Artigos

ZARA

MARGEM SUL É TERRA DE PRAIA. OH YEAH.

METEMO-NOS

Um dos grandes cartões de visita da Lisbon South Bay é sem dúvida a praia. Nós aqui, temos praias com tudo o que se tem direito: bom tempo – venha ele; bom areal; bom mar – podia ser mais quente, podia, mas não era a mesma coisa; boas vistas – a todos os níveis, se é que nos entendem; boas esplanadas e bons restaurantes. É tudo isto e muito mais que nos atrai à nossa costa. #Fonte da Telha, #Costa da Caparica #S. João da Caparica, you name it!

O bom tempo que se fez sentir foi sol de pouca dura, por isso o que está para chegar tem de ser aproveitado até ao último raio e saborear a praia como se não houvesse amanhã. E, aqui entra um misto de gratidão pelo bom tempo e o pânico da exposição num minúsculo fato de banho ou biquíni!

O início do veraneio não deixa de ter este senão – o primeiro impacto de um corpito depois de um longo inverno ao ver-se destapado! Não quisemos entrar em “modo drama”, não é a “nossa praia”. Fomos ao Almada Forum com a missão de encontrar soluções de praia. Missão cumprida, fomos bem sucedidas. Logo, “não nos levem a sério, levem-nos a fazer compras.”!

Há uns anos a esta parte andamos mais “viradas” para os fatos de banho e são a melhor escolha para a piscina. São cada vez mais elegantes e acabam por ser muito versáteis e confortáveis. Não bronzeia a barriga, não, mas para isso usamos os biquinis. A Andreia da Calzedonia do Almada Forum, a quem desde já agradecemos a paciência e disponibilidade, entendeu logo a questão e apresentou uma “mão cheia de boas opções”. Ora vejam.

Fato de Banho

Seduzida pelo fatos de banho, ainda tive uma paixão à primeira vista por um biquíni que “me piscou o olho” assim que entrei na loja e me sussurrou que ia ser meu! É difícil contrariar olhares tão confiantes e decididos. Adoptei a postura de fácil – “se assim queres, assim será.” Para ajudar na argumentação, o “pequeno” tem uma toalha a “fazer pendent”. E, ainda por cima, é de secagem rápida, repele a areia e, ainda, tem uma “pochete” para ser arrumada. A loja tem uma campanha de reciclagem de biquínis. Entregamos um que já não usamos e temos um desconto até €5 na compra de um novo. Bom para o ambiente e para a carteira.

Achavam que era uma escolha meramente impulsiva? Não, connosco há sempre uma justificação racional (e se não há, criamos)!

Biquini

A Ericeira Surf Shop também foi uma paragem obrigatória. A Daniela que nos recebeu adiantou que estão a receber imensas novidades, mas já há muitas para “encher o olho”. Apaixonei-me por um biquíni Banana Moon. Tem uma mistura improvável de padrões que resulta na perfeição e muita cor, muito salero e um corte impecável. Claro que tive de espreitar as “griffes de praia”. Problema. Gostamos de tudo! Da túnica sofisticada ao calção e t-shirt básico. Oh!

Biquini

Continuando a nossa “Tour Soluções de Praia” fomos à Zara Home que tem sempre umas coleções específicas de praia para miúdos e graúdos. Sim, porque as crianças também têm direito e não têm o “senão” do início do verão, tudo lhes fica bem.

biquini criança

Adoro preto e branco, mas normalmente não é a combinação que escolho para a praia! A “montra” que segue derrubou logo esse (pre)conceito. O que não invalida outras opções…

ZARA

Bom, se começamos por dizer que a chegada do bom tempo trazia algum senão, já não nos lembramos qual é! (Ahahahaha)

ZARA

Obrigada Almada Forum.
Eu gosto é do verão…

Quanto a ti sol, só um pedido: “Please don’t go. Don’t gooooo away.”

Marlene Gaspar

Nós aqui temos as melhores praias.
Nós aqui temos isto.

you name it – é nomeá-las

 

Trabalhar na praia

RECRUTAMENTO PARA TRABALHAR NO “PRAIA”.

precisamos 2

Trabalhar com o pé na areia, junto ao mar e com o sol a acompanhar captou a atenção? O Praia – Sea, Salt and Pepper na praia de S. João da Caparica está a recrutar para o verão de 2016 que está aí à porta.

As vagas são para alguém com experiência em:

  • Cozinha
  • Bar
  • Sala

As entrevistas e respostas estão previstas para a próxima semana, por isso não se atrasem a enviar o CV para o e-mail: arnaut@praia.pt

Nós aqui temos vagas de emprego.
Nós aqui temos isto.

