Artigos

Bombeiros Voluntários Cacilhas

PROJETO SOLIDÁRIO BY FERTAGUS. Por Catarina Laborinho

aplaudimos

Para quem é cliente assíduo do comboio da ponte já reparou certamente que todos os anos as “nossas” estações estão decoradas com bonitas árvores de Natal. Em 2014 (ainda este blog não tinha nascido) a Fertagus lançou o Projeto Arte Solidária, que consiste no donativo de 1.000€ por árvore por estação.

Sim, nós sabemos que o Natal já lá vai, eu pelo menos já estou a pensar na praia e no verão. Aí Verão Verão, já me estou a imaginar de chinelo no pé, na nossa querida fonte da telha, de barriga ao léu e ao sol que nem um lagarto… que saudades… mas quanto ao verão iremos ter novidades mas a seu tempo, agora voltando a dezembro e às árvores, este ano não foi diferente.

Em sequência de um verão tão penoso, a Fertagus decidiu atribuir as verbas disponíveis para este fim, às corporações de Bombeiros Voluntários locais. Assim, a decoração este ano esteve a cargo dos Bombeiros Voluntários que acabam por “pedir ajuda” aos mais pequenos, ou seja, ao Infantário Parque dos Sorrisos. As 5 árvores que estiveram em exposição nas 5 estações da Fertagus acabarma por ser “construídas” por estes pequenos grandes conquistadores.

árvores de Natal

Árvore de Corroios | Pragal | Foros de Amora

Ao todo, o donativo relativo às Estações foi atribuído à Associação Humanitária de Bombeiros Mistos da Amora, no valor de 1.000€ (estação de Foros de Amora), à Associação Humanitária de Bombeiros Mistos do Seixal no valor de 3.000€ (estação de Corroios, Fogueteiro e Coina) e à Associação de Bombeiros Voluntários de Cacilhas no valor de 1.000€ (estação do Pragal).

Assim é tão mais fácil…

Os Bombeiros precisam, a Fertagus ajuda, e os mais pequenos adoraram decorar as estações.

Nós aqui aplaudimos isto
Nós aqui gostamos de projetos como este!

Obrigada Fertagus
Texto: Catarina Laborinho
Fotos: Fertagus

FERTAGUS, LSBblog

fecharaboca

O QUE FAZER DO NATAL À PASSAGEM DE ANO? Por Marlene Gaspar

degustamos

Olá minhas bolinhas de Natal? Sobreviveram às várias rondas de almoços e jantares? Nós aqui, e falando da parte que me toca, sim! Com tudo o que se tem direito e mais um pouco. Aqui me confesso que me descontrolei um bocadinho e hoje elejo o rebolar como o melhor meio de transporte para a minha pessoa. Respondendo à pergunta que aqui me trouxe, e sabendo que o plano das festas aqui na zona é daqueles bons, mesmo bons, a mim resta-me um resposta curta – fechar a boquinha!

Olhem que eu não sou “ssoa” destas coisas, até porque muita comida de fácil acesso, como buffets, costuma ter um efeito contrário em mim – ao querer tudo, parece que não me apetece nada. E, desta vez, não sei o que me aconteceu, mas parecia que o meu estômago estava um poço sem fundo (já o mesmo não posso dizer da minha conta bancária, que aqui também houve algum descontrole. Mas aqui, os efeitos secundários são mais positivos, deixar os outros felizes e contentes tem o efeito a dobrar sobre quem dá). Sabem aquela coisa de pensar que um dia não são dias e amanhã nem se nota. Devo ter levado isto demasiado à letra, porque no dia a seguir isso não passou ao lado da balança. E se pensam que está bem distribuído, desenganem-se, que eu sei muito bem que parte do meu corpo ficou mais maltratada. Adiante.

