Artigos

thumbs.web.sapo.io

VAMOS À MEIA MARATONA COM A FERTAGUS. Por Catarina Laborinho

Vamos a isto

…ou vamos tentar 😀

Na realidade não vamos à Meia Maratona de Lisboa de comboio, isso vai ser o que vou dizer quando chegar ao fim e disser: “mas porque não vim de Fertagus?!?!”. Uma coisa é certa, vou lá chegar de comboio e você devia fazer o mesmo.

Estes dias de grande afluência são sempre mais complicados, mas a Fertagus, à semelhança dos anos anteriores, vai oferecer a viagem a todos os atleta que sejam portadores do dorsal oficial da prova e vai ter um horário especial para a deslocação “da malta”.

 

maratona fertagus

Para quem chega à estação do Pragal da Fertagus pela Margem Sul ou por Lisboa é preciso que tenha em consideração os #10 fatores abaixo:
#1 A estação é a do Pragal. Se vier de Lisboa é a 1ª depois da Ponte. Se vier deste lado, é aquela onde certamente irão sair MUTOS atletas :D;
#2 Apanhe o comboio o mais cedo possível (não seja o comum Tuga que chega à hora da partida);
#3 Respeite as sinalizações de segurança, não ultrapasse a linha amarela e tenha cuidado com a distância entre a plataforma e o comboio;
#4 As portas não se abrem sozinhas. Tem que tocar no botão da porta quando este ficar verde;
#5 Não entre em nenhum comboio que não seja da Fertagus (passam outros na mesma linha mas estes não são à borlix);
#6 A organização da Meia Maratona de Lisboa não permite animais ou bicicletas durante a prova, e a Fertagus também não;
#7 À chegada ao Pragal, siga o trajeto previamente assinalado em direção à prova;
#8 Se quiser ir à casa de banho, para além das existentes na estação, a Fertagus vai ter à disposição WC’s portáteis no exterior a caminho do ponto de partida;
#9 Ah, e mais importante ainda, lembre-se que de barriga vazia não vai longe. A estação do Pragal tem vários pontos de restauração e não só, que o(a) podem auxiliar num dia diferente como este;
#10 Nós aqui vamos querer a medalha :)

Se é cliente assíduo do comboio da ponte e no próximo domingo vai passear ou trabalhar à outra margem do Rio, tenha paciência com os atletas, é só uma vez por ano e a maior confusão vai ser entre as 8:00 e as 10:00H.

Nós aqui prometemos que vamos tentar chegar ao fim 😉
Nós aqui temos a Fertagus a apoiar a Meia Maratona de Lisboa

Texto: Catarina Laborinho
Fotos: D.R

FERTAGUS, LSBblog

 

maratona

mini MARATONA NA 25 DE ABRIL TEM MAIS UMA ATLETA. 11 de março. Por Marlene Gaspar

corremos

Acabei de me inscrever na mini maratona da Ponte 25 de Abril para o dia 11 de março. Pow, sem medos, sem dúvidas ou hesitações e pensei, vou já divulgar este evento ao mundo, porque quem ainda não passou a ponte pelo seu próprio pé não merece o chão que pisa. Ok, não preciso ser tão dramática, mas é só porque acho que é uma experiência que tem de se fazer. E se não metem pé ao caminho para isso, a responsabilidade é inteiramente vossa. Depois não digam que não avisei. São uns meninos!

Foi o ter começado este blog que me obrigou em 2016 fazer esta experiência, o que repeti no ano seguinte, e cá estou eu “linda, livre, leve e solta, pronta para deitar os bofes pela boca”. Mais uma vez, estou a ser dada aos exageros, mas já me conhecem. Sim, todos estes adjetivos são uma hipérbole assumida, para me dar alento a mais uma prova, que pretendo superada.

Este entusiasmo caiu por terra quando fui ver o que vos escrevi o ano passado, que resumindo estava triste por não ter cabedal para me atirar à meia maratona e em baixo de forma. E um ano depois, não só a situação se mantém, como piorou, porque claramente não tenho ido aos treinos. Mas isso não me abala, minha gente.

Porque o que eu sei é que não estou sozinha nisto, e por isso quem é que me acompanha nesta aventura? Dia 11 de março temos a mini maratona (7 km) e a meia (21 km) para os mais corajosos. Podes fazer a inscrição aqui, e se posso dizer que há alguma coisa onde não fui dada a exageros nesta conversa é a experiência inesquecível de passar a ponte pelo nosso próprio pé. É do cara#%&$%/ças.

