Artigos

FonteTelha

FIM DE TARDE NA FONTE DA TELHA

gostamos 1

Hoje a minha mai’ nova faz anos e por isso passámos o dia juntinhas e a fazer muitas das suas vontades. Claro que ela decidiu ir à praia e escolheu a Fonte da Telha para o efeito. Sim, ela ainda é pequenita, mas sabe o que é bom!

Já fomos tarde que houve muita azáfama das 3 mulheres da casa, e que juntas já se sabe como é, mas a praia estava especial. Eu adoro setembro. É o meu mês, o da minha filha e cheio de recomeços bons, que me fazem ter uma fé imensa em coisas boas que aí vêm. E a praia traz-me essa convicção. Só (já) não escolho o mês para fazer férias, porque os dias já são mais curtos e as noites menos quentes. Mas, é isso que também torna o mês tão especial.

A Fonte da Telha hoje às 18h parecia um dia bom de Agosto, cheia de gente e de gaivotas. Quando vejo gaivotas, penso sempre no ditado: “gaivotas em terra, tempestade no mar” e com os furacões deixa-me um pouco inquieta. Mas depois olha-se para aquele pôr-do-sol e a sensação que fica é de grande tranquilidade, privilégio e de beleza. Tranquilidade que é interrompida pelo ruído ensurdecedor destas aves que parece que falam para nós. Que eco! Fico grata por ter disto tão perto de casa e, peço, a todos os que estão a ser devastados pelas alarvidades da natureza como os “Irma”, “Kátia” e o “José”, para terem força, coragem e dias melhores. Bem melhores.

Nós aqui tivemos um dia bom. E pedimos mais destes. Para nós e para todos.

Nós aqui temos a Fonte da Telha.
Nós aqui temos isto.

Texto e foto: Marlene Gaspar

JipeLagoa

DA FONTE DA TELHA À LAGOA DE ALBUFEIRA

gostamos

Este domingo foi passado no paraíso. No sábado fomos desafiados cá em casa para irmos passar o dia à Lagoa de Albufeira de forma acessível aos “ajipalhados”, que é como diz, partir da Fonte da Telha pela Apostiça até à Lagoa de Albufeira. Ora este percurso só pode ser transitado (se tiveres amor ao corpinho e à viatura) num jipe e tendo em conta que não dispomos desse meio de transporte próprio, foi com muita alegria e gratidão que nos juntamos à grupeta como penduras para desfrutar desta aventura.

Foi altamente! Há muitos anos atrás descobri este percurso após estar numa fila do Meco com o meu “partner do crime”, a.k.a. Ruca, quando ele se decidiu lançar de forma aventureira com um carro claramente não qualificado para aquele percurso e onde o meu coração ia literalmente aos saltos, não só pela irregularidade do terreno, mas também e principalmente pelos nervos e ansiedade do desconhecido. Ah, e pelo meu lado mais pessimista de que aquela ideia ia correr mal. Felizmente os meus receios não tiveram razão de ser, papamos a fila, o Ruca fez um brilharete e eu fiquei altamente impressionada com o seu brilhantismo. Não querendo abusar da sorte e porque o trajeto já não o permite, não voltamos a repetir a experiência. Até ontem…

FontedaTelhaJipe

Os “ajipalhados”

O percurso não é para todos. Mesmo com o “material” adequado, é preciso ter mãozinhas para não se ficar atascado e, como fomos com os melhores, foi uma verdadeira e emocionante aventura. As miúdas (as pequenas e a moi même) estávamos numa excitação total, mas o melhor foi chegar ao destino e depararmo-nos com aquele cenário idílico. A Lagoa de Albufeira é linda, mas estar do outro lado da margem, onde só “meia dúzia” ali pára é outro encanto. É uma paz só conseguida pela privacidade que aquele acesso proporciona. A criançada estava maluca. Ainda houve tempo para jogarem “à pelota”, onde conseguiram estar horas sem acertarem com a bola em alguém que não estivesse a jogar. E porquê? Não porque eram azelhas, mas porque não havia ninguém para incomodar. Não é extraordinário?

LagoaAlbufei

Jogar à bola

Mas o melhor ainda estava para vir, subir a duna e olhar de cima para aquele cenário impressionante. É uma vista de cortar a respiração. E a seguir rebolar e cair até à água que nos causa uma sensação de liberdade ímpar.

