e8_b 22242622902_0b1972a04d_b

A inauguração aconteceu hoje, para além de muitos amigos fotógrafos e músicos, teve também o apontamento musical com Nick Nicotine’s Orchestra a solo. A exposição está patente até 27 dezembro, no pequeno auditório (piso 1), e até lá serão também apresentadas ao público exposições fotográficas de Helena Gonçalves, Joel Santos, José Soudo, ou ainda a apresentação dos livros “Altas Luzes” e “Bandas Sonoras” da também conhecida fotógrafa Rita Carmo, dedicada à cena musical há 24 anos.

O Barreiro está cheio de motivos para ser visitado e nós aqui aplaudimos isto. Nós aqui, temos isto.