IMG_0997

VIVER PERTO DA PRAIA FAZ BEM À SAÚDE.

gostamos 1

Não é que estudos recentes vieram (com)provar aquilo que já sabíamos? – viver perto da praia faz bem à saúde. E nós que o digamos, que estamos aqui a emanar saúde por todos os nossos poros.

Agora, fora de brincadeiras, a epidemiologista Lora Fleming, da Universidade de Exeter, em Inglaterra, numa conferência de ciência política da União Geofísica Americana, afirmou que o tempo passado à beira-mar tem muitos efeitos positivos sobre a saúde e o bem-estar. Sobre este último, nós não precisamos de nenhum dado científico. Diz-nos a experiência que um passeio, um simples estar à beira-mar proporciona paz, tranquilidade e faz-nos sentir bem.

Se só chegar-lhe perto já nos causa este efeito, imaginamos a saúde dos surfistas! Por isso é tão engraçado e curioso ficar a olhar para eles às horas de almoço junto à praia a despirem/vestirem os fatos e saírem dos carros a correr para o mar para aproveitarem aquela pausa até ao último segundo a que têm direito (não se pode desperdiçar nada!). Não sabemos se e quando almoçam, mas isso parece que não lhes interessa nada, o que querem é estar ali dentro de água, enquanto podem. E parece que veem de lá revigorados, ou pelo menos todos contentes! Com aquela sensação que ganharam o dia.

Já no séc XVIII os médicos prescreviam viagens à praia ou tratamentos com banhos da água do mar. Mas só há relativamente pouco tempo, os cientistas começaram a estudar os benefícios de saúde do oceano experimentalmente, disse Fleming.

O projeto “Blue Gym” estuda como os ambientes naturais de água podem ser usados para promover a saúde humana e o bem-estar. Descobriram que as pessoas que viviam perto da costa relataram uma melhor saúde. A aproximação do mar “melhora significativamente o bem-estar”, referiu White. O ambiente à beira-mar pode reduzir o stress e estimular a atividade física, acrescentou.

IMG_0996
Foto: Praia da Fonte da Telha

Ora, nós aqui não precisámos de nenhum estudo para chegar a essas conclusões, mas é importante que isso seja constatado, para além das nossas meras opiniões.

Os pesquisadores continuam a fazer experiências de laboratório para estudar os benefícios fisiológicos da vida costeira. Estes estudos sugerem que a exposição do oceano pode ser uma forma útil de terapia, conclui Fleming. Por exemplo, o surf pode melhorar o bem-estar das crianças problemáticas, e pelo que se assiste nas nossas praias, melhora o bem-estar também dos adultos e, não precisam ser problemáticos!

Os estudos futuros irão ver qual a “dose” ideal de tempo gasto no oceano e quanto tempo os efeitos na saúde se mantêm. Mas, nós aqui, propomos que use e abuse desta terapia.

E vocês, sentem bem-estar quando estão junto ao mar? Nós aqui, sentimos.

Nós aqui vivemos perto da praia.
Nós aqui, temos isto.

Fonte: http://www.ciencia-online.net/2013/07/beneficios-da-praia-viver-perto-do-mar-faz-bem-a-saude.htm

FONTEDATELHA

NÓS AQUI, FOMOS À FONTE DA TELHA.

TEMOS ISTO 1

Bom, na verdade não fomos, hoje. Mas, houve quem fosse e é essa a história que vamos contar. Uns primos que moram em Lisboa vieram deixar a sua filha mais nova a uma festa de aniversário, aqui, no lado sul, e como esta durava duas horas e meia, eles “tiveram ordem de soltura” do papel de pais. E, não hesitaram em aproveitá-la da melhor maneira.

A Isabel e o Tó Zé, estavam aqui, na South Bay, e decidiram fazer um “programa” que não faziam há algum tempo. E, foram à Fonte da Telha, beber um café. Sei que vão achar a minha opinião suspeita (porque será?), mas a verdade é que eles foram com uma cara e vieram com outra.

Vieram com uma boa energia, boa áurea e muitos felizes com aquela decisão. Foi aquela pausa que sabe pela vida, que nos deixa bem, que nos faz sentir bem. O sorriso não os deixava mentir, mas se dúvidas houvesse disseram:

– Epah, soube tão bem! Estar ali, nesta altura do ano, bom tempo, bom ambiente, grande envolvência. Foi o café.

E, aquilo, que parecia um programa, de e para crianças, acabou por ser também um pequeno grande programa para os pais.