LagoaAlbufeira

Vista periférica

Quem vai para o mar avia-se em terra, e por isso o almocinho foi preparado ao pormenor e nada faltou – desde o gelado à Bola de Berlim. Porque quem sabe, sabe e as famílias Tomás e Pascoal é que sabem.

LagoaAlb

Manjar dos deuses

E o que mais se pode pedir de um dia passado em família e com amigos num paraíso assim? Saúde e mais dias iguais a estes. That’s it!

Nós aqui temos a Fonte da Telha e a Lagoa de Albufeira.

Nós aqui temos isto.
Texto e fotos: Marlene Gaspar

colonia agua

QUANDO IR À ESCOLA É IR À PRAIA…

gostamos 1

Está aberta a época balnear das escolas na praia. Isto é que ver resmas de autocarros a caminho das praias e nos parques de estacionamento durante as semanas. E aqui em casa já vamos na segunda semana de excitação com a ida à praia com a escola:

– Mãe, hoje dei mergulhos com os meus amigos!

– Mãe, hoje fiz castelos na areia com os meus amigos.

– Mãe, quero levar o fato de banho com os ananases.

Em resumo, quando ir à escola é fazer praia com os amigos, há mais do que argumentos para não se querer faltar.

A alegria da ir praia é algo que não depende da companhia, mas as idas à praia em colónias têm um sabor muito especial. E nós aqui, temos a felicidade de teres melhores praias para esse efeito (e outros tantos que nem preciso enunciar). Eu ainda recordo as minhas férias com muito saudade, passadas aqui, como também já estão carecas de ouvir.

Mas, voltando às colónias de férias, recordamos aqui, os cuidados a ter e que nunca são demais relembrar.

Boa praia. Boas férias.

Nós aqui temos colónias de férias.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar

FontedaTelha2

UM FENÓMENO CHAMADO FONTE DA TELHA. #2

gostamos 1

O fim-de-semana passado lançou-se com temperaturas dignas de verão e para quem gosta do verão, nada como se lançar à pista e aproveitar o que ele tem de melhor. E para mim o melhor é sem dúvida a praia. A praia é a minha praia e há que aproveitá-la como se não houvesse amanhã. Sim, porque não sabemos como é o amanhã e tão depressa o sol está, como não. Já que não podemos controlar este estado temperamental do tempo, vamos desfrutar dele enquanto ele está bom.

Dizem as boas regras de SEO que devemos fazer backlinks que trocado por miúdos é remetermos para outros posts que já tenhamos feito referentes a temáticas semelhantes e assim, sem fazer contas, atrevo-me a dizer que os que escrevi sobre a praia devem ser tipo o Ronaldo, estão aqui para bater recordes. Ora espreitem este, este, este, este, este, este, este e mais este. E, não estão cá todos, que também não vos quero desgastar. Assim, como assim, o SEO deve estar muito contente comigo. Mas voltemos à praia que é sempre um bom motivo para se falar, ou escrever, ou pensar, ou melhor ainda – desfrutar.

E foi isso que fiz. Escolhi mais uma vez a Fonte da Telha. Muito já se disse sobre a Fonte da Telha, muito há ainda por dizer. Aventurei-me e apanhei o shuttle aqui em casa e segui sozinha, que é como quem diz, subi na bicicleta e pedalei até lá. Não foi bem, bem até lá. Mas foi muito perto. Deixei a bike cá em cima junto à GNR a ver as vistas, mas bem acompanhada. Sim, porque para baixo todos os santos ajudam, mas para cima não os encontramos.

FonteTelha

O Shuttle e eu

Tinha curiosidade e desci as escadinhas que nos levam até à praia. Não me cruzei com ninguém neste “treino que batizei de step”, para soar mais chique que subir e descer degraus com bafos de fora. Não sei se foram os 210 degraus, mais coisa menos coisa, mas não vi viv’alma até chegar à vila. Nunca tinha entrado na praia pela zona de moradores de pescadores e encontrei verdadeiros fenómenos, do já fenómeno que é esta praia.

