Artigos

Costa da Caparica

A MAIOR PRAIA DE LISBOA É COMPARADA A UM JARDIM DO ÉDEN COM A AREIA. Por El País

gostamos 1

E quem o diz é o El País. E como muitas vezes na nossa vida é primeiro preciso brilhar lá fora antes de resplandecer cá dentro. Não é o caso da nossa Costa da Caparica, porque “eles falam, falam, falam e eu não os vejo a não vir para aqui”. Vamos ouvir (ler) o que eles escreveram sobre a nossa praia.

“A praia é tão comprida e larga, que vai mudando de nome”, diz o El País.

Para o jornal espanhol, a Costa da Caparica é vista como uma única praia, já que as caraterísticas que tornam única esta zona de Lisboa são comuns a toda a extensão quinze quilómetros “ de areia fina e mar bravo”, como se lê na publicação.

Este é o mais recente exemplo dos muitos casos em que Portugal é falado ‘lá fora’, e é nos sempre interessante ver os recantos nacionais aos olhos de estrangeiros que nos visitam, mesmo que aconteça focarem-se nos pontos mais turísticos ou ignorarem aspetos que, para os portugueses, tornam certas zonas do país um pouco menos encantadas.

Costa da Caparica

Foto: iStock no artigo Notícias ao Minuto

Não é este o caso das praias da Costa da Caparica, sobre as quais o El País faz por apontar o moroso acesso feito pela ponte 25 de abril principalmente ao fim de semana. Ainda assim (e a maioria dos lisboetas irá concordar) vale a pena o esforço do caminho de carro, que é compensado por um dia de praia com sol e ambiente de excelência que faz deste local “o único éden que se pode encontrar em agosto próximo de uma metrópole”.

Haverá maior luxo do que uma extensa praia a ‘dois passos’ da confusão urbana e que se divide apenas por pontuais escolas de surf, cafés ou restaurantes vegetarianos, que em nada destoam a paisagem com vista digna de filme?

Nós aqui temos o Jardim do Éden com areia.
Nós aqui temos isto.

Texto: Mariana Botelho in Lifestyle Notícias ao Minuto
Foto: istock – usada no artigo do Notícias ao Minuto
Texto introdutório: Marlene Gaspar

Screen Shot 2018-08-20 at 16.06.29

E QUANDO A RECICLAGEM COMEÇA LOGO NA PRAIA. Por Catarina Laborinho

gostamos

Hoje em dia muito se fala em reciclagem, em limpezas de praia fora da época balnear mas é importante sensibilizar a população para este assunto durante todo o ano, e foi isso que vi este sábado!

Este fim de semana, na praia da Mata, vi uma equipa da AMARSUL a sensibilizar todos os banhistas. Localizados à entrada da praia, junto de um contentor orgânico, pediam a quem se dirigisse ao mesmo para separar as embalagens e as garrafas e depositar as mesmas no contentor apropriado que se encontrava a poucos metros.
Certamente já repararam que todas as praias de bandeira Azul têm ecopontos no estacionamento. A reciclagem não deve ser esquecida nem mesmo em momentos de lazer, por isso já sabe, se colocar um plástico ou vidro num contentor verde, os “meninos” da AMARSUL vão convida-lo a colocar no sítio certo.

A ação de sensibilização da AMARSUL estende-se em paralelo às praias de Sesimbra, onde irá encontrar uma outra equipa entre os dias  22 e 26 de Agosto na na Praia da Califórnia. 

Nós aqui gostamos d’isto
Nós aqui também reciclamos

Texto e Foto: Catarina Laborinho

31530522_632024350470500_3677435854504067072_n

E QUE TAL UMA AULA DE SURF? Por Catarina Laborinho

gostamos

Pois é, sabemos que o dia de hoje não está convidativo, aliás estou seriamente a pensar em voltar a calçar as botas visto que a chuva se lembrou de nos brindar de novo!! Mas… vai ser só até amanhã. Assim sendo, há que aproveitar o sol do fim-de-semana e para isso nada melhor que agendar uma aula de surf!!

Este sábado o tempo vai estar MARAVILHOSO, e se não tens nada para fazer ou se por outro lado andas há imenso tempo a querer experimentar chegou o dia, a hora e o momento. AULA DE SURF, com a SurfPro Surf School na praia da Mata pelas 10H. Eu já fui e adorei! Para mais informações o evento está criado no facebook.

