Artigos

Cova do Mar

VOLUNTÁRIOS DÃO FORMAÇÃO NA COVA DO MAR. Por Marlene Gaspar

gostamos

É de coração cheio e a transbordar de orgulho que hoje conto esta história. Todos os dias passo a ponte para Lisboa para ir trabalhar para a LLYC, a melhor agência de comunicação do mundo e arredores. E a LLYC tem uma fundação – a Fundação LLYC que tem como missão divulgar causas e contar histórias de sonhadores que ajudem a mudar o mundo através do talento, experiência e compromisso da empresa e dos seus profissionais.

O trabalho através da Fundação é ajudar as pessoas que sonham em melhorar a vida da sua comunidade a contar à opinião pública qual é o seu projeto e o que precisam para o concretizar. Procuramos ser o porta-voz de iniciativas solidárias, através de histórias contadas pelos seus protagonistas, mas o projeto Vozes Futuras, que acaba por ser o primeiro projeto global da Fundação LLYC a ser desenvolvido em todos os escritórios, em 13 países, está além disso. O objetivo principal é educar jovens com soft skills de comunicação, pois estas ferramentas comunicativas tão básicas e necessárias, são o usamos no dia a dia com os nossos clientes.

Estes projetos contam com voluntários em que metade das horas são oferecidas pela empresa e a outra metade pelo tempo livre de cada voluntário. E é para mim um orgulho saber que o Ricardo, a Celia, a Raquel, o Francisco, a Joana, a Maria e a Cristina, equipa com quem tenho o privilégio de trabalhar todos os dias, escolheram a Associação Cova do Mar, como a causa que abraçaram. E essa associação fica nada mais nada menos que aqui, na margem sul.

Cova do Mar

Os voluntários: Ricardo Madeira, Celia Fernandez, Raquel Godinho, Francisco Lima, Joana Carvalho Fernandes, Maria Eça e Cristina Girão (da esquerda para a direita) com os seus “alunos”

A Joana é nascida e criada na margem sul, viveu cerca de 2 anos em Lisboa, mas o bom filho à casa torna e, uma vez margem sul, para sempre margem sul e “teve” de voltar. A Joana foi jornalista antes de ter entrado na LLYC e teve contacto com a associação Cova do Mar quando fez uma peça jornalística sobre a mesma. A Cova do Mar é uma associação dirigida a crianças que vivem num bairro clandestino, de habitações precárias, sem acesso a electricidade legal. O objetivo da associação é proporcionar aos jovens uma ocupação de tempos livres diversa (e diferente da que se associa a estes ambientes desfavorecidos). “É objectivo do campo de férias Cova do Mar proporcionar iniciativas destinadas a crianças e jovens considerados carenciados pela Cova do Mar (emocionalmente ou financeiramente), com idades compreendidas entre os 6 e os 17 anos, com a finalidade de durante um período determinado de tempo, proporcionar um programa organizado de carácter educativo, cultural, desportivo ou meramente recreativo.” refere a responsável da organização.

E como é que a Fundação LLYC está a ajudar? Os nossos super voluntários deram aulas de comunicação para garantirem que os jovens aprendam ferramentas fundamentais para apresentarem melhor os trabalhos de grupo, falarem em público, contarem uma história ou até um dia os ajudar numa entrevista de emprego…

Divididos por 4 grupos, ao longo de 4 aulas, estão a aprender a contar uma história à sua escolha, real ou inventada por eles. Têm de colocar a ‘mão na massa’, de escolher a história, prepará-la (tem de ter princípio + meio + fim), debater e construir o formato: uns escolheram a banda desenhada, outros a dança, outros até escolheram atirarem-se pela primeira vez ao temível power point. Tomaram notas, tiraram apontamentos e aprenderam a técnica dos post-its coloridos para a organização de ideias e no próximo mês, veem à LLYC apresentar o seu trabalho.

Estou muito orgulhosa deste projeto e só posso estar grata de poder fazer parte de uma equipa com pessoas como estas. Dream team LLYC!

Mas sobre estas pessoas, termino com as palavras da responsável pela instituição, Xana Banana, sobre a atuação dos voluntários da fundação: é surreal todas as coisas que estão a aprender!  e o amor dos voluntários é INCONDICIONAL.

Nós aqui temos formação na Cova do Mar.
Nós aqui temos isto.