Encontrei o Ronaldo a chorar (devia estar a pensar nas estátuas), não podia ser pelo dia de ontem! Pois ontem foi dia de celebração, celebração de mais um record inegualável! Já estou a imaginá-lo a dizer – dêem-me ruas, aeroportos, recordes, bolas de ouro, miúdas giras e campeonatos, mas não me ergam estátuas, senhores. Não façam mais isso que eu já não quero brincar às estátuas!). Mas o Cristiano não é o único herói da praia. Não senhor. Temos também o Batman. Sim, também entre a Gotham City e a Fonte da Telha, é fácil perceber a escolha. Ele sabe que aqui é que é bom. Deixa lá a cidade das Trevas que a margem sul é que é. A Rainha dos Mares também lá estava e percebi que aqui os barcos se “atracam à porta”. Uma manhã ou tarde na Fonte da Telha, torna-se uma verdadeira descoberta destas novidades, que aos anos que vou aquela praia e nunca me tinha apercebido dos que vos trago aqui hoje. Quem é que revela coisas boas, quem é?

– Je suis! Modéstia à parte.

FontedaTelha

Fenómenos da Fonte da Telha

Não fui à procura destes achados, mas foi bom encontrá-los. É a magia da praia, que para além da boa energia que a praia nos dá, como já aqui contou a nossa Rita Deus (e pimba, mais um backlink a contar para o SEO), dá-nos um penteado todo esfrangalhado e uma corzinha que respira saúde. Ainda não estamos no ponto, mas havemos de chegar. E com este sol, mais depressa do que previ.

Posto isto, nada como vos convidar para virem à praia, mas não precisam de vir todos ao mesmo tempo, porque se para evitar filas tenho de vir de bicicleta, vou ficar toda partida, porque meus amigos, foi bom, mas foi a doer (ainda está, um bocadinho). Fiz dois dias seguidos o percurso de bicla e no último dia, tive que chamar o “carro vassoura”, para me levar a mim e ao Shuttle até casa!

Obrigada Fonte da Telha. É um prazer conhecer-te e, como já percebeste, não demoro a voltar. E não sou a única.

Nós aqui temos a Fonte da Telha.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotografias: Lisbon South Bay blog

Surf Pro SurfSchool

NÓS AQUI FOMOS SURFAR, OU TENTAR

gostamos

Quem vive deste lado sabe que consegue fazer outras atividades outdoor do que quem vive na outra margem, sim porque para nós, a outra margem é Lisboa para cima.
Nós aqui conseguimos fazer caminhadas, passeios de bicicleta e até mesmo ver e viver o mar, e foi isso que fui fazer.

Apaixonada pelo Mar desde que me lembro, o surf foi um bichinho que nasceu quando a visibilidade lá em baixo não me permitia ir mergulhar (outra das minhas grandes paixões).
Conversa puxa conversa, amigo trás amigo e conheci o Rui, o dono da Surf Pro SurfSchool, uma escola recente aqui na nossa South Bay e lá fui eu.

O ponto de encontro foi marcado na véspera, a Praia do Norte na Costa da Caparica foi o local escolhido para a aula deste dia. Depois de um pequeno briefing tivemos um mega aquecimento. Essencial para esta prática desportiva, já que vamos “mexer” músculos que nem sabemos que existem :)

O dia estava MARAVILHOSO e permitiu que o divertimento conjugado com toda uma disciplina fossem os ingredientes necessários para um dia em cheio.

2 horas depois saí da praia, molhada, cheia de areia e claro cheia de fome, mas radiante pela diversão e certa que irei repeti sempre que se proporcionar.

Surf Pro SurfSchool | Praia do Norte Costa da Caparica

Surf Pro SurfSchool | Praia do Norte Costa da Caparica

Obrigada Rui, #nosAquiAdorámos
Nós aqui aprendemos a surfar.
Nós aqui temos isto.

 

Surf Pro SurfSchool

Contactos
surfprosurfschool@gmail.com
TEL.: 939 219 023

1420840749_facebook-512 1427390732_Instagram-512

Texto: Catarina
Fotografia: Ana Marques Francisco
Filme: Surf Pro SurfSchool – Costa da Caparica

 

 

 

Praia

AS PESSOAS QUE AMAM A PRAIA SÃO MAIS FELIZES.

gostamos 1

A ciência confirma, pessoas que amam a praia, aproveitam mais a vida e são mais felizes e quem somos nós para contrariar a ciência?