Olhando para os últimos dias, o prazer compensou estes incómodos – pelo menos alguns. Seguramente, e como pedi, os presentes embrulhados não foram os Reis da Festa – calma – adorei tudo e não vou passar nem um minuto a trocar nada, o que é um grande feito. Ou então, já sou mesmo um livro aberto! A companhia é que foi sem dúvida a estrela da companhia. O Natal foi passado aqui, na minha querida margem sul com os meus e os nossos, e o Pai Natal, cumpriu todas as “exigências”, ou quase todas, que como mãe, há que fazer escolhas.

Ainda não estou preparada para a Passagem de Ano e para todas as tentações que esta provoca – estou a falar das gustativas, ok? Por isso resta-me até lá fechar a boquinha (vamos ignorar o dia de hoje, porque amanhã é que conta!), porque se o ritmo assim continuar, não sei onde vou parar. Só sei que não vai ser bonito. Esta regra não se aplica à converseta, porque podemos dar continuidade à quadra dos afetos e continuar a emanar e desejar energia positiva ao próximo. Eu começo:

Continuação de Boas Festas, e já agora, das visitas por aqui. Nós aqui, gostamos disso! Bem-hajam.

Nós aqui temos de fechar a boquinha.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

caixa papelão

OS 5 MELHORES BRINQUEDOS DE TODOS OS TEMPOS. Por Helena Gonçalves Rocha

Helena

Ho Ho Ho! Impossível escapar…é Natal, é Natal, é Natal!

Este ano a nostalgia apoderou-se de mim…já não tenho crianças para oferecer brinquedos, ups…o que aconteceu? Cresceram tão depressa! Mas recordo bem a azáfama que iniciava logo no princípio de Dezembro, parecia quase uma caça ao tesouro ( o jogo da moda, a boneca que faz mil coisas, o livro fantástico). Este ano não é excepção, é ver os inúmeros catálogos dos hipermercados que se acumulam nas caixas de correio, os anúncios da TV que não param de nos bombardear com as últimas novidades e por outro lado, os orçamentos familiares que tentam atender às extensas listas das crianças mas que, definitivamente não esticam.

Pensando nisso, elaborei uma lista de 5 brinquedos que nenhuma criança deveria ser privada. Estes 5 brinquedos estão ao alcance de qualquer carteira e são adequados para um extenso intervalo de idades. São brinquedos que foram testados ao longo dos anos e certificados e aprovados pelas crianças. Como bónus, estes 5 brinquedos podem ser combinados para garantirem um tempo ultra-mega-super-divertido!

HELENA GONCALVES ROCHA

1# Pau

1# Pau

Este brinquedo versátil é um verdadeiro clássico. O mais provável é que os vossos tetra-avós também tenham brincado com paus, e os seus filhos descobriram-nos sem precisarem da vossa ajuda.

Os paus existem numa enorme variedade de formas e tamanhos, podendo fazer uma  coleção completa sem fazer qualquer investimento.

E um Pau pode ser tudo aquilo que uma criança imaginar, uma fada de condão, uma espada, uma pistola. Quando faço as minhas sessões com crianças em ambiente de natureza, rara é aquela que não procura imediatamente um Pau para fazer a caminhada connosco, um Pau mágico, um Pau para nos defendermos.

Confesso que sempre gostei deste brinquedo, com os devidos cuidados para que não se magoem, este é um objeto que desperta a imaginação de todas as crianças. Recordo-me quando o meu filho era pequeno adorar os “cacaus”, vulgo casca de pinheiro, com eles construía as mais variadas histórias desde walkie-talkies, espadas e pistolas.

CAIXA

2# Caixa

2# Caixa

Outro brinquedo muito versátil. As caixas também se encontram nas mais variadas formas e tamanhos. Dependendo da quantidade e tamanho das caixas que tenha, as caixas podem transformar-se em mobiliário de cozinha, camiões, túneis, barcos, armaduras invencíveis.

Num período em que estava a trabalhar com um grupo de crianças pequenas especializei-me em reaproveitar as caixas de grandes dimensões (Frigoríficos, Televisões), desde construirmos uma cidade, a aproveitar a caixa e desenhar nela um mapa de estradas para os carrinhos, até utilizarmos as luzes de Natal para fazermos um túnel encantado. Tudo foi possível e principalmente muito divertido!

