Artigos

Halloween Food

6 DICAS INFALÍVEIS PARA A “CAÇA ÀS BRUXAS” NA MARGEM SUL.

METEMO-NOS

 

O ano passado cometi a travessura de deixar passar em branco o dia de Halloween, por nunca lhe ter dado importância e porque as minhas filhas nunca estiveram aí para se mascararem. Eis que fui surpreendida por um súbito desejo de se mascararem de bruxas e a casa foi abaixo por não haver adereços para a famosa celebração. Foi tal a crise que se instalou que claramente as travessuras ganharam aos doces. Nã, este ano, não me apanham nessa, mesmo. Peguei na “minha vassoura” e lá fui direitinha ao Almada Forum para fazer o levantamento do que temos disponível aqui na margem sul e ter várias opções à vontade do freguês, neste caso das freguesas. Como sou um doce e não travessa, partilho convosco.

1# doce ou travessura?

Há que estar preparado para o “trick or treat”, que nós por cá dizemos “doce ou travessura?” – que é andar na vizinhança a tocar às portas à espera de guloseimas. Para mim a resposta é definitivamente “doces”. E não há melhor sítio para tratar deste assunto que ir à Hussel. Tudo nesta loja tem o poder de atração que só o chocolate consegue alcançar, mas as guloseimas especiais de Halloween só por si, já fazem os olhos comerem. Uma verdadeira tentação. As abóboras que transportam os doces são um verdadeiro apetite, só receio que não seja possível virem inteirinhas, porque auto-controle é uma cena que não me assiste. Há de tudo e para todos os gostos. Abóboras recheadas, Chupas em forma de abóbora, chocolates “vestidos de caveiras”, branco, preto e afins. Ah, e se ainda estiver em negação e não quiser festejar o Halloween, opte na mesma pelos doces. São uma receita infalível para uma noite bem passada. E esta árdua tarefa de andar às compras merece uma pausa e a Olá trata disso. Embebida no espírito, criou o Swirl Halloween que me parece ter todos os argumentos – gelado de chocolate, cubos de caramelo, raspas de chocolate negro e bolacha americana. Nham, nham. Acho que ficou claro, o capítulo dos doces, passemos a outros preparativos.

Doces Halloween

Doces de Halloween na Hussel e Gelado Olá no Almada Forum

2# a indumentária

Em primeiro lugar é preciso definir de que lado é que se está. Estamos mais para o lado do diabrete ou mais para o lado da doçura? Vamos fazer um mix de ambas ou assumir um personagem? Tomada esta decisão há que tratar do assunto. E sem ter de andar muito O Papagaio sem Penas e Funny Store têm uma panóplia de máscaras, “fardas” e adereços. A montra do Halloween já me coloca cheia de dúvidas. Não acho grande piada às máscaras mais assustadoras, mas estas têm tanta pinta que convencem. Porque não aproveitar este bom motivo para ser um diabrete? Rendi-me às bandoletes com antenas de abóbara, a fazer pendant com o saco que vai levar os doces. Mas, se não quiser uma farda da cabeça aos pés a Pumpling tem uma boa solução. T-shirts com motivo Halloween. Creepy? “Nã”.

Adereços Halloween

Adereços e máscaras nas lojas O Papagaio sem Penas e Funny Store no Almada Forum

3# os adereços

Há outras possibilidade de acessórios que não deixam escapar o mais ínfimo pormenor e se queremos “endiabrar” o dia, porque não torná-lo um pouco mais sexy? Na Accessorize as “bruxas” vão conseguir tirar o fôlego. Tem uns chapeuzinhos apetitosos, mascarilhas sedutoras, maquilhagem, anéis e outros acessórios de cortar a respiração. (E, já agora, na compra de mais de 2 artigos de Halloween o segundo tem 40% de desconto). Ah, pois é bebés. Não há desculpas. Se estiver mais inclinado para o lado do “demo”, o Diabo veste Claire’s, que tem a família completa do que precisa para assumir esse papel.

Acessórios na Accessorize e Claire's no Almada Forum

Accessórios na Accessorize e Claire’s no Almada Forum

4# a componente didática

Já que nos aproximamos do universo da magia negra a Fnac tem um kit especial do Harry Potter. Traz tudo o que se tem direito – a capa Griffindor, os óculos, varinha mágica e o fecho. Ideal dos 8-14 anos. Acompanhe com o novo livro do Harry Potter e perpetue este dia. Mais uma dica importante, os dias 28 e 29 de outubro são dias aderente Fnac e há descontos especiais. Digamos que é muito oportuno.

5# a refeição

Não só de doces se vive neste dia. E nada como uma boa refeição para o tornar mais divertido. A abóbora é sem dúvida o cliente rei. Abasteça-se deste legume sem medos. Que tal uma sopa de abóbora para abrir as hostes, onde se aproveita o recheio e a casca assume a sua máscara. É uma atividade deliciosa para fazer com as crianças que elas também vão adorar saborear. Sugerimos ainda o puré de abóbora e o doce de abóbora. Além de ser muito saudável para “controlar os estragos” dos doces desse dia, eles vão adorar perceber o ciclo de aproveitamento de todo o processo. E aproveite todas as formas de alimentar a imaginação.