E ainda bem que assim é, pois nós aqui, sem nenhuma base científica que o comprove, assinamos por baixo. Não é à toa que a maioria das pessoas passa grande parte das suas férias – momentos de fazer o bem se quer e apetece, por isso somos gratas por poder ver o mar, sentir o seu cheiro, a maresia e ter a praia a abraçar a zona onde vivemos. É realmente um privilégio. É que nós aqui somos amantes de praia, mesmo.

Dizem os estudos que estar perto de uma fonte e/ou o ambiente mais natural faz-nos sentir melhor do que estar cercado de prédios ou estradas. Existem mais benefícios em viver junto ao mar, especialmente para a saúde emocional.

De alguma forma, estamos programados para reagir positivamente a ambientes limpos que nos fazem sentir mais conectados com a natureza. E a praia tem um toque, uma energia especial, algo que faz com que o nosso cérebro se sinta imediatamente mais relaxado ao ver o mar e a areia.

amantes de praia

O mar é para nós uma energia inspiradora e que muitas vezes só de olhar já nos transmite felicidade. Por isso, defendem também os entendidos que a sua paisagem única serve como um estímulo físico terapêutico e psicológico, é por isso que muitos centros de tratamento para certos tipos de doenças recomendam procurar lugares como a praia para morar. Até agora nunca pensámos nisso como algo terapêutico, mas a verdade é que a sensação de bem estar é sentida só por estar perto.

É provado também que a mistura do ar do mar com o som das ondas, provoca um relaxamento e que ajuda a dormir melhor e aumenta a sua criatividade.

Nós aqui, achamos que esta teoria bate certo e agradecemos ter o mar aqui tão perto. Costa de Caparica, Fonte da Telha, Arrábida, Sesimbra, Tróia ou Comporta. We love you all. Concordam?

Nós aqui amamos a praia.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Fotografia: Lisbon South Bay blog

Fonte: supertela.net

Foto Tiago Petinga

BANHISTAS ENCONTRAM NA MARGEM SUL DO TEJO O SEU ALGARVE

gostamos 1

Foi com muito agrado que lemos o artigo do #Observador que aqui partilhamos sobre as nossas praias do estuário do Tejo. Logo no início até parecia uma coisa nossa, ou não entrasse logo com um “Nós aqui”… Ora leiam.

Nós aqui consideramos mesmo o nosso Algarve. Isto é lindo, lindo de verão”, diz uma moradora no Seixal. Quem não pode ir mais para sul, fica na margem.

Os acessos, a tranquilidade e a paisagem das praias do estuário do Tejo na margem sul atraem cada vez mais banhistas que, em vez de rumarem ao sul do país, aqui se fixam, considerando este o seu Algarve.

“Nós aqui consideramos mesmo o nosso Algarve. Isto é lindo, lindo de verão”, comenta Susete Ribeiro, que há 28 anos gere um bar na praia da Ponta dos Corvos, no concelho do Seixal, distrito de Setúbal.

Foto Tiago Petinga

Além de concessionária, Susete frequenta a praia desde que nasceu, há 62 anos, tendo assistido ao acréscimo da procura: “Neste verão então, muitos estrangeiros têm vindo aqui. As pessoas adoram”.

Mesmo que estas praias estuarinas ainda não estejam classificadas como aptas para banhos, isso não impede os veraneantes de as frequentarem.

Natural do Feijó (Almada), Maria dos Anjos, de 70 anos, vai à praia da Ponta dos Corvos há mais de 20 anos e já passou a tradição aos filhos e netos.

“Gosto desta praia porque esta é uma praia lindíssima. É melhor que a Costa da Caparica. A gente gosta muito de vir para aqui porque é muito sossegadinha, é uma família. Sinto-me muito bem”, conta à agência Lusa.

Amiga de Susete há anos, Maria dos Anjos partilha da ideia de que este é o seu Algarve: “Ao sábado e ao domingo, isto parece Vilamoura, porque é tanto barco bonito aqui a passar”.

