Artigos

Tiago Brandão Rodrigues

PRIMEIRA INTERVENÇÃO PÚBLICA DO MINISTRO DA #EDUCAÇÃO É NA BAIXA DA BANHEIRA

educamos para 1

O novo ministro da Educação, Tiago Brandão Rodrigues acaba de comunicar que até ao final da semana vai divulgar o tipo de avaliação que irão substituir os exames nacionais do 4.º ano, cujo fim foi aprovado no mês passado por todos os partidos de esquerda no Parlamento.

A escolha do local onde resolveu fazer esta comunicação não foi indiferente. A decisão recaiu na Escola Secundária da Baixa da Banheira, localizada no bairro do Vale da Amoreira, no concelho da Moita. Este estabelecimento de ensino é o caso típico de uma escola que luta contra as adversidades do meio. Os pais dos alunos têm em média oito anos de escolaridade, quase metade das famílias são apoiadas pela ação social escolar e as pequenas conquistas começam muitas vezes por convencer os alunos a entrar da escola e nas salas de aula, admite o diretor José Lourenço.

O Ministro justificou esta decisão: Viemos aqui porque é preciso conhecer a escola pública que temos, ouvir os professores, identificar os desafios. Ao contrário da ideia de facilitismo, esta é uma escola onde existem imensas exigências e preocupações”, enaltecendo a importância da “escola pública” e do “serviço nacional de educação” como motores da “mobilidade social”. Reforçou a necessidade do combate ao abandono escolar e a promoção do sucesso como as suas “prioridades” para o mandato.

Tiago Brandão Rodrigues apresentará também as suas ideias para os restantes anos de escolaridade, ou seja, a “solução integrada de avaliação e aferição”, que inclui o tipo de testes a realizar no 6.º e no 9.º anos e ainda a avaliação na disciplina de Inglês, que é atualmente feita através dos testes de Cambridge.

No caso do 4.º ano, onde a avaliação muda já este ano letivo, a alternativa será a recuperação das provas de aferição, que não contam para a nota final. Ou seja, tanto podem ser aplicadas ao universo dos alunos como a uma amostra. Ambos os modelos já foram testados anteriormente.

As metas curriculares também estão a ser avaliadas. Estas consistem num descritivo dos objetivos detalhados a atingir pelos alunos em cada disciplina e ano de ensino. O tema será discutido também no final da semana na Assembleia da República.

Tiago Brandão Rodrigues destaca a importância de “competências transversais”, das “artes, do desporto e das ciências experimentais”.

Nós aqui, temos Prioridade na Educação.
Nós aqui temos isto.

Fonte: Expresso