Texto: Marlene Gaspar
Foto: Cova do Mar

Proteção civil

QUERES SER VOLUNTÁRIO DA PROTEÇÃO CIVIL? Por Marlene Gaspar

parabenizamos
Queres fazer a diferença? Que tal participares em atividades como a vigilância da floresta ou dares o teu apoio em situações de catástrofe? Temos a receita para não te sentires impotente nestas situações e sentires-te recompensado para  fazer o bem. O Serviço Municipal de Proteção Civil (SMPC) está a constituir o Corpo Permanente de Voluntários de Proteção Civil de Almada. Abriram hoje as inscrições para voluntários e podes candidatar-te até o dia 5 de março, através do e-mail: proteccao.civil@cma.m-almada.pt. Basta indicares o nome, idade, morada e contactos de telefone e e-mail.
O que é que precisas para ser voluntário?
 # ser maior de idade;
# residir, preferencialmente, no concelho de Almada;
# uma declaração médica que ateste que estás cheio de saúde, que é como quem diz, que estás de boa condição física e psíquica.
Se fores admitido à fase de estágio terás formação e serás submetido a provas de carácter teórico e prático para que possas entrar nesta missão com as seguintes atividades:
# Patrulhamento, vigilância e prevenção da floresta contra incêndios na área geográfica do concelho de Almada;
# Alertar o SMPC para todas as situações de risco detetadas;
# Apoio logístico a operações de prevenção, proteção e socorro;
# Apoio em dispositivos de prevenção de eventos municipais ou outros, no âmbito das atribuições do SMPC;
# Colaborar em ações de formação e sensibilização da população promovidas pelo SMPC;
# Apoiar a dinamização, formação e coordenação das Unidades Locais de Proteção Civil que vierem a ser criadas no âmbito das freguesias;
# Orientar e coordenar as equipas de voluntários que vierem a ser criadas para apoio a acidentes graves ou catástrofes;
# Apoiar o SMPC na montagem do posto de comando municipal;
# Apoiar a implementação e funcionamento de redes de comunicações de emergência em acidente grave ou catástrofe.
E para quem entrega o corpo às balas para uma missão destas, só tenho uma palavra: RESPECT! Faz a diferença. Ajuda-te, ajudando os outros.
Nós aqui temos voluntário da Proteção Civil.
Nós aqui temos isto.
Texto: Marlene Gaspar
Fonte: CMA
Foto: CMS
voluntario 1

QUERES SER VOLUNTÁRIO NO FESTIVAL SOL DA CAPARICA?

precisamos 2

Pico de verão. De 11 a 14 de agosto todos os caminhos vão dar à Caparica. Ao Sol da Caparica. O grande Festival Sol da Caparica traz ao Parque Urbano da Caparica onze horas diárias de música, mais cinema de animação, gastronomia e surf, num festival pensado para todos.

Já pensaste em fazer uma pausa no teu verão para uma experiência diferente? Que tal aproveitares as férias e fazeres parte da organização deste grande festival de verão? Queres ser voluntário e intervir de forma ativa na comunidade?

As áreas para participação vão desde a produção, comunicação e segurança do festival.
Uma verdadeira experiência onde poderás conhecer pessoas e profissionais da indústria musical portuguesa e viver um festival de uma diferente perspetiva. Uma oportunidade para ser parte integrante deste evento e desfrutar melhor que a música portuguesa tem para oferecer.

voluntario 2

Contrapartidas (sim, não é só trabalhar para aquecer!)
Formação
Acesso aos quatro dias do festival
Alimentação (1 Lunchbox por turno)
Seguro
Certificado de participação
1 Brinde
T-shirt do Voluntário
Oferta de um bilhete extra dia a dia

Perfil
Sentido de responsabilidade
Capacidade de Comunicação
Paciente
Amável
Sentido Prático
Capacidade de comunicação
Versátil
Motivado
Mentalidade Prática
Dinâmico
Desembaraçado

Requisitos
Maiores de 16 anos
Residente na área metropolitana da grande Lisboa e Almada

Equipas e Horários

Apoio à Produção – turnos de 4 horas
Apoio na Organização do festival; manutenção e organização de espaços de Backstage; reposição de águas para toda a equipa e espaços; outras funções a definir de apoio.

Palcos – turnos de 4 horas
Apoio à produção e direção técnica deste espaço; manutenção e reposição de camarins; receção e acolhimento de artistas.

Sala de Imprensa – turnos de 4 horas
Recepção e Acolhimento de jornalistas, fotógrafos e operadores de câmara; disponibilizar informação de horários e alinhamentos dos concertos; acompanhar a imprensa sempre eu necessário; disponibilização de informação sobre o festival na sala de imprensa; coordenação e manutenção do espaço.

Zona Vip – turnos de 4 horas
Neste local vão estar presentes os órgãos de comunicação social assim como os convidados Vip e será necessário fornecer todas as informações solicitadas sobre o Festival de forma clara; responsáveis pela manutenção e bom funcionamento do espaço.