Nós aqui passamos a Ponte 25 de abril.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

MMA

MEIA MARATONA DE ALMADA. 1 de julho.

corremos

Run, Forrest, run! A Meia Maratona de Almada está de volta para mais uma edição e há distâncias para (quase) todos os gostos.

Dá para caminhar 6,5 km para os que gostam de andar e aproveitar uma boa converseta ou apenas andar sem dar trela a ninguém, porque a única exigência é dar à perna e chegar ao final.

Se o corpinho aguentar mais do que isto e quiser correr, a prova contempla a corrida de 10 km, que já dá para sentir os músculos e treinar afincadamente.

Mas se até aqui isto for para meninos, há a meia maratona onde faz-se mais de 20 km a puxar pelo cabedal. Cada um escolhe a que pode, ou a que consegue ou a que apetece. O importante é participar.

Se estão preocupados com a hora do calor a correr com bafos de fora e isso fizer desistir-vos da ideia, não vai ser assim tão fácil. É que a prova é à noite, por isso, é só inscreverem-se e treinarem. Vai dar tempo.

MeiaMaratona

A prova é sábado, 1 de junho às 19h. Mas fica-se despachado nessa noite (até às 23:30h) e a partida é na Av. Arsenal do Alfeite nº 10, 2810-262 Almada – Parque da Paz. As inscrições são aqui.

Nós aqui temos meia maratona.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Maratona

CORRER, AMAR E ORAR.

gostamos 1

É com algum esforço que escrevo, como dá para perceber pelo adiantar da hora, mas alguém tem de o fazer! É que a participação na maratona (não interessa se foi mini ou meia, o importante foi participar) deixou-me de rastos!

Minimaratonaponte

Ajuntamento

CORRER

Não sei se recordam o ano passado quando escrevi aqui ainda sonhei em participar na meia maratona, mas tendo em conta a falta de ida aos treinos, uma tosse alérgica que parece que sou uma fumadora compulsiva, a falta de força de vontade e a falta de vontade de fazer força, ter chegado ao fim dos 7,200 quilómetros a correr sem parar posso-me me dar por muuuiiito satisfeita. Derreada, mas feliz.

Sem grandes expectativas, ser participante de segunda viagem, neste caso deixou-me sem pressão. Quando deixar de conseguir correr, passo a andar, pensei. Felizmente não foi preciso. Como contei aqui, o meu companheiro de viagem foi o meu pai, e nada melhor do que passar o dia dele a partilharmos um gosto comum. Temos a coisa bem oleada e combinámos só encontrar-nos no fim. Sim, porque se há coisa que não compreendo é como é que se consegue correr em amena cavaqueira. Eu para correr, respirar, enganar a dor de burro, apreciar a paisagem, voltar a respirar e pensar na meta sabe Deus, quanto mais ir ali na converseta. Uma salva de palmas para os que conseguem, mas isso não é para mim.

AMAR

O meu ritmo é lento, muito lento, mas é aquele que eu controlo. Os 3 kms no tabuleiro da ponte foram de puro prazer. Controlada, focada, deu para apreciar aquele trajeto a pé. Tão bom.

ORAR

A partir daí foi sempre a descer e a descambar. O último quilómetro foi penoso. A falta de treino começou a manifestar-se, o calor a deitar abaixo e foi pedir a todos os santinhos para me aguentar sem parar. Eles ouviram.

Maratona

Não há dúvida que esta prova me dá imenso prazer. Poder atravessar a ponte 25 de abril a pé é libertador. Neste caso, o congestionamento do trânsito pedestre assusta, mas chegar ao outro lado pelos nossos próprios meios, é recompensador.

Resumindo e concluindo no pain, no gain. Fiquei com algumas dores que me vão acompanhar nos próximos dias, mas também me vão lembrando do prazer que foi conseguir vencer esta etapa. E nada melhor do que ser recebida pelo melhor pai do mundo à chegada e ir ter com o melhor pai do mundo de seguida.

MelhorPai

O melhor pai do mundo e o melhor pai do mundo.

Para terminar depois de um almocinho na praia, tive direito ao primeiro mergulho do ano no mar da Costa da Caparica. What a day.