N0 fim de semana passado foi assim…

,

Manda-te à água, porque vais ADORAR!

Das melhores sensações que podemos ter é sentir a água salgada no rosto… não é?

Nós aqui gostamos de Mar
Nós aqui temos isto

Contactos
surfprosurfschool@gmail.com // 939 219 023

Texto: Catarina Laborinho
Foto: Surf Pro Surf School Escola de Surf – Costa da Caparica 

limpezaFonteTelha

NOVA LIMPEZA DA PRAIA DA FONTE DA TELHA. 27 maio. Por Marlene Gaspar

gostamos 1

Estou sempre a dizer que em equipa vencedora não se mexe e tendo em conta o sucesso das últimas limpezas da praia, há que voltar a carga, porque infelizmente, ainda há muito para limpar e a praia é como o ar. É de todos. E para todos.
Mas se há cenário triste é ver uma praia que não está limpa. Não vamos deixar acontecer, e por isso, por favor, não deixem resíduos na praia. Nem beatas, nem restos de embalagens, nem cenas que demoram uma vida inteira a desaparecer e que em nada contribuem para o bem-estar do planeta e consequentemente o nosso. Ainda assim, há muito para poder recolher.
A AAN – Associação Alma Naturista juntou-se ao grupo Ambialistas e ao Núcleo de Ambiente e Sustentabilidade da FCT/UNL para organizar uma nova acção de limpeza na praia da Adiça – Fonte da Telha.
É no Domingo dia 27 de Maio, das 09h30 às 12h30 e a lista de material para além da tua presença é:
– Roupas e calçado confortáveis – sempre!
– Chapéu – precisamos da tua ajuda, mas não queremos que fiques doente.
– Protector solar – parece careta, mas nunca e demais lembrar. Um escaldão não é giro.
– Água e snacks – olhem que quem não é bom para comer não é bom para trabalhar!
– Luvas de protecção – a organização tem algumas para disponibilizar mas poderão não ser suficientes!
Nós aqui trabalhamos para uma praia limpa.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Lixo na Praia

VAMOS APANHAR LIXO À FONTE? 21 JANEIRO. Por Catarina Laborinho

Vamos a isto

Sabemos que o título possa não ser o mais convidativo, mas a ação é sem sombra de dúvidas para todos nós. Quem é que gosta de estar na praia e ao lado encontrar lixo de quem lá passou ontem? Acho que ninguém. É verdade que nem todo o lixo é depositado ou esquecido na praia, muito dele vem do mar e foi “largado” pelo homem, ao todo são cerca 8 mil toneladas de lixo que entram todos os anos no nosso oceano.

Há uns anos, numa ação semelhante a esta, mas subaquática e em Sesimbra, eu e um grupo de amigos apanhámos meia tonelada de lixo apenas na zona da marina. Cheguei a apanhar uma panela de pressão, alguidares, pneus, botas, garrafas e numa zona delineada, imaginem… Antes de entrar na água fomos avisados que devíamos ter cuidado ao apanhar cabos, visto que os cavalos marinhos gostavam de viver entrelaçados. Curiosamente ao apanhar um cabo enorme, mexi nele com cuidado e claro, lá estava um. Foi a primeira vez que vi um cavalo marinho e no meio de uma visibilidade quase que nula deu para encher o coração. Valeu aquele mergulho, pelo momento marcante que foi e pelo meio ambiente.

A ação agora vai-se repetir mas por terra :)

Dia 21 de janeiro vamos limpar a nossa #FontedaTelha. O ponto de encontro é no Rampa Beach pelas 10.30. A organização (uma grupeta de amigos biólogos e engenheiros do ambiente) recomenda calçado confortável, chapéu e água. Os sacos eles fornecem. Já as luvas pedem para que cada um leve as suas e de preferência que não sejam de plástico.

evento

O evento foi criado no Facebook e está disponível aqui.
Não se esqueça que foram amigos que organizaram e vão ser amigos a convidar outros amigos. A “organização” não se responsabiliza por quaisquer danos ou acidentes pessoais que possam ocorrer no decorrer da ação.

Se as condições meteorológicas não permitirem passará para o domingo seguinte, 28 de Janeiro.

Um ambiente limpo depende de todos nós 🌎

Nós aqui queremos uma praia limpa
Nós aqui temos isto.