Captura de ecrã 2015-12-11, às 16.06.04

Às vezes não nos apercebemos das coisas (tão) boas que temos. Mas, eu confesso, que a Fonte da Telha é um destino “das minhas voltinhas”. Quando estou feliz, quando estou menos feliz, quando tenho de resolver algum assunto, quando começa o tempo bom, quando continua o tempo mau, quando me apetece peixe, quando me apetece carne… Ou seja, não é preciso uma razão para ir lá. Se há coisa que gosto de fazer e, faço muitas vezes, só ou acompanhada é, descer à Fonte da Telha e olhar para o mar. Só olhar para o mar já (pre)enche. Mas, claro que nesta equipa tem de haver a low profile com o mar – eu! Porque o Joel e a Catarina não se ficam por aí. O Joel gosta é de estar na sua long board na água e a Catarina a mergulhar nas suas profundezas.

Nós aqui temos a Fonte da Telha.
Nós aqui temos isto.

_RR_9912v1_JR

NÓS AQUI, VIEMOS AO BORDA D’ÁGUA.

#NOSAQUI 5

O Lisbon South Bay blog foi ao Borda d’Água almoçar e estendeu a refeição até o sol começar a sair de “mansinho”. Neste dia de verão de S. Martinho conseguimos seguir o conselho de Orson Welles: os meus gostos são simples: prefiro o melhor de tudo. E foi isso que tivemos – uma excelente refeição, uma excelente tarde numa excelente praia, excelente companhia e uma excelente conversa. Nós aqui temos isto.

Não foi uma descoberta, porque o Borda d’Água é um dos nossos habitués. Já fez 20 anos e como maior de idade está aí para as curvas e recomenda-se. Fomos muito bem recebidos e muito bem servidos. O tempo ajudou e deixou-nos pôr o pé na areia e brindarmos ao momento com uma sangria de espumante e frutos vermelhos absolutamente maravilhosa.

O ambiente é acolhedor e de praia, o que permite conciliar descontração e sofisticação, ser despretensioso, mas requintado. As entradas frias e quentes permitiram-nos contrastar o camarão frio com o quente, numa deliciosa mistura de sabores e texturas. Estavam reunidas todas as condições para um momento bem passado e a conversa rapidamente saltou para as ruidosas gargalhadas que não conseguimos conter. E ainda bem. Como diz o Joel não há nada como conversar com amigos e ter o mar como moldura (lá está ele sempre preocupado como e onde vai ficar a foto!).

_RR_9901v1_JR _RR_9907v1_JR _RR_9906v3_JR

Nós aqui gostamos de escolhas saudáveis e coloridas, por isso o peixinho grelhado com a salada e fruta deram-nos uma refeição light, mas deliciosa. Mas, claro que não negámos o miminho seguinte e “atacámos” um petit gateau com gelado de baunilha, como os miúdos a lambuzarem-se com um doce. Sim, para que não haja dúvidas, nós aqui gostamos de comer bem. Nós aqui somos gulosos.

Depois do café deixámo-nos ficar. O mar, as ondas, a companhia, o sol fizeram-nos ficar a trabalhar ali, o que acabou por ser #justanotherdayintheoffice, ou seja, another day at South Bay.

_RR_9929v1_JR

Nós aqui vamos ao Borda d’Água.
Nós aqui temos isto.

P.S. O Joel prometeu voltar com a Melita. Melita, não te esqueças de o lembrar.

Leão18

O PECADO DA PREGUIÇA

espreguiçamos n’ 1

 

Diz que hoje é Dia Internacional da Preguiça e, apesar de não lhe vermos grande utilidade, há que assinalar a data.

Diz a Wikipédia que o preguiçoso é o indivíduo avesso a atividades que mobilizem esforço físico ou mental. De modo que lhe é conveniente direcionar a sua vida a fins que não envolvam maiores esforços. E tendo em conta o verão de S. Martinho que apareceu muitos decidiram espreguiçar-se nas praias da Lisbon South Bay. E fizeram uma ótima escolha, o dia está fantástico, a água convida e os bares/restaurantes da praia estão aqui para vos receber de braços abertos.

Apesar da preguiça ser considerado um dos 7 pecados, não nos parece que se deva gozá-la somente neste dia e nos outros 364 ou 365 dias do ano ela não possa dar o “ar da sua (des)graça”. De quando em vez, a preguiça tem direito a um “espacinho” até pelo prazer de conseguir combatê-la e ganhar-lhe. E também, em doses q.b., é bom dar-lhe alguma confiança.

Ora se a preguiça é o “cérebro a enviar mensagens para o corpo para poupar energia”, o nosso está a receber essa mensagem agora mesmo, por isso vamos ficar por aqui.

Nós aqui espreguiçamos n’isto.
Nós aqui temos isto.