Nós aqui temos corrida da ponte.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotografia: “Voluntários à força” e Rui Tomás

maratonaponte

ATREVES-TE A PASSAR A PONTE A PENANTES? 19 de março

corremos

O Facebook lembrou-me que está a fazer um ano que anunciámos aqui esse grande evento anual que em linguagem comum se designa pela (mini/meia) maratona da ponte 25 de abril. Se o ano passado vivia ânsias da antestreia do momento e da emoção de experimentar pela primeira vez este desafio, hoje estou em pânico por ir fazê-lo pela segunda vez. Vou falhar redondamente a hipótese que lancei de este ano estar a fazer a meia maratona! Aliás, se conseguir terminar a mini já me dou por feliz.

A verdade é que estou em pior forma e não tenho ido aos treinos. É triste. É pena. Mas é o que é! Tenho menos disponibilidade para correr e isso tem-me roubado também a vontade! Não quero dar parte fraca e por isso quero repetir algo que tanto me deu prazer, porque não acredito na máxima que não se deve voltar onde se foi feliz. Adorei a experiência e vamos lá aproveitar mais um momento.

Isto tudo para dizer que a mini ou meia maratona está aí e decidam em qual delas vão participar, mas não desperdicem a oportunidade de passar uma das pontes mais bonitas do mundo (senão a mais bonita) a penantes. É uma cena altamente.

Dia 19 de março não faltes à chamada e inscreve-te aqui.

Nós aqui temos a (mini/meia) maratona da ponte.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

meia-ponte

NÓS AQUI, VAMOS À MARATONA… 20 MARÇO.

corremos

Bom, este título é uma hipérbole, porque nós aqui vamos à “mini”, mini maratona, o que é uma grande diferença, para ser exata 35,195 km. Queríamos só captar a vossa atenção. Mas, se acham que é pouco, adiantamos que já estamos a tremer por todos os lados.

Atravessar a ponte 25 de abril (a passagem entre as duas grandes margens que tanto adoramos – Lisboa e Margem Sul) a correr é um desejo que tenho apontado na minha bucket list*, mas que ano após ano vem sendo procrastinado. Como afirmei aqui no início do ano, Ano novo, Atitude nova, e desta vez, pus-me ao caminho, que é como quem diz, nos treinos e inscrevi-me.

E, porque é que estou um bocadinho em pânico? Em primeiro lugar, apesar da mini-maratona não ser uma competição, são 7 km com um início e um fim que não são decididos por mim. Logo aí, não há espaço para dizer, vou ficar por aqui!

Em segundo, e não menos aterrador, é o facto de eu correr sozinha e fazê-lo por opção. Mas, não só vou correr pela primeira vez com alguém, como para primeira experiência vou logo arrancar com mais 34.999 pessoas. O que é uma decisão genial para quem sofre “um bocadinho” de claustrofobia!

MMLEDP2014

Se estava toda feita para que ia tirar esta prova de letra, acabo de receber um e-mail a confirmar a minha inscrição que diz “Cara atleta Marlene Gaspar”! Nada tenho contra o “Cara” ou “Marlene Gaspar” agora “atleta”?! Vocês estão-me a colocar pressão!!

Então, porque raio é que te foste inscrever? Perguntam vocês com toda a legitimidade.

Porque eu confio e acredito. 1) Na maravilhosa paisagem que vou poder desfrutar, 2) na concretização deste desejo e 3) do “abraço do Cristo Rei” para me inspirar, e 4) na assistência médica que eu espero não vir a precisar.

Queiram Deus e as minhas perninhas que isto vá ser uma prova superada e que eu vou ter forças para vos contar!

Pois é eles ANOTARAM A DATA DA MARATONA. Sabia que lida ao contrário se lê da mesma maneira? Ora teste:

ANOTARAM A DATA DA MARATONA.

Sei que já contámos esta, mas para os mais distraídos e como esta merece tem direito a bis.

A contagem decrescente começou e estamos lá dia 20 de Março.

Inscrições aqui.

Nós aqui vamos à mini maratona.
Nós aqui temos isto.

bucket list – Uma bucket list é uma lista de coisas para se fazer antes de morrer, esperanças, objetivos e sonhos de vida. Fazer uma bucket list é tomar nota do que quer concretizar.