Apesar de viver perto, recusa que aqui se desloquem apenas pessoas da zona com fracos recursos económicos: “Nota-se que vem mais gente sem ser aqui de perto, vem gente de mais longe. Se você vier aqui ao sábado e ao domingo, vê aqui nesta estrada brutas bombas, de gente que vem para aqui que é gente que não é assim pé rapado”.

Localizada no concelho da Moita, a praia do Rosário é outra das eleitas pelos banhistas.

É o caso de Filomena Sá, residente no Barreiro, que diz à Lusa gostar “de tudo” nesta praia.

“Gosto da comodidade de ter o carro perto, da relva – que não sou muito amiga de pisar a areia -, é calmo, tenho pronto-socorro, tenha a biblioteca se quiser ler, tenho o café se quiser tomar alguma coisa e tenho o restaurante se quiser comer”, enumera.

A banhista, que complementa sempre as férias no Algarve com idas à praia do Rosário, vê esta como uma alternativa às outras praias em agosto, que ficam mais cheias: “Não tenho de sair cedo de casa nem vir a correr”.

Numa praia mais lado, Maria de Fátima Neves está a aproveitar o sol, acompanhada pelo marido.

O casal, emigrado na Alemanha há 45 anos, volta sempre à praia dos Moinhos, em Alcochete, quando vem passar férias a Portugal.

“É muito sossegada, acho isto bom. Muito sossegadinho aqui. É melhor do que estar no mar e levar com bolas aqui e com bolas ali. E é limpinha também”, destaca.

Segundo Maria de Fátima Neves, agora “vem muita gente” para esta praia, enquanto “antigamente era só meia dúzia”.

Para a melhoria das condições, contribuiu o esforço dos municípios do Seixal, Moita e Alcochete no tratamento das águas e na melhoria das infraestruturas de apoio às praias.

O objetivo é que estas venham a ser consideradas zonas balneares, aptas para banhos.

A praia da Ponta dos Corvos chegou a ser classificada, em 2013, boa para a prática balnear, mas perdeu a atribuição no início deste ano porque “ainda [se encontram] em fase de resolução alguns focos pontuais de poluição que induzem variações na qualidade microbiológica da água”, explicou a Agência Portuguesa do Ambiente (APA), em resposta escrita enviada à Lusa.

“No que respeita a outros locais do estuário do Tejo – como sejam praia do Rosário ou Samouco [Alcochete] -, onde se pratica a prática de banhos mas que não estão identificados como águas balneares, tem sido efetuada monitorização da qualidade da água por parte de outras entidades, nomeadamente serviços de Saúde Regional e autarquias”, adianta a APA, referindo que cabe aos municípios “propor a identificação de uma água balnear, sempre que exista apetência para o banho”.

Texto: Ana Matos Neves
Foto: Tiago Petinga
Fonte: Observador

Um bem-haja à equipa do Observador por este artigo.

Nós aqui temos boas praias do estuário do Tejo.
Nós aqui temos isto.

Praia

AS FÉRIAS, A PRAIA E OS MIÚDOS!

Helena

É oficial…este fim de semana começam as férias de 89% dos portugueses e invariavelmente o destino contempla sempre umas belas temporadas na praia. Ou não tivéssemos as melhores praias do mundo, nomeadamente as magníficas praias da nossa Lisbon Souh Bay.

Quem tem filhos pequenos conhece um novo conceito de praia, nunca antes imaginado. Aqueles tempos de perfeita descontração e dedicação para adquirir o bronze perfeito, são rapidamente substituídos por consecutivas questões, como por exemplo, onde estava eu com a cabeça quando adquiri este biquíni que parece ter vida própria e não pára quieto; porque será que contínuo a pôr óleo bronzeador quando isto só me transforma numa versão humana de croquete e por fim, o que me deu para vir para esta praia super na moda e cheia de gente e onde provavelmente tenho mais 80% de hipóteses de perder os meus filhos e ser vista a fazer tristes figuras…

Pois é, longe vão os tempos em que depois de passar uma meia hora a jogar raquetes cheia de estilo, sem deixar a bola cair, dava um mergulho refrescante deitava-me na toalha impecavelmente sem areia, conseguia ler (aquele livro de Verão) e por fim, fazia a maravilhosa soneca de praia.