Balcão de Informações – turnos de 4 horas
Fornecimento e esclarecimento de informações e dúvidas relativas ao festival, recinto, programação, wc etc. Ser simpático e paciente.

Armazéns – turnos de 4 horas
Responsável pela entrada e saída de toda a mercadoria de restauração e bares.

Entradas e Saídas – turnos de 4 horas
Receber com boa disposição o público que entra para o Festival; dar resposta a questões que tenham; encaminhá-los para o recinto e picar os bilhetes.

Mobilidade Reduzida – turnos de 4 horas
Dar apoio e assistência ao público com mobilidade reduzida que está presente neste espaço; saber fornecer informações e esclarecimento de dúvidas sobre o festival, quer ao nível do recinto como de programação.

Coordenação de Espaços – turnos de 4 horas
Esta equipa estará divida por 3 zonas: zona surf e 2 zonas lounge. Esta equipa tem que coordenar os mesmos assim como é responsável pela sua manutenção; prestar apoio técnico se necessário e também aos intervenientes envolvidos e esclarecer dúvidas do público.

Centro de Boas Vindas – turnos de 4 horas
Receção e acolhimento do público; esclarecer dúvidas; fazer troca de passes por pulseiras; responsáveis pela guest list diária.

Brigada do Ambiente – turnos de 4 horas
Sensibilizar o público para as questões ambientais e apelando que não se coloque lixo no chão; se necessitar, dar a manutenção no mesmo; apelar à organização das filas para acesso aos wc’s e se necessário entrar em contacto com as equipas de limpeza para a manutenção dos espaços.

Animação – turnos de 4 horas
Contacto e convívio com o público; promoção de atividades lúdicas; apoio á programação de atuações e animações presentes no recinto.

Apoio ao Voluntariado – turnos de 4 horas
Apoio à equipa de coordenação de voluntariado desde a manutenção do nosso espaço no recinto; controlo de entradas e saídas de turnos; distribuição de senhas e lunch box’s; responsáveis de bengaleiro e controlo e manutenção de campismo.

Formação
Após o processo de seleção e distribuição dos voluntários pelas diferentes áreas, a organização do festival irá proporcionar uma formação para todos os participantes.

Ações de Formação
– Primeiros Socorros
– Produção e Organização
– Segurança

Calendário
Período de Inscrições: A partir de 5 de Abril (vagas limitadas)

Entrevistas
Período de Seleção: 23 de Maio a 28 de Maio
Anúncio de Seleção: 30 de Maio
Sessão de Boas-Vindas: 2 de Junho

MANUAL DE NORMAS E PROCEDIMENTOS
1. Tanto coordenadores e voluntários devem andar devidamente identificados com t’shirt e pulseira; Vai haver t’shirts diferentes para ser mais fácil identificarem-se;
2. Entradas no recinto são feitas através da Rua de Serviço; para além da pulseira têm que se fazer acompanhar do BI;
3. Levantamento de bilhetes extra diários: vai existir uma Guest List com todos os nomes da equipa de Voluntários, os convidados terão que se deslocar ao contentor perto do Cmia e levantar o bilhete anunciando o nome do voluntário que lhe ofereceu a entrada;
4. Chegar sempre 15min. antes dos turnos;
5. Antes de dar entrada no posto de trabalho, passar antes no Espaço do Voluntariado para confirmar a sua chegada;
6. Ser pontuais e respeitar os horários;
7. Serem simpáticos e disponíveis para ajudar o público;
8. Todos os voluntários e coordenadores, independentemente da sua função têm que estar familiarizados com o conceito do festival, objetivos, programa e informações úteis;
9. Em caso de emergências ou problemas, reportarem logo perante os responsáveis da equipa de produção e coordenação de voluntariado;
10. Em caso de dúvidas, não darem respostas ao público, perguntar sempre aos coordenadores ou responsáveis;
11. Coordenadores são responsáveis pela distribuição das lunch box’s, para os voluntários das suas equipas;
12. No final do turno, os coordenadores devem apresentar-se no Espaço do Voluntariado para dar feedback; no primeiro dia do Festival irá realizar-se reunião com todos os coordenadores para fazer um ponto de situação do dia, para ver se correu tudo bem ou se houve problemas;
13. Cada voluntário após terminar o seu turno de trabalho pode permanecer e usufruir do Festival mas terá de tirar a t-shirt do voluntariado OBRIGATORIAMENTE.

Aqui vou eu para a Costa
Aqui vou cheio de pica
De Lisboa vou fugir
Vou para o Sol da Caparica

Inscreve-te aqui

Nós aqui, temos Voluntários para o Festival Sol da Caparica.
Nós aqui, temos isto.