Cordas e fios

3# Cordas ou Fios

3# Cordas ou Fios

Os miúdos adoram cordas. Começo já por dizer que os fios ou cordas não são adequados para os bebés ou crianças pequenas pois podem ser motivo de estrangulamento quando se lembram de os colocar à volta do pescoço. No entanto quando utilizado devidamente, o seu manuseio pode ser fonte de um grande divertimento .

A utilização mais usual das cordas será para juntar coisas. Pendurá-las nos troncos, fazer uma trela para o urso de estimação, fazer armadilhas, amarrar o irmão mais novo à cadeira. Usem um fio para fazer um telefone com dois copos, ou juntem um pau e construam uma cana de pesca.

Tubos

4# Rolo de papelão

4# Rolo de papelão

Ah, os rolos de papelão. Eles conseguem-se de forma gratuita assim que acaba o rolo de papel higiénico ou o papel de cozinha, estes são os mais comuns, mas ainda existem os rolos grandes de papel de embrulho ou os rolos dos posters, verdadeiros tesouros que duram muito tempo. Tivemos um em casa que durou 3 anos, era um telescópio, de onde se avistava a Lua quase todas as noites. Com os rolos pequenos construíram-se uns binóculos de explorador. Os rolos de papelão também são fantásticos para servir de garagem para os carrinhos ou fazer passar coisas por dentro deles.

Terra

5# Terra

5# Terra

Quando era pequena bem me recordo de fazer bolos de terra, que com um pouquinho de água, ficavam deliciosos bolos de lama, de ficar toda suja e de gostar, gostar muito…As minhas tias por sinal, não achavam assim tão divertido.

É verdade que hoje em dia cada vez mais investigações apontam para que as crianças que se sujam fortalecem o seu sistema imunitário, ao contrário das crianças que não têm oportunidade de se sujarem. Não será este o melhor argumento para deixar a sua criança sujar-se e brincar com a terra? Se à terra lhe juntar um pau, temos montes de terra a ser empilhada e destruída com o pau, a terra é o local ideal para brincar com os carrinhos e construir estradas.

Ficam estas ideias do TOP 5 dos brinquedos, ecológico, grátis e garantidamente muito divertido!

Feliz Natal!
Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

Helena

NO NATAL AS CRIANÇAS PRECISAM MAIS DO QUE PRESENTES. O QUE SERÁ? Por Helena Gonçalves Rocha

Helena

A pressão do Natal está aí! Para onde quer que vamos ouvimos músicas de Natal, recebemos a toda a hora novas sugestões e propostas das melhores decorações, os melhores presentes, as melhores atividades. Os nossos olhos parece que já brilham de tanta luzinha que pisca… .

As festas estão aí, muitas vezes os pais sentem a pressão de ter de” fazer bem “. Queremos que os nossos filhos sejam felizes e muitas vezes achamos que temos de ser ultra-mega-organizados, pensar sempre à frente e ser muito criativos, para que tal possa acontecer.

Aguentar o período festivo desde o Natal à passagem do ano poderá ser difícil. Apesar da felicidade e alegria que achamos que devemos sentir, muitas vezes os pais estão exaustos, stressados e sem tolerância. Os miúdos conseguem ir do estado eufórico ao estado ultra-birra em apenas 60 segundos. As famílias esvoaçam de atividade em atividade e os pais tentam encontrar o presente perfeito. Na ânsia de criar a memória do cenário natalício perfeito, caímos muitas vezes numa enorme lista de afazeres impossível de concretizar. E ficam para trás as coisas realmente importantes – tal como o tempo passado juntos, as tradições e a boa vontade.

Tudo isso é muito importante, mas não nos devemos esquecer de manter algumas coisas em mente para que esta época natalícia seja vivida com sucesso.

