Artigos

Ginjal

O QUE VAI SER DO NOVO CAIS DO GINJAL? Por Marlene Gaspar

 gostamos
Vai ser um espaço com uma nova cara. É desta que foi revelado o que vai acontecer no Cais do Ginjal. Das ruínas à nova construção temos planos, muitos planos que vão seguramente mudar este luar mágico.
Se o Cais do Ginjal é mágico com um ar degradado, imaginem como ficará quando estiver reabilitado. Já foi um dos principais pontos de indústria e comércio da região com armazéns de vinho, fábricas ligadas às conservas e espaços de apoio à frota pesqueira e neste momento pouco resta para contar história. Mas, ao que parece vai avançar um Plano de Pormenor que lhe vai dar uma nova cara.
Ele vão ser casas, hotéis, lojas, restaurantes, praças e um passeio marítimo à séria. Diz que a construção do projeto imobiliário arranca ainda este ano, mas vamos estar cá para ver. É desta que a South Bay vai-se tornar os Hamptons? Esperemos que se assim for, seja só a parte boa, porque há sempre prós e contras. E uma boa, é que tendo em conta as alterações climáticas e consequente subida do nível das águas, a altura do cais vai ser elevada em um metro – para maior segurança. Mudar causa sempre algumas resistências, mas eu aqui, acredito que será para melhor, porque mudar, é normalmente, bom.
Nós aqui vamos um novo Cais do Ginjal.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Foto: João Freitas Farinha Sapo
Fonte: NiT
CaisGinjalLSB

O QUE É QUE ESTÁ PLANEADO PARA O CAIS DO GINJAL? Por Marlene Gaspar

gostamos 1

Perguntam bem, mas não a quem! Pois é, quem vai poder responder a esta pergunta (e outras que surgirem entretanto) não vou ser eu, mas sim o arquiteto Samuel Torres de Carvalho, autor do plano de pormenor da frente ribeirinha do Cais do Ginjal. E não pensem que vai ser preciso esperar muito, porque é já amanhã, às 18h, no átrio do Fórum Municipal Romeu Correia, em Almada que vai ser a inauguração da exposição: Plano de Pormenor sobre o Cais do Ginjal, esta frente ribeirinha única, situada entre o Jardim do Rio e o terminal fluvial de Cacilhas.

Esta acontecimento vai acontecer no âmbito do período de discussão pública do plano de pormenor do Cais do Ginjal, que decorre até 19 de fevereiro. Sim, porque todos temos uma opinião e se há altura que é oportuno é agora. Por isso, se queres fazer valer a tua opinião é agora o momento certo, ou melhor, amanhã, dia 6/2 às 18h.CaisGinjal

Participa, dá o teu contributo e ajuda a tornar o Cais do Ginjal em mais uma referência inegualável da nossa margem sul.

Nós aqui temos o Cais do Ginjal.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fonte e foto: CMA

Cerveja

OKTOBERFEST NO CAIS DO GINJAL. 4 a 6 outubro

gostamos 1

A NiT soma e segue com artigos sobre a margem sul. Tenho cá para mim que está-se a desvendar o que está por baixo do pano e o mundo está a descobrir que o “deserto” tem muitas pérolas para descobrir. E nós aqui também temos o Oktoberfest. A NiT conta tudo e nós aqui partilhamos isso.

“Atenção, Margem Sul: o Cais do Ginjal vai receber uma Oktoberfest

Vão ser quatro dias com muita cerveja, happy hours, e música com DJ no Ginjal Terrase.

Cais do Ginjal vai ser pequeno para tanta cerveja. O Ginjal Terrase, em Almada, recebe pela primeira vez uma Oktoberfest onde a cerveja e a música são elementos obrigatórios. A festa começa esta quarta-feira, 4 de outubro, e vai durar até sábado.

O melhor é apontar o horário das happy hours para saber quando se deve aproximar do bar. No primeiro dia e na sexta oferece-se uma imperial na compra de três, entre as 22 horas e a meia noite. A oferta é a mesma nos restantes dias, só mudam as horas: 5 e 7 de outubro entre as  21 horas e as 23.

Na sexta tem uma oferta extra: entre as 18 horas e as 21, há imperiais a 0,80€. A entrada no festival custa 3€ e dá logo direito a uma imperial. Na sexta, da parte da tarde, a entrada é livre. A cerveja é acompanhada com muitos DJ convidados, como Ricochete, Milonga e Goblin.

O Ginjal Terrase abriu em março de 2015 no espaço do antigo restaurante Floresta do Ginjal. Quem é de Almada sabe perfeitamente onde o encontrar. Quem vier de Lisboa, o melhor é fazer o trajeto de barco, sair no cais e seguir para a direita. Onde ouvir música já sabe que há festa.”

Texto: NiT – Adriano Guerreiro

Introdução: Marlene Gaspar