Texto: Catarina Laborinho
Foto: DR

Sabia que…
A imagem escolhida não foi por acaso, a imagem do patinho de borracha foi um navio de carga que em 1992 transportava este brinquedos para os Estados Unidos da América e devido a uma tempestade caíram ao mar, foram encontrados ao longo de todos os oceanos desde o polo norte e sul… infelizmente o plástico demora aproximadamente 450 anos a decompor-se… dá que pensar.

FonteTelha

FIM DE TARDE NA FONTE DA TELHA

gostamos 1

Hoje a minha mai’ nova faz anos e por isso passámos o dia juntinhas e a fazer muitas das suas vontades. Claro que ela decidiu ir à praia e escolheu a Fonte da Telha para o efeito. Sim, ela ainda é pequenita, mas sabe o que é bom!

Já fomos tarde que houve muita azáfama das 3 mulheres da casa, e que juntas já se sabe como é, mas a praia estava especial. Eu adoro setembro. É o meu mês, o da minha filha e cheio de recomeços bons, que me fazem ter uma fé imensa em coisas boas que aí vêm. E a praia traz-me essa convicção. Só (já) não escolho o mês para fazer férias, porque os dias já são mais curtos e as noites menos quentes. Mas, é isso que também torna o mês tão especial.

A Fonte da Telha hoje às 18h parecia um dia bom de Agosto, cheia de gente e de gaivotas. Quando vejo gaivotas, penso sempre no ditado: “gaivotas em terra, tempestade no mar” e com os furacões deixa-me um pouco inquieta. Mas depois olha-se para aquele pôr-do-sol e a sensação que fica é de grande tranquilidade, privilégio e de beleza. Tranquilidade que é interrompida pelo ruído ensurdecedor destas aves que parece que falam para nós. Que eco! Fico grata por ter disto tão perto de casa e, peço, a todos os que estão a ser devastados pelas alarvidades da natureza como os “Irma”, “Kátia” e o “José”, para terem força, coragem e dias melhores. Bem melhores.

Nós aqui tivemos um dia bom. E pedimos mais destes. Para nós e para todos.

Nós aqui temos a Fonte da Telha.
Nós aqui temos isto.

Texto e foto: Marlene Gaspar

JipeLagoa

DA FONTE DA TELHA À LAGOA DE ALBUFEIRA

gostamos

Este domingo foi passado no paraíso. No sábado fomos desafiados cá em casa para irmos passar o dia à Lagoa de Albufeira de forma acessível aos “ajipalhados”, que é como diz, partir da Fonte da Telha pela Apostiça até à Lagoa de Albufeira. Ora este percurso só pode ser transitado (se tiveres amor ao corpinho e à viatura) num jipe e tendo em conta que não dispomos desse meio de transporte próprio, foi com muita alegria e gratidão que nos juntamos à grupeta como penduras para desfrutar desta aventura.

Foi altamente! Há muitos anos atrás descobri este percurso após estar numa fila do Meco com o meu “partner do crime”, a.k.a. Ruca, quando ele se decidiu lançar de forma aventureira com um carro claramente não qualificado para aquele percurso e onde o meu coração ia literalmente aos saltos, não só pela irregularidade do terreno, mas também e principalmente pelos nervos e ansiedade do desconhecido. Ah, e pelo meu lado mais pessimista de que aquela ideia ia correr mal. Felizmente os meus receios não tiveram razão de ser, papamos a fila, o Ruca fez um brilharete e eu fiquei altamente impressionada com o seu brilhantismo. Não querendo abusar da sorte e porque o trajeto já não o permite, não voltamos a repetir a experiência. Até ontem…

FontedaTelhaJipe

Os “ajipalhados”

O percurso não é para todos. Mesmo com o “material” adequado, é preciso ter mãozinhas para não se ficar atascado e, como fomos com os melhores, foi uma verdadeira e emocionante aventura. As miúdas (as pequenas e a moi même) estávamos numa excitação total, mas o melhor foi chegar ao destino e depararmo-nos com aquele cenário idílico. A Lagoa de Albufeira é linda, mas estar do outro lado da margem, onde só “meia dúzia” ali pára é outro encanto. É uma paz só conseguida pela privacidade que aquele acesso proporciona. A criançada estava maluca. Ainda houve tempo para jogarem “à pelota”, onde conseguiram estar horas sem acertarem com a bola em alguém que não estivesse a jogar. E porquê? Não porque eram azelhas, mas porque não havia ninguém para incomodar. Não é extraordinário?