Alimentar imaginação com o Halloween

Mascarar as refeições de Halloween

6# decoração

Não vamos descurar a decoração. A casa, a mesa de refeição deverá ter objetos e temas assustadores, como caveiras, teias de aranha, mortos-vivos e demais seres que pertençam ao imaginário popular. Aproveitando as abóboras que vamos cozinhar, convém escolher diferentes tamanhos e podemos utilizá-las com uma vela no interior para lhe dar as feições. As princesas já andam a desenhar os motivos de Halloween e essas “obras de arte” vão ser todinhas aproveitadas. Já que o dia/noite é para ser assustador, não há que temer o que elas estão a preparar.

Mais sugestões são muito bem-vindas, que uma pessoa não vira bruxa de um dia para o outro sem um pouco de preparação. Ainda dizem que não há bruxas, mas que as há, há. Nada como estar preparado para elas.

Feliz dia das Bruxas. Happy Halloween. Aqui e em qualquer lugar.

Nós aqui temos Halloween,
Nós aqui, temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Foto alimentação: Sónia Estrela

Halloween By night

O HALLOWEEN COMEÇA MAIS CEDO NO SEIXAL. 14 DE OUTUBRO.

lemos
A Biblioteca Municipal do Seixal prepara uma iniciativa de celebração do Halloween desse dia para os  jovens entre os 13 e os 18 anos. O que é que se vai passar, perguntam vocês curiosos e cheios de razão? Muita coisa – atividades recreativas e culturais concebidas dentro do imaginário de criaturas inventadas e histórias fantásticas, promovendo o contacto com os livros e a leitura.
Hallowwen na Biblioteca

Serão na Biblioteca – Halloween

E o melhor de tudo é que isto vai ser Seixal By Bightum serão na Biblioteca entre as 21 e as 24 horas no dia 14 de outubro e participar não custa nada, porque é grátis. Mas calma, não basta aparecer! Têm só de se inscrever até dia 13 de outubro, através do telefone 210 976 100 ou deste email para não ser uma bandalheira nem virar uma “caça às bruxas”.
O Halloween por estas bandas começa mais cedo e nós aqui temos a oportunidade de participar. Vais ficar fora desta?
Nós aqui temos serão na biblioteca.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Fotografias: Leituras doces
EDIT_JOEL_03_JR

DIA DE HALLOWEEN

brincamos a isto 1

Só por estarmos a chamar ao “Dia das Bruxas” Halloween, já devemos estar a pôr os fundamentalistas do “não uso de estrangeirismos” de cabelos em pé, entre os quais os que defenderam que “margem sul” não deve ser dito South Bay. A verdade é que há espaço para as duas designações e, muitas vezes o uso de palavras noutra língua torna-se mais eficaz ou mais fácil de explicar e/ou entender.

Mas, não é sobre esse tema que vamos falar, porque a “doideira” que foi este Halloween (e não foi só aqui, na margem sul) impera que esse assunto fique para “outras núpcias”. Confesso que não sou grande fã (à semelhança do Carnaval, nem sempre me consigo imbuir no espírito, mas respeito e já me diverti à conta disso). O que é certo é que as miúdas nunca ligaram a isso e este ano decidiram que o iam fazer!

Recordo o ano passado em que fui tratar das suas fatiotas e ficaram na embalagem das compras por uma luta de personalidade da Victória afirmando que nunca se ia meter numa coisa dessas. E até ao dia 29 de outubro de 2015 estava preparada para manter essa convicção. Como 31/10 este ano calha a um sábado, a festa de Halloween na escola da Victória, na Verdizela, foi na véspera e é antes disso que ela informa que quer ir vestida de bruxa. Ao qual eu disse:

– Mas tu nunca queres! – disse atarantada.
– Mas amanhã quero, por isso vai comprar. – disse ela decidida.

Não adorei o tom, mas antes que fechasse o local mais próximo para adquirir máscaras para o efeito lá fui eu e, e qual o meu espanto, tudo esgotado! Achei que se ia esquecer, mas o serão foi recheado de travessuras nesse sentido:

– Oh “Bruxa Marlene”, quero ir mascarada amanhã para a escola. – argumentou no alto dos seus quase 5 anos.

Fiquei sem fala (or speechless, if you know what I mean.). Não percebi se era uma indireta ou uma direta, mesmo. Ela riu-se com ar de gozo e eu deixei passar.

No dia seguinte, não tínhamos fatiota e a pequena não se contentava com qualquer coisa ou acessório. Ou é ou não é. Então não foi! Não sei se isso é assustador ou é bom. Vou acreditar que é assustadoramente bom.

Quando cheguei à escola, não me fiquei a sentir bem. Tomei consciência da minha travessura ao ver todos os miúdos mascarados e a Victória a denunciar a “Bruxa Marlene” por não ter ido vestida para o Halloween! Fiquei com aquela sensação de falhanço e prometi a mim mesma, que não voltava a acontecer. Próximo Halloween ela vai ser abóbora, bruxa ou esqueleto, vou ter tudo “à mão” para não ser apanhada na curva. Mãe sofre. Ainda dizem que as bruxas não existem, mas que elas existem, existem.

Nós aqui temos Halloween.
Nós aqui temos isto.

Fotografia: Joel Reis