# As crianças precisam de aprender que dar e receber são ações recíprocas. Quando damos oportunidades aos nossos filhos de dar aos outros, ajudamo-los a aprender o que é a generosidade, a bondade e a empatia. Poderá pensar em algumas atividades adequadas a cada fase de desenvolvimento, podem visitar um lar de idosos e disponibilizarem-se para serem parceiros de jogo, ou voluntariarem-se para ajudar na distribuição de comida pelos carenciados ou organizar e doar brinquedos a quem mais precisa. Podem oferecer uma bebida quente ao porteiro da escola, que nesta época passa tanto frio, ou levar umas bolachinhas e um sorriso às senhoras da secretaria, que, com toda a certeza irão retribuir com o maior sorriso e calor no coração.

# As rotinas dão estrutura e fornecem segurança e conforto.  As rotinas básicas são para ser mantidas durante todo o ano (horários para dormir, horas das refeições, hábitos de higiene, etc) .Porém, as tradições natalícias são rotinas que acontecem sempre da mesma forma, de um ano para o outro. Por um lado são necessárias novas formas de entreter os miúdos a cada ano que passa, mas na verdade, os miúdos querem e precisam que as tradições natalícias se repitam ano após ano. E esta repetição pode ser na ementa (sempre, mas sempre Bacalhau na noite da consoada), nas decorações (sempre, mas sempre a mesma estrela no alto da árvore), as histórias que se contam, as músicas que se ouvem vão ajudar as crianças a criar memórias associadas à época natalícia. Isso, mais do que os presentes, farão esta época do ano tão única e especial.

# Antecipar e vivenciar ocasiões especiais é muito importante para as crianças. As crianças beneficiam de antecipar e participar nos eventos especiais. As crianças adoram contagens decrescentes para alcançar as atividades pretendidas e a época natalícia é perfeita para isso. Desde os calendários do advento, ao riscar no calendário os dias que passam e contar aqueles que faltam. A excitação crescente do Grande Dia que se aproxima é inexplicável para os Miúdos, a excitação do aproximar da meia-noite, tanta ânsia e nervosismo para gerir.

# As histórias e memórias partilhadas refletem os valores de família. As reuniões natalícias são sempre uma excelente oportunidade para as crianças ouvirem as histórias familiares que vão passando de geração em geração. Todas essas histórias transmitem um sentimento de continuidade e pertença que ajuda a passar também os valores familiares.

Helena Gonçalves Rocha

# As interações significativas entre os membros da família fazem a criança sentir-se amada.  A presença de um pai e a sua atenção total podem significar muito mais do que um simples presente. O tempo passado no chão da sala a jogar ou a ler um livro, nunca será tempo desperdiçado. A presença dos pais num programa natalício, tipo festa da escola, é uma das formas de transmitirmos à criança que ela é amada e valorizada.

Quando os pais desaceleram e se reposicionam, eles poderão dar memórias muito felizes aos seus filhos e poderão ir de encontro às reais necessidades desenvolvimentais. Manter estas necessidades em mente poderá ajudar os pais a filtrar o ruído provocado pela expetativa externa relativa à época natalícia. Os pais deveriam permitir-se relaxar, lembrarem-se que está tudo bem quando se diz Não, especialmente quando dizer Não significa passar mais tempo com os seus filhos.

Aproveite a época natalícia e viva na plenitude a sua Família!

Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografia: D.R.

88093665

NATAL: A IMPORTÂNCIA DOS RITUAIS DE FAMÍLIA. Por Helena Gonçalves Rocha

Helena

Chegou Dezembro e com ele o cheirinho a Natal! Lá fora os cenários modificam-se, são luzes que piscam, ora na iluminação de rua, ora na casa de cada um que decide decorar a sua casa especialmente para o Natal. Ainda encontramos muitos Pais Natais pendurados nas varandas, Pais Natais nos grandes centros comerciais, mas esses são só ajudantes, porque o Pai Natal, sim, o verdadeiro Pai Natal está lá longe, no Pólo Norte muito atarefado juntamente com a sua equipa de anõezinhos a ultimar as listas de presentes, a dar os últimos retoques aquela boneca que a Maria tanto queria…sim, o verdadeiro Pai Natal não consegue estar em todo o lado a dar atenção aos pequeninos. Por isso, contrata tantos e tantos ajudantes parecidos com ele, mas que efetivamente não têm a “dita magia do Natal”…

Uma das dimensões que distingue as famílias diz respeito aos seus rituais, isto é, à forma como vivenciam as atividades partilhadas, sejam elas de caráter quotidiano, sejam datas festivas, mais esporádicas e pontuais.