LagoaAlbufei

Jogar à bola

Mas o melhor ainda estava para vir, subir a duna e olhar de cima para aquele cenário impressionante. É uma vista de cortar a respiração. E a seguir rebolar e cair até à água que nos causa uma sensação de liberdade ímpar.

LagoaAlbufeira

Vista periférica

Quem vai para o mar avia-se em terra, e por isso o almocinho foi preparado ao pormenor e nada faltou – desde o gelado à Bola de Berlim. Porque quem sabe, sabe e as famílias Tomás e Pascoal é que sabem.

LagoaAlb

Manjar dos deuses

E o que mais se pode pedir de um dia passado em família e com amigos num paraíso assim? Saúde e mais dias iguais a estes. That’s it!

Nós aqui temos a Fonte da Telha e a Lagoa de Albufeira.

Nós aqui temos isto.
Texto e fotos: Marlene Gaspar

colonia agua

QUANDO IR À ESCOLA É IR À PRAIA…

gostamos 1

Está aberta a época balnear das escolas na praia. Isto é que ver resmas de autocarros a caminho das praias e nos parques de estacionamento durante as semanas. E aqui em casa já vamos na segunda semana de excitação com a ida à praia com a escola:

– Mãe, hoje dei mergulhos com os meus amigos!

– Mãe, hoje fiz castelos na areia com os meus amigos.

– Mãe, quero levar o fato de banho com os ananases.

Em resumo, quando ir à escola é fazer praia com os amigos, há mais do que argumentos para não se querer faltar.

A alegria da ir praia é algo que não depende da companhia, mas as idas à praia em colónias têm um sabor muito especial. E nós aqui, temos a felicidade de teres melhores praias para esse efeito (e outros tantos que nem preciso enunciar). Eu ainda recordo as minhas férias com muito saudade, passadas aqui, como também já estão carecas de ouvir.

Mas, voltando às colónias de férias, recordamos aqui, os cuidados a ter e que nunca são demais relembrar.

Boa praia. Boas férias.

Nós aqui temos colónias de férias.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

FontedaTelha2

UM FENÓMENO CHAMADO FONTE DA TELHA. #2

gostamos 1

O fim-de-semana passado lançou-se com temperaturas dignas de verão e para quem gosta do verão, nada como se lançar à pista e aproveitar o que ele tem de melhor. E para mim o melhor é sem dúvida a praia. A praia é a minha praia e há que aproveitá-la como se não houvesse amanhã. Sim, porque não sabemos como é o amanhã e tão depressa o sol está, como não. Já que não podemos controlar este estado temperamental do tempo, vamos desfrutar dele enquanto ele está bom.

Dizem as boas regras de SEO que devemos fazer backlinks que trocado por miúdos é remetermos para outros posts que já tenhamos feito referentes a temáticas semelhantes e assim, sem fazer contas, atrevo-me a dizer que os que escrevi sobre a praia devem ser tipo o Ronaldo, estão aqui para bater recordes. Ora espreitem este, este, este, este, este, este, este e mais este. E, não estão cá todos, que também não vos quero desgastar. Assim, como assim, o SEO deve estar muito contente comigo. Mas voltemos à praia que é sempre um bom motivo para se falar, ou escrever, ou pensar, ou melhor ainda – desfrutar.

E foi isso que fiz. Escolhi mais uma vez a Fonte da Telha. Muito já se disse sobre a Fonte da Telha, muito há ainda por dizer. Aventurei-me e apanhei o shuttle aqui em casa e segui sozinha, que é como quem diz, subi na bicicleta e pedalei até lá. Não foi bem, bem até lá. Mas foi muito perto. Deixei a bike cá em cima junto à GNR a ver as vistas, mas bem acompanhada. Sim, porque para baixo todos os santos ajudam, mas para cima não os encontramos.

FonteTelha

O Shuttle e eu

Tinha curiosidade e desci as escadinhas que nos levam até à praia. Não me cruzei com ninguém neste “treino que batizei de step”, para soar mais chique que subir e descer degraus com bafos de fora. Não sei se foram os 210 degraus, mais coisa menos coisa, mas não vi viv’alma até chegar à vila. Nunca tinha entrado na praia pela zona de moradores de pescadores e encontrei verdadeiros fenómenos, do já fenómeno que é esta praia.