DANCA

#10 HORAS, 10 LOCAIS – ARRANQUE OFICAL DA CIDADE EUROPEIA DO DESPORTO 2016. 30 JANEIRO.

Vamos a isto

Dia 30 de janeiro é o arranque oficial de Setúbal – a cidade europeia do desporto em 2016. E, não podiam faltar atividades para assinalar a data. Há para todos os gostos, feitios e aptidões. Acontecem em 10 horas e em 10 locais diferentes. Ou seja, não vai dar para dizer:

– “Ah e tal, estou a trabalhar! Ah e tal, estou a almoçar! Ah e tal, estou a estudar! Ah e tal, estou a conversar! Ah e tal, estou longe!” – Estas e outras “desculpas” não vão funcionar. Vai poder fazer isso tudo e ainda participar nestas celebrações. O programa da Maratona de Atividades é muito completo.

Viver a Diversidade Desportiva e Cultural de Setúbal

DANCA

09h às 10h | Praça de Bocage
Capoeira | Centro Cultural Capoeira Água de Beber e AMA Capoeira
Percussão |Grupo de Percussão Sant’Iago Olodum
Dança | Associação de Setúbal de Dança Desportiva (ASDD) – Escolas de Dança Desportiva Associadas

10h às 11h | Jardim do Bonfim
Ginástica | Desportivamente em (re)Forma
Atividade Jogos Tradicionais | Divisão Desporto CMS
Mistifório Tradicional | Academia de Música e Belas Artes Luísa Todi

11h às 12h | Parque do Morango, Brejos de Azeitão
Rugby |Vitória Futebol Clube
Esgrima | Escola Municipal de Desporto de Setúbal – Núcleo de Pentatlo Moderno de Azeitão
Hip Hop Kids | Sónia Ribeiro: “Music and Movement” – Grupo de Dança e Escola de Hip Hop da Sociedade Musical Capricho Setubalense, Ginásio ProAventuras, ATL Trocas e Baldrocas e ATL Centro de Estudos da Vila

12h às 13h | Alegro
Escalada | APPACDM – UDI, União Desportiva para a Inclusão
Futebol Mini | Academia Futsal Estrelas Setúbal e U.F. Comércio Indústria
Grupo de Percussão | APPACDM – Projeto Tamborzinho

13h às 14h | Parque Urbano de Albarquel
Vólei | Academia de Vólei de Praia
Slackline | Trickline
Danças Urbanas | Bruno Abreu e Sheila Pereira

14h às 15h | Parque Verde da Bela Vista
BMX | Núcleo de Bicross de Setúbal
Parkour & Freerunning Practitioner | Luis Alkmim
Dj Set | LONO – Land of No One

15h às 16h | Praia da Saúde
Vela | Clube de Vela do Sado
Canoagem | Clube Canoagem de Setúbal
Remo e Vela | Clube Naval Setubalense

Auditório José Afonso
Patinagem Artística | Juventude Azeitonense Associação Cultural e Desportiva, Clube de Patinagem do Sado, Patinagem Artística Clube Naval Setubalense e Casa do Pessoal da Secil – Clube Patinagem
Slackline | Longline

Auditório José Afonso até à Praia da Saúde
Corrida |”H`AJA SAÚDE” – corrida informal de abertura de Setúbal Cidade Europeia do Desporto 2016

16h às 17h | Cais 3 – Zona Ribeirinha
Dança Jazz, Trampolim, Tumbling | Vitória Futebol Clube
Step Dance | Ginásio Costa Azul
Danças Africanas | Associação Cabo Verdiana de Setúbal – Iza da Costa

17h às 18h | Largo de Jesus
Salsa, Tango Argentino | Enclave-Cultura em Movimento
Bachata | Setubailas

18h às 19h | Jardim da Algodeia
Muay Thai| Elite Fight Gym
Taekwondo | Clube de Taekwondo Du Bocage – Lati
Percussão | Músico Fernando Molina
Dança do Ventre | Andreia Gravata e Catarina Branco

21h00 | PAVILHÃO DESPORTIVO MUNICIPAL DAS MANTEIGADAS
SESSÃO OFICIAL DE ABERTURA

Apareça, mesmo que seja só para “vê-los passar”.

Nós aqui temos a cidade europeia do desporto.
Nós aqui temos isto.