Cá em casa o Natal sempre foi vivido de forma muito Especial e com muita magia, desde o primeiro dia de Dezembro, em que habitualmente se montava a árvore de Natal e onde se inaugurava o calendário do advento.

calendário do advento

Cada dia, ou antes em cada noite os anõezinhos deixavam recados, mensagens, pequenos presentes simbólicos que faziam com que cada acordar de Dezembro fosse sempre em grande excitação.

Os rituais familiares são privados a cada grupo familiar porque possuem significados diferentes. Estes rituais permitem estabelecer um sentido de estabilidade e de pertença único em cada família.

As noites de consoadas são passadas das mais diversas formas e com diferentes características de casa para casa, tudo se altera, desde a ementa da noite, a forma como são trocados os presentes, a decoração da casa. No entanto no seio da nossa família a manutenção destes rituais reforça os valores familiares e as próprias heranças familiares.

Ao longo dos anos todos sabiam que chegando a meia-noite o Pai Natal surgia no céu e deixava o seu saco de presentes à porta. Todos se lembram da noite em que Ele distraído deixou o barrete pendurado no portão, todos se lembram de ver a cauda da rena quando já iam de saída.

3dab08e2-5f64-4c9b-b646-ae7b65442a61-754x394

Agora, já todos mais velhos, uns a entrar na idade adulta, outros na efervescente adolescência, tentam manter a tradição para os pequeninos que começam a surgir e recusam-se a abandonar a Magia de outrora.

Essencial será criarmos memórias afetivas que os acompanhem ao longo da vida, que os remeta para uma estabilidade emocional, para o sentido de união / reunião Familiar, onde todos têm o seu lugar desde o mais velho aos mais pequenino.

E os miúdos podem ser envolvidos nesta celebração logo desde início, com a decoração da casa e da árvore de Natal. Na cozinha, fazendo bolinhos e partilhando as receitas de família, na noite e dia de Natal recebendo todos com alegria e celebrando esta grande reunião anual.

Deixo, pois, aqui os meus desejos que aproveitem esta época natalícia e usufruam da companhia uns dos outros e ofereçam muitos presentes do coração, construídos por cada um de vocês e sempre a pensar no outro.

Feliz Natal!
Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

FeriasNatal

FÉRIAS DE NATAL GRATUITAS PARA JOVENS EM ALMADA. 18 a 29 dezembro. Por Marlene Gaspar

celebramos 1

Eu sei que este ano ainda não falei do Natal, mas para meu espanto ainda não fui imbuída pelo espírito natalício. Costuma-me bater forte e feio, com algum tempo de antecedência, mas ainda não estou para aí virada. Deve ser por causa do tempo!

Mas há coisas que têm de se tratar com tempo, como onde deixar a nossa filharada durante o período de férias de Natal que está aí à porta –  a edição das Férias Jovens em Almada é  um programa gratuito destinado a crianças e jovens entre os 6 e os 17 anos. É gratuito, mas precisa de se fazer inscrição e estas terminam esta semana, no dia 24 de novembro.

Este programa permite às crianças e jovens que estudem, residam e/ou cujos pais, encarregados de educação ou representantes legais trabalhem no concelho de Almada, um conjunto de atividades, passeios e visitas dentro e fora do concelho. O programa decorre em dois turnos, ao longo do mês de dezembro (18 a 22 de dezembro e 26 a 29 de dezembro).

A participação é gratuita, mediante inscrição presencial com a entrega da documentação necessária.Vê aqui as condições de participação. E boas férias.

Nós aqui temos férias de Natal gratuitas.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

CartaPaiNatal

CARTA AO PAI NATAL. Da margem sul ao polo norte.

gostamos 1

Andava eu a cantar de galo que já tinha despachado o tema presentes de Natal e por isso até à data ia ter umas semana santas e eis que sou surpreendida por uma carta ao Pai Natal na árvore!