Encontrei o Ronaldo a chorar (devia estar a pensar nas estátuas), não podia ser pelo dia de ontem! Pois ontem foi dia de celebração, celebração de mais um record inegualável! Já estou a imaginá-lo a dizer – dêem-me ruas, aeroportos, recordes, bolas de ouro, miúdas giras e campeonatos, mas não me ergam estátuas, senhores. Não façam mais isso que eu já não quero brincar às estátuas!). Mas o Cristiano não é o único herói da praia. Não senhor. Temos também o Batman. Sim, também entre a Gotham City e a Fonte da Telha, é fácil perceber a escolha. Ele sabe que aqui é que é bom. Deixa lá a cidade das Trevas que a margem sul é que é. A Rainha dos Mares também lá estava e percebi que aqui os barcos se “atracam à porta”. Uma manhã ou tarde na Fonte da Telha, torna-se uma verdadeira descoberta destas novidades, que aos anos que vou aquela praia e nunca me tinha apercebido dos que vos trago aqui hoje. Quem é que revela coisas boas, quem é?

– Je suis! Modéstia à parte.

FontedaTelha

Fenómenos da Fonte da Telha

Não fui à procura destes achados, mas foi bom encontrá-los. É a magia da praia, que para além da boa energia que a praia nos dá, como já aqui contou a nossa Rita Deus (e pimba, mais um backlink a contar para o SEO), dá-nos um penteado todo esfrangalhado e uma corzinha que respira saúde. Ainda não estamos no ponto, mas havemos de chegar. E com este sol, mais depressa do que previ.

Posto isto, nada como vos convidar para virem à praia, mas não precisam de vir todos ao mesmo tempo, porque se para evitar filas tenho de vir de bicicleta, vou ficar toda partida, porque meus amigos, foi bom, mas foi a doer (ainda está, um bocadinho). Fiz dois dias seguidos o percurso de bicla e no último dia, tive que chamar o “carro vassoura”, para me levar a mim e ao Shuttle até casa!

Obrigada Fonte da Telha. É um prazer conhecer-te e, como já percebeste, não demoro a voltar. E não sou a única.

Nós aqui temos a Fonte da Telha.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotografias: Lisbon South Bay blog

Surf Pro SurfSchool

NÓS AQUI FOMOS SURFAR, OU TENTAR

gostamos

Quem vive deste lado sabe que consegue fazer outras atividades outdoor do que quem vive na outra margem, sim porque para nós, a outra margem é Lisboa para cima.
Nós aqui conseguimos fazer caminhadas, passeios de bicicleta e até mesmo ver e viver o mar, e foi isso que fui fazer.

Apaixonada pelo Mar desde que me lembro, o surf foi um bichinho que nasceu quando a visibilidade lá em baixo não me permitia ir mergulhar (outra das minhas grandes paixões).
Conversa puxa conversa, amigo trás amigo e conheci o Rui, o dono da Surf Pro SurfSchool, uma escola recente aqui na nossa South Bay e lá fui eu.

O ponto de encontro foi marcado na véspera, a Praia do Norte na Costa da Caparica foi o local escolhido para a aula deste dia. Depois de um pequeno briefing tivemos um mega aquecimento. Essencial para esta prática desportiva, já que vamos “mexer” músculos que nem sabemos que existem :)

O dia estava MARAVILHOSO e permitiu que o divertimento conjugado com toda uma disciplina fossem os ingredientes necessários para um dia em cheio.

2 horas depois saí da praia, molhada, cheia de areia e claro cheia de fome, mas radiante pela diversão e certa que irei repeti sempre que se proporcionar.

Surf Pro SurfSchool | Praia do Norte Costa da Caparica

Surf Pro SurfSchool | Praia do Norte Costa da Caparica

Obrigada Rui, #nosAquiAdorámos
Nós aqui aprendemos a surfar.
Nós aqui temos isto.

 

Surf Pro SurfSchool

Contactos
surfprosurfschool@gmail.com
TEL.: 939 219 023

1420840749_facebook-512 1427390732_Instagram-512

Texto: Catarina
Fotografia: Ana Marques Francisco
Filme: Surf Pro SurfSchool – Costa da Caparica