Na versão mãe de filhos pequenos, jogo às raquetes com eles, apanho mil vezes a bola e corro bastante mais para apanhar todas as bolas que vão no sentido oposto, dou um mergulho e outro e outro e nunca mais consigo sair da água, sacudo a toalha e quando me deito nela está totalmente cheia de areia, se assim não for, nos próximos 10 minutos é garantido que assim seja e por fim tento desesperadamente entretê-los à sombra e com sorte pode ser que adormecem um bocadinho.

Apesar de tudo isto, ir à praia com filhos pequeno é sem dúvida uma experiência inesquecível, onde rapidamente vamos percebendo como este ambiente os faz crescer.

Deixo-vos algumas sugestões para que possam usufruir de melhor forma as vossas crianças na praia.

1. Não se esqueça da bolsa térmica
Muita água fresca para ir bebendo e alimentos novos e frescos. Esta é uma boa altura para experimentar novos alimentos, fruta fresco, legumes (cenouras, tomates) e porque não um ovo cozido… O ar da praia dá-lhes uma fome extra e comem qualquer coisa.

comer na praia

2. Lençol de elásticos para as brincadeiras na areia
Com um lençol de elásticos consegue-se criar uma zona de brincadeira quase sem areia. Basta estender o lençol  e colocar objetos maiores nos quatro canto, como mochilas, a mala térmica, permitindo assim que o elástico suba um pouco e se crie um parque de brincadeiras devidamente delimitado. Deste modo, o seu bebé terá menos tendência para se dispersar pelo areal e comer areia.

3. Jogos na areia
Esta é sempre uma tarefa complicada, entretê-los na sombra quando é preciso, mas podemos aproveitar os tesouros encontrados à beira mar para fazer novas construções com as pedrinhas ou conchas. Leve um conjunto de canetas e pintem as pedras e as conchas, dá um tempo de entretenimento e ainda ficam com uma recordação para levar para casa.

Na areia molhada façam os perfis de cada um e depois preenchem-no da maneira mais disparatada. Tentem imitar animais.

Os clássicos  castelos de areia, buracos enormes até  que surja água, piscinas oceânicas e barreiras para não deixar a água passar, são garantidamente as brincadeiras que proporcionam maior tempo de entretenimento.

Castelos areia

4. Arranje companhia
Amigos com filhos da mesma idade ou fazer amizades na praia são formas de fazer os miúdos e felizes e mais entretidos.

5. Pó de talco na praia?
No outro dia observei esta prática e nem queria acreditar. Como é que ninguém me disse antes, agora já é tarde demais, tenho filhos adolescentes que fazem questão de levar sempre meia praia consigo. Mas eu partilho, para que vos seja útil com os mais pequeninos, um frasco de pó talco, polvilha os pezinhos dos garotos e já está, a areia sai muito mais facilmente sem choros e irritações.

areia nos pes

6. Muita cautela com o Sol
Escolha bem as horas para ir à praia, o Sol está cada vez mais perigosos, evite as horas de maior calor e nunca esqueça a proteção, loção protetora após cada banho, de preferência o mais elevado possível. Para os mais pequenos existem umas boas opções, licras com proteção U.V., com as quais eles podem continuar a brincar mais à vontade.  Vale bem a pena pela nossa saúde, já lá vão os tempos de inconsciência em que esturricávamos ao sol, alguns até se besuntavam em óleo jonhson  e coca-cola para obter o bronzeado perfeito rapidamente, que inconsciência!

Protetor solar

7. Aproveite e divirta-se muito!
Divirta-se mesmo, passa num instante, quase sem darmos por isso.  Mergulhe nas piscinas feitas por si, coma bolinhos de areia e ria, ria muito!

Registe alguns momentos na câmara fotográfica e na sua memória. Esqueça-se do telemóvel, vá para locais sem rede (eles existem e são divinais), foque-se na sua família e cresçam em conjunto.

crianças-na-praia-1

Boas férias para quem parte este fim de semana e para quem fica, como eu, aproveitem os dias longos, ainda dá para dar um saltinho à praia ao final do dia enquanto esperamos pelas férias!

Até lá, sejam mesmo Muito Felizes!
Helena Gonçalves Rocha

Nós aqui educamos para isto.
Nós aqui temos isto!