Oi? O assunto está tratado! Lembram-se de me ter lançado na Black Friday às lojas como se não houvesse amanhã para tratar deste assunto? Ah, pois é. Não venham agora com novos pedidos, ideias ou must-haves. Isto aqui tem de se trabalhar com deadlines reais. E o meu foi dia 25 de novembro. Lamento.

Esta convicção desfez-se em dois segundos quando percebi que a carta ao Pai Natal era da Victória. Assim que se apercebeu dos presentes debaixo da árvore e preocupadinha com tudo e mais alguma coisa, foi logo de tratar de assegurar os seus desejos. Antes sequer de ler fui logo tratando de explicar que o Natal não são só presentes e o importante é o tempo que estamos com quem mais gostamos, prezamos e amamos. Ela escutou, acenou de forma afirmativa e disse, mas lê a carta ao Pai Natal.

Fiquei apreensiva e meio em pânico, porque achei que logo eu que trabalho em comunicação há anos, não tinha a capacidade de explicar algo tão simples e estava a levar uma abada da febre natalícia do consumismo desmedido rodeado por todos os lados, menos por um. O nosso. O de cá de casa.

Mas li. E fiquei contente quando li.

Querido Pai Natal

Gosto de Jogos da patrulha pata e de jogos das canções da Maria e de jogos da Sónia e de jogos do Pocoyo e do Ruca e jogos da árvore de Natal e jogos do natal e jogos dos presentes do natal e amor.”

Victória Tomás

CartaPaiNatal

Carta da Victória ao Pai Natal com 6 anos acabados de fazer.

Pimba, vai buscar. Amei. Em primeiro lugar porque algum dos presentes está assegurado e o amor tem de sobra. Mas o principal foi a simplicidade dos pedidos e o remate com o que é verdadeiramente importante – o Amor.

A época natalícia aqui na margem sul está oficialmente aberta desde o mês passado, mas a ideia de partilha não se centra nos presentes. Este é o meu desejo. Esta é a mensagem que quero passar às minhas filhas, aos meus e a todas as pessoas da margem sul e arredores!

Não é um “olha para o que eu digo, não olhes para o que eu faço”. É claro que gosto de oferecer e receber presentes. Não sejamos hipócritas. Mas o amor é o que é realmente importante.

Pai Natal, não precisas de te demorar por aqui, mas gostamos sempre da tua visita.

Bom Natal para todos.

Nós aqui temos Natal com amor.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Christmas Dinner. Roasted turkey garnished with potato, vegetables and cranberries

8 DICAS PARA UM NATAL MAIS SAUDÁVEL. por Sara Romeiro

degustamos

Como já vos contei aqui, o meu entusiasmo com o Centro de Implantalogia em Almada foi tão grande que não hesitei em pedir alguns conselhos para todos aqueles que nem no Natal pretendem dar uma folga à alimentação saudável e que podem ajustar as suas mesas a hábitos saudáveis. Não pretendemos ser um corta-barato e a ideia é poder escolher, porque se a sua opção for lambuzar-se com tudo o que gosta, o Pai Natal não vos castiga, porque é Natal. Já o corpinho não sei se podemos dizer o mesmo.

A nutricionista Sara Romeiro do Centro de Implantologia de Almada dá-nos 8 dicas para uma alimentação mais saudável nesta época de alguns “estragos”:

Chegou a loucura do Natal! É uma época de consumismo a todos os níveis e a alimentação não é exceção.

Se há quem não se importe com alguns quilos a mais na balança, há quem tenha pânico que isso aconteça, até porque sabe que, depois, esses quilos demoram muito tempo a desaparecer. Assim, deixo xx dicas para passar esta época de forma a não sofrer muito.

1# evite passar o dia sem comer de forma a resistir aos alimentos mais calórico na altura da ceia.

2# Nos preparativos da mesa, não petisque, nem prove os pratos.

3# inicie as refeições com uma sopa de legumes. Desta forma, ficará mais saciado e não consumirá quantidades exageradas de outros alimentos.

4# dê preferência às frutas frescas e coloque-as à disposição, já arranjadas para ser só ter de colocar a mão e tirar. As romãs dão um aspeto muito natalício, por isso são uma ótima opção. Ponha de lado as frutas em calda.

5# os salgados e aperitivos não fazem parte da tradição de Natal, por isso, para resistir à tentação de petiscar, não compre. Para além de ricos em gordura, são muito ricos em sal. É preferível os frutos secos sem sal ou frutas secas.

6# prefira as aves (ex.perú), retire a pele e opte pelo peito;

7# escolha só um prato e acompanhe com muitos legumes e/ou salada. Tempere com um fio de azeite e ervas aromáticas

8# bebidas alcoólicas em excesso podem estragar meses de trabalho, prefira o champanhe que é menos calórico.

Boas Festas!

DSC_0919

Sara Romeiro – Nutricionista no Centro de Implantologia

Sara Romeiro

Nós aqui temos dicas de alimentação saudável para o Natal.
Nós aqui temos isto.

Texto introdução: Marlene Gaspar
Texto dicas: Sara Romeiro do Centro de Implantologia de Almada

Praça da Liberdade, 1 J Almada
Telefone: +351 21 276 32 09
Telemóvel: +351 96 758 84 02
Email: clinicanunoalegria@hotmail.com

 

Post em parceria com o Centro de Implantologia de Almada

logo PB

HELENA NATAL

QUAL O BRINQUEDO QUE O SEU FILHO PRECISA?

Helena

Todas as crianças necessitam de 3 coisas para brincar: Tempo, Espaço e Objetos. Embora, o primeiro brinquedo e aquele que é, ou deveria ser amplamente explorado, seja o nosso próprio Corpo.

O bebé começa por descobrir as suas mãos e pés e inicia múltiplas brincadeiras, descobre a sua voz e brinca com ela entoando diferentes ritmos e melodias e quando se descobre ao espelho todo um novo mundo de alegria é descoberto.  Conforme vai crescendo e à medida que vai descobrindo as múltiplas possibilidades de exploração que o seu Corpo permite, a criança vai explorando e conhecendo o mundo que a rodeia. Daí ser tão importante e vital proporcionar diferentes vivências corporais às nossas crianças, para que possam ter um desenvolvimento psicomotor harmonioso e para que tenham um brinquedo ativo sempre com elas.

Quando não temos um amplo repertório de brincar, a nossa tendência é achar que os objetos precisam de ser brinquedos prontos. Quanto maior a caixa e mais recursos o brinquedo tiver, melhor, certo? Não.

Os brinquedos evoluíram tanto nos últimos anos que agora os brinquedos parecem que se jogam sozinhos. O brinquedo já vem com uma brincadeira pronta e a criança só tem que carregar no botão e olhar. A criança acaba por ser um observador passivo do brinquedo. Quando as pilhas acabam, o brinquedo morre.

Brinquedos-para-bebês-recém-nascidos-850x400

Mas não deveria ser assim, não acham? Os brinquedos são companheiros silenciosos que desafiam a criança possibilitando novas descobertas e estimulando a sua auto-expressão. Essencialmente os brinquedos deveriam ser um convite à exploração e imaginação. Como tais os brinquedos de ampla utilização, ou seja, sem uma função específica delimitada, tipo um pedaço de papelão, podem rapidamente transformar-se num telemóvel, num carro, numa cama de boneca ou numa lista para ir às compras. Os materiais ou brinquedos de ampla utilização possuem utilizações infinitas, apenas limitadas pela imaginação da criança.

Assim, nesta época em que a pressão consumista toma conta de nós tente escolher com critério os brinquedos que irá oferecer. Imagine de quantas formas esse brinquedo pode ser utilizado, quanto maior o número de possibilidade mais acertada será a sua escolha. Tenha em conta o tipo de material em que o brinquedo é feito, a madeira é habitualmente mais duradoura do que o plástico, é importante diversificar o tipo de texturas que oferecemos às crianças. Tente não ceder à pressão da publicidade, arrisque e ofereça brinquedos com os quais se divertiu ou brinquedos que requerem alguma imaginação e resolução de problemas, de início eles podem não reagir de imediato como se tivessem recebido o camião da Patrulha Pata, mas vai ver que no próximo ano ainda continuam a brincar com aquilo que ofereceu.

Deixo-vos algumas pistas sobre os brinquedos mais indicados para as diferentes faixas etárias, considerando o desenvolvimento cognitivo, motor e sócio-emocional em cada fase.

1 aos 2 anos: brinquedos de empurrar, carrinhos, blocos de construção, brinquedos de desmontar (grandes), degraus e pequenos escorregas, túneis, bolas, carro ou bicicleta com pedais, livros cartonados.

2 a 4 anos:  livros de pano com figuras, livros de imagem e pouco texto, telefone, panelinhas e utensílios de cozinha, objetos domésticos, bonecas, máscaras, chapéus, fantoches, fantasias, capas, massa para modelar, puzzles simples, lotos de imagem, tambor, pandeireta, , carros, camiões, comboios e aviões, piano e xilofone, cabanas e casinhas,, triciclo, material para bolas de sabão.

Screen Shot 2016-12-09 at 10.19.07

De 4 a 7 anos: blocos de construção, material para pintura e desenho, jogos (dominó, loto, damas), jogos desportivos, carrinhos de bonecas, livros.

De 7 a 12 anos: bolas e raquetes, bowling, jogos (montar, construção, perguntas e respostas, damas, xadrez), minilaboratórios, quebra-cabeças difíceis, ferramentas para construção de brinquedos.

Lembre-se, mais importante do que o brinquedo é a forma como a criança pode brincar com ele e como podemos ser companheiros de brincadeira.

Brinque muito e aproveite cada momento!

Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

MINIFAMILY

ALMOÇO DE NATAL MINI É NA MARGEM SUL! 10 dezembro.

gostamos

Os MINI Family escolheram a margem sul para celebrar o almoço de Natal este ano, mas precisamente no Barreiro. E porquê? Porque quem gosta de MINI sabe onde é que é bom.

Se queres participar com o teu MINIno a desfilar em caravana e almoçar com outros que tal podes inscrever-te para participares no repasto até ao dia 6/12.

O encontro é no dia 10 de dezembro e começa pela fresca.

AMGCARMINI

Ponto de encontro – MINI AMG Car Amora, Seixal

9.00 – Ponto de encontro no Concessionário #AMGCAR no Seixal
10.00 – Saída em caravana com destino ao Cristo-Rei, para a foto de família
10.45 – Saída em caravana com destino ao Barreiro
12.15 – Passagem pelo centro da Cidade do Barreiro e pequena paragem numa Instituição beneficiência, para entrega de bens doados pela solidariedade dos membros da #MINIFAMILY;
13.15 – Estacionamento em local exclusivo para a #MINIFAMILY e ida para o restaurante #ATASCADAGALEGA
15.00 – Saída em caravana e visita a um local surpresa;
17.00 – Saída com destino à #AMGCAR e onde dará o termino do nosso dia com uma pequena recepção.

Almoço
Será realizado no restaurante “A Tasca da Galega”, com uma lotação máxima para 50 pessoas. As inscrições encerram a 03/12.

O valor do almoço será de €11,5 e o pagamento deverá ser efectuado antecipadamente até 06/12 indicando o nome e a matricula do carro, contactando eduardo.costa.hasse@hotmail.com.

Entradas
Ovos com farinheira
Cogumelos com alecrim e moscatel
Pataniscas de polvo

Pratos
Caril de legumes
Lombinhos com coentros e limão
Pica-pau

Bebidas
Vinho tinto e branco
Imperial
Águas
Sumos
Cafés

Doces
Pudim
Bolo de bolacha

Nós aqui temos almoço de família MINI.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

Texto em Parceria com MINIFamily