Contactos
helenagoncalvesrocha@gmail.com
Miúdos e Graúdos, Clínica Médica
Av. Pinhal da Aroeira, Lt 562
Aroeira Shopping area Lj 18
Herdade da Aroeira
2820-566 Charneca da Caparica
TEL.: 212 977 481

1420840749_facebook-512

Fotografias: D.R.

ZARA

MARGEM SUL É TERRA DE PRAIA. OH YEAH.

METEMO-NOS

Um dos grandes cartões de visita da Lisbon South Bay é sem dúvida a praia. Nós aqui, temos praias com tudo o que se tem direito: bom tempo – venha ele; bom areal; bom mar – podia ser mais quente, podia, mas não era a mesma coisa; boas vistas – a todos os níveis, se é que nos entendem; boas esplanadas e bons restaurantes. É tudo isto e muito mais que nos atrai à nossa costa. #Fonte da Telha, #Costa da Caparica #S. João da Caparica, you name it!

O bom tempo que se fez sentir foi sol de pouca dura, por isso o que está para chegar tem de ser aproveitado até ao último raio e saborear a praia como se não houvesse amanhã. E, aqui entra um misto de gratidão pelo bom tempo e o pânico da exposição num minúsculo fato de banho ou biquíni!

O início do veraneio não deixa de ter este senão – o primeiro impacto de um corpito depois de um longo inverno ao ver-se destapado! Não quisemos entrar em “modo drama”, não é a “nossa praia”. Fomos ao Almada Forum com a missão de encontrar soluções de praia. Missão cumprida, fomos bem sucedidas. Logo, “não nos levem a sério, levem-nos a fazer compras.”!

Há uns anos a esta parte andamos mais “viradas” para os fatos de banho e são a melhor escolha para a piscina. São cada vez mais elegantes e acabam por ser muito versáteis e confortáveis. Não bronzeia a barriga, não, mas para isso usamos os biquinis. A Andreia da Calzedonia do Almada Forum, a quem desde já agradecemos a paciência e disponibilidade, entendeu logo a questão e apresentou uma “mão cheia de boas opções”. Ora vejam.

Fato de Banho

Seduzida pelo fatos de banho, ainda tive uma paixão à primeira vista por um biquíni que “me piscou o olho” assim que entrei na loja e me sussurrou que ia ser meu! É difícil contrariar olhares tão confiantes e decididos. Adoptei a postura de fácil – “se assim queres, assim será.” Para ajudar na argumentação, o “pequeno” tem uma toalha a “fazer pendent”. E, ainda por cima, é de secagem rápida, repele a areia e, ainda, tem uma “pochete” para ser arrumada. A loja tem uma campanha de reciclagem de biquínis. Entregamos um que já não usamos e temos um desconto até €5 na compra de um novo. Bom para o ambiente e para a carteira.

Achavam que era uma escolha meramente impulsiva? Não, connosco há sempre uma justificação racional (e se não há, criamos)!

Biquini

A Ericeira Surf Shop também foi uma paragem obrigatória. A Daniela que nos recebeu adiantou que estão a receber imensas novidades, mas já há muitas para “encher o olho”. Apaixonei-me por um biquíni Banana Moon. Tem uma mistura improvável de padrões que resulta na perfeição e muita cor, muito salero e um corte impecável. Claro que tive de espreitar as “griffes de praia”. Problema. Gostamos de tudo! Da túnica sofisticada ao calção e t-shirt básico. Oh!

Biquini

Continuando a nossa “Tour Soluções de Praia” fomos à Zara Home que tem sempre umas coleções específicas de praia para miúdos e graúdos. Sim, porque as crianças também têm direito e não têm o “senão” do início do verão, tudo lhes fica bem.

biquini criança

Adoro preto e branco, mas normalmente não é a combinação que escolho para a praia! A “montra” que segue derrubou logo esse (pre)conceito. O que não invalida outras opções…

ZARA

Bom, se começamos por dizer que a chegada do bom tempo trazia algum senão, já não nos lembramos qual é! (Ahahahaha)

ZARA

Obrigada Almada Forum.
Eu gosto é do verão…

Quanto a ti sol, só um pedido: “Please don’t go. Don’t gooooo away.”

Marlene Gaspar

Nós aqui temos as melhores praias.
Nós aqui temos isto.

you name